14 maio

Evento debate a implantação de ciclovias na cidade de São Paulo

Aconteceu ontem no Campus São Paulo a mesa-redonda “Mobilidade Urbana: Ciclovias em debate”. O Centro Universitário da FEI recebeu quatro convidados, liderados pelo Professor Dr. Jacques Demajorovic, para falar sobre os diversos aspectos que envolvem e impactam a construção de ciclovias na cidade de São Paulo.

O primeiro a falar foi o Superintendente de Planejamento da CET, Ronaldo Tonobohn, que apresentou os números que envolvem as ciclovias paulistas como os quilômetros recém construídos, as vagas para bicicletas nos terminais de ônibus, ciclo passarelase o orçamento real de todo o projeto. Segundo Ronaldo, o conceito principal para a implantação das ciclovias é a sustentabilidade, tendo como princípio a segurança do ciclista.

Os quatro convidados à esquerda e o mediador do debate, Prof. Dr. Jacques Demajorovic, à direita.

Os quatro convidados à esquerda e o mediador do debate, Prof. Dr. Jacques Demajorovic, à direita.

O Superintendente da CET ainda falou um pouco sobre o projeto “Bike Sampa”, parceria do banco Itaú com a prefeitura, que espalha bicicletas compartilhadas pela cidade. A Gerente de Relações Governamentais e Institucionais do Banco Itaú, Simone Gallo Azevedo, não pôde comparecer para apresentar o programa.

Professora do Departamento de Patologia da Universidade de São Paulo, Thais Mauad falou sobre a saúde e o impacto da poluição das grandes cidades aos ciclistas.

O debate teve ainda a participação do jornalista do Estadão, José Roberto de Toledo, que falou sobre as e-bikes, as bicicletas elétricas que têm o motor acionado pela força do pedal. A bicicleta é uma alternativa para quem mora perto de ladeiras, uma vez que nivela o terreno como se o ciclista estivesse pedalando em um terreno plano, sem exigir um desgaste físico maior da pessoa.

Para fechar as apresentações, o arquiteto e urbanista Ricardo Correa, falou sobre a importância da educação no trânsito e da formação do condutor de bicicletas como base para tornar São Paulo uma cidade ciclável. Para Ricardo, o entendimento de todos em relação ao seu papel no trânsito, seja como motorista, ciclista ou pedestre, caminha junto às obras de infraestrutura e é um dos muitos recursos que podem garantir a segurança do ciclista.

Para finalizar o debate, os convidados responderam algumas perguntas da palestra e falaram sobre a utilização das ciclovias por cadeirantes, fiscalização para os usuários das ciclovias e multas para ciclistas e continuidade do projeto de ciclovias após troca de gestão.

Muitas pessoas vieram  de bicicleta assistir à palestra.

Muitas pessoas vieram de bicicleta assistir à palestra.

Comentário fechado

Curta nossa página no Facebook

Twitter