11 abr

FEI realiza experimento inédito no Brasil

Em parceria com outras instituições, a partir de um laboratório inaugurado em 2016, a FEI realizou experimentos para um projeto que poderá ser utilizado como rede de comunicação espacial.

Radiacao_Facebook

O Centro Universitário FEI, em parceria com a USP e o IEAv, realizou experimentos inéditos no Brasil sobre dispositivos resistentes à radiação. O ASIC SpaceWire, que foi projetado pelo Centro de Tecnologia da Informação (CTI – Campinas) e testado no País pela primeira vez, poderá ser utilizado como uma rede de comunicação espacial em satélites pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE).

Na FEI, foram realizados os testes de tolerância aos efeitos de dose de radiação ionizante acumulada no dispositivo utilizando fonte de raios-X, no Laboratório de Efeito da Radiação Ionizante (LERI). O IEAv ficou responsável pelos testes de raios-gama, enquanto que na USP foram feitos testes usando íons pesados. O estudo faz parte do projeto de Circuitos Integrados Tolerantes à Radiação (CITAR), financiado pela FINEP, que tem cumprido um papel importante na indústria espacial.

A professora Marcilei Guazzelli, do departamento de Física da FEI e pesquisadora do projeto, destaca que os resultados representam um importante avanço para o País. “Dominar uma tecnologia de uma área estratégica, que é a Espacial, é importante para a soberania de um País. Se não tivermos desenvolvimento de tecnologia própria, ficaremos dependentes de outros países”, destaca. A docente também destaca que os resultados dos testes não servem apenas para área espacial. “Toda essa tecnologia que estamos desenvolvendo também pode ser útil para outras áreas, como a da Saúde, por exemplo”.

Embargo dos Estados Unidos

Um dos fatores motivadores do projeto e da criação do Laboratório de Pesquisas em Radiação Ionizante, na FEI, foram as dificuldades encontradas pelos pesquisadores, entre elas o embargo dos Estados Unidos. “Por conta do acordo que o Brasil fez com a China na área de satélites, sofremos sanções que dificultaram o avanço nos nossos estudos. Por conta disso, ficamos com dificuldades de adquirir dispositivos resistentes à radiação”, revela.

Esta é uma questão bastante importante particularmente para países que se encontram na região da Anomalia do Atlântico Sul, como é o caso do Brasil: “Nesta região há uma falha no campo eletromagnético que faz com que a radiação seja maior que nas outras regiões”, explica a professora. Alguns satélites desligam ao passar por esta região.

4

Saiba mais sobre o projeto CITAR

Criado em 2012, o projeto de Circuitos Integrados Tolerantes à Radiação (CITAR) tem cumprido um papel importante na indústria espacial. Ele é responsável pelo estudo, desenvolvimento e capacitação de componentes resistentes à radiação cósmica ionizante, usados em equipamentos enviados ao espaço. Em 2016, o projeto inaugurou um laboratório no campus São Bernardo do Campo, do Centro Universitário FEI, que tem como objetivo reforçar os testes e a capacitação de componentes resistentes à radiação.

“A radiação é uma grande dificuldade para o setor espacial nacional, já que afeta o funcionamento de componentes, podendo causar falhas de comunicação, interferências nas informações e até inutilizando alguns circuitos e equipamentos inteiros”, explica a professora Marcilei Guazzelli, docente do departamento de física do Centro Universitário FEI.

O coordenador Geral do Projeto Citar e Executor do Centro de Tecnologia da Informação Renato Archer, Dr. Saulo Finco, destacou o empenho da FEI em inaugurar um laboratório de extrema importância para o desenvolvimento científico do País, multiplicando recursos humanos, infraestrutura e estudos para solucionar os problemas encontrados em circuitos utilizados em satélites. “Com este laboratório e os profissionais que estarão operando nele, poderemos estudar os fenômenos encontrados em componentes de satélites”, pontuou o coordenador do projeto CITAR.

E você? Curtiu o projeto? Deixe o seu comentário e fique atento aos próximos posts 😉

Campus de Cima - Twitter

22 set

FEI se destaca na Avaliação Folha RUF 2017

Após a excelente avaliação da FEI no Guia do Estudante, conquistando 51 estrelas como mostramos aqui, agora é a vez de um novo destaque: a Avaliação Folha RUF 2017!

ruf_linkedin

Criada em 2012 e sempre publicada no mês de setembro, a avaliação é organizada pela Folha de São Paulo, um dos maiores jornais do País, que analisa instituições de ensino e seus cursos espalhados por todo o Brasil.

Dos 7 cursos da FEI avaliados, 5 ocupam os primeiros lugares entre as melhores instituições de ensino particulares do País. São eles:

Engenharia Civil – 5º

Ciência da Computação – 5º

Engenharia Elétrica – 2º

Engenharia Mecânica – 1º

Engenharia de Produção – 1º

Engenharia Química – 1º

Entre os melhores cursos do ABC Paulista, a FEI se destacou com Administração, Ciência da Computação, Engenharia Civil, Engenharia Mecânica, Engenharia Elétrica, Engenharia de Produção e Engenharia Química.

Parabéns aos alunos, professores e colaboradores, responsáveis pelo sucesso da Instituição!

E você? Está pronto para realizar o novo com a FEI? As inscrições para o Vestibular 2018 estão abertas, é só clicar aqui e se inscrever!

1

18 set

Realize o Novo – Vestibular FEI 2018

Já é possível fazer as inscrições para os cursos de Administração, Ciência da Computação e Engenharia, em oito áreas, da FEI!

Face - Vestibular 2018

O Centro Universitário FEI abriu nesta segunda-feira, 18 de setembro, as inscrições para o Vestibular 2018.

A Instituição, uma das mais reconhecidas do País, conta com uma infraestrutura de ponta, como laboratórios modernos e projetos institucionais, que permitem ao aluno um contato prático com o mercado de trabalho, além do conteúdo teórico que é ministrado em sala de aula.

As vagas disponíveis são para os cursos de:

  • Administração
  • Ciência da Computação
  • Engenharia, sendo oito áreas: Automação e Controle, Civil, Elétrica, Materiais, Mecânica, Produção, Química e Têxtil

No Manual do Candidato, todas as informações e disciplinas de cada curso podem ser consultadas, além de importantes informações como utilização da nota do ENEM e Bolsa de Estudo. Confira aqui.

Avaliação do Guia do Estudante 2017 comprova a excelência da FEI na formação de profissionais, há mais de 75 anos. E em breve, aqui no Blog da FEI, você poderá conhecer mais detalhes de cada curso.

Esteja pronto para realizar o novo! Inscreva-se no Vestibular 2018 da FEI 😉

2

 

01 set

FEI é referência em workshop da Indústria 4.0

3

No último dia 22 de agosto, em São Caetano do Sul, um workshop sobre a Indústria 4.0, chamado Tipping Point Talks, foi realizado pela empresa SPI, fornecedora de projetos voltados a aumento da produtividade e tecnologia.

A discussão teve como propósito provocar a reflexão entre profissionais, como engenheiros e técnicos, sobre as inovações da 4ª Revolução Industrial e seus principais desafios.

2

Entre os palestrantes deste workshop, grandes nomes de indústrias e montadoras, como a General Motors e Siemens, estava o Professor Dr. Fábio do Prado, Reitor do Centro Universitário FEI, como único representante da classe acadêmica. O objetivo da palestra do Reitor foi apresentar o plano de inovação da FEI e como a Instituição está preparando os profissionais, que em poucos anos, entrarão no mercado de trabalho repleto de mudanças.

Assista no vídeo abaixo o depoimento do Reitor, sobre a importância da FEI em participar de um evento como este:

09 jun

59ª ExpoMecAut expõe Projetos da Engenharia Mecânica

Alunos do curso de Engenharia Mecânica Automobilística da FEI apresentaram, no último dia 08 de junho, seus Projetos de Formatura na 59ª ExpoMecAut, que aconteceu no ginásio de esportes.

Expo Blog

Professores e alunos da FEI, profissionais do setor, amigos e familiares dos formandos puderam conhecer os 05 projetos apresentados, trazendo soluções e novas ideias para transportes e locomoção.

O evento contou com a presença de uma banca examinadora, com júri formado por profissionais importantes da indústria, avaliando os quesitos:  criatividade em inovação, conteúdo técnico do projeto, viabilidade do projeto e modelo em escala da inovação.

Conheça os cinco projetos e os três vencedores da noite.

Projeto LF 420

LF - 420

Projeto LF – 420 na 59ª ExpoMecAut

O projeto apresenta uma solução para o transporte de cargas rodoviárias, com um sistema compacto e leve que facilita no carregamento e descarregamento de carga, além de oferecer melhores condições de trabalho aos operadores, com um novo sistema de ergonomia. O sistema visa otimizar até 50% do tempo atual utilizado nesses serviços, 20% do volume e 25% de carga. A plataforma para levantamento da carga é acionada por uma bolsa de ar.

Projeto HY-P

HY-P

Projeto HY-P na 59ª ExpoMecAut

De olho na tendência por produtos ecologicamente corretos, esse projeto traz uma solução que otimiza o sistema híbrido-elétrico, tornando-o mais acessível, uma vez que os veículos atuais não possuem espaço para um sistema hibrido elétrico, além do peso que tal tecnologia traz para os automóveis. A proposta de otimização serve, justamente, para solução desse problema, melhorando sua eficiência e arquitetura.

Projeto AcquaBoost – 3º lugar

Acquaa Boost

Projeto AcquaBoost na 59ª ExpoMecAut

Esse projeto, classificado como o 3º melhor da noite, propõe a injeção de água em motores a combustão sobrealimentados. Essa solução nasceu a partir dos problemas de baixo rendimento desses motores, anomalias no funcionamento devido à temperatura elevada, além da emissão de gases poluentes. Diante desse problema, a meta do grupo é diminuir a temperatura da câmara de combustão.

Projeto H2D – 2º lugar

H2D usar

Projeto H2D na 59ª ExpoMecAut

Há uma grande dependência de diesel no setor de transporte, que devido ao alto uso anual, as taxas de emissões de poluentes também são grandes. O projeto oferece uma solução para reduzo no consumo de diesel para veículos rodoviários pesados, mantendo a potência do motor.

Projeto Eqüus – 1º lugar

Trator

Projeto Eqüus na 59ª ExpoMecAut

O projeto vencedor da noite, Eqüus, propõe um Trator Porta Implemento, que buscar prover a mobilidade ao pequeno produtor, que representa hoje 85% dos trabalhadores rurais. O trator promete realizar diversas operações que otimizam o tempo de trabalho e garante melhores condições físicas para o trabalhador, com sistema de transmissão hidráulica, implementação dianteira e um sistema traseiro para esterçar, facilitando ainda mais a locomoção.

Confira na reportagem como foi o evento!

Curta nossa página no Facebook

Twitter