Feliz Natal Reviewed by Momizat on . Vimos sua estrela... Os reis magos olhavam o céu... Familiarizados com os tortuosos caminhos das montanhas e as extensas colinas do deserto, procuravam saber as Vimos sua estrela... Os reis magos olhavam o céu... Familiarizados com os tortuosos caminhos das montanhas e as extensas colinas do deserto, procuravam saber as Rating: 0

Feliz Natal

Vimos sua estrela…

Os reis magos olhavam o céu…

Familiarizados com os tortuosos caminhos das montanhas e as extensas colinas do deserto, procuravam saber as condições do tempo e, por meio das estrelas, traçar a rota mais segura para as caravanas.

O ritual repetia-se quando a noite estava mais avançada enquanto mitos dormiam e os camelos descansavam.

Sentados à frente da tenda, envolvidos pela escuridão, mantinham os olhos fixos no céu como que fascinados pelos mistérios das estrelas.

Quais os segredos dessa infinidade de pontos cintilantes esparramados sobre a amplidão do universo que como um manto luminoso cobria a terra? Como explicar que por eles serem desvendados os mistérios da vida e da natureza?

As estrelas sabem fazer surpresas…

Foi o que aconteceu com aqueles reis nas noites de um dezembro imaginário quando, à sentados à entrada da tenda, contemplavam o céu.

Uma estrela estranha chamou-lhes a atenção.

Num primeiro olhar, parecia como todas as outras.

Observando-a melhor, destacava-se pelo brilho extraordinário de sua luminosidade entre as constelações que a cercavam!

Não se limitava também a ser simplesmente uma referência das condições do tempo nem de balizamento de rotas.

Exercia a sensação de um estranho convite para que a seguissem. Tudo muito intrigante!

Como é difícil entender a linguagem das estrelas!

Debruçados em seus pergaminhos, em cálculos e pesquisas, concluíram que se tratava da estrela de um rei. Sua mensagem era a de apontar-lhes onde se encontrava: uma longínqua região da Palestina. Era também um convite, para prestar-lhe a homenagem da acolhida com o simbolismo dos preciosos presentes do ouro, incenso e mirra…

E assim os reis se organizaram para a longa caminhada até o rei que acabara de nascer…

É a história da humanidade a repetir-se mais uma vez neste Natal.

Durante o ano, todos os dias, olhamos para o céu para seguir a uma estrela que nos leve à felicidade.

Mas, nossas estrelas têm sido tão fugazes, tão efêmeras como a rapidez do tempo, são cadentes…

É preciso chegar dezembro para que a Estrela do Natal volte mais uma vez a brilhar no céu da humanidade para desvendar os mistérios de todas as constelações das nossas vidas.

É a estrela de Deus convidando a humanidade para dirigir-se a Belém.

Em uma gruta despojada e fria, no berço da manjedoura, uma criança veio trazer esperança!

Veio revelar que a felicidade existe, a paz é possível, sempre que houver boa vontade.

Somos os reis que temos sempre os olhos voltados para o céu.

Desejamos encontrar essa Estrela que, na noite de um Natal que não termina, torna-se a guia de nossa vida.

Ela está sempre iluminando a nossa vida!

Feliz Natal e um 2018 abençoado!

São os votos do Centro Universitário FEI

Pe. Paulo de Arruda D´Elboux SJ / pdelboux@fei.edu.br

InfoFEI - Informativo do Centro Universitário FEI