Executivas da Scania falam sobre os desafios da mulher na engenharia Reviewed by Momizat on . No Dia Internacional da Mulher, o Centro Universitário FEI teve a honra de receber no campus da Instituição, em São Bernardo do Campo, três executivas da Scania No Dia Internacional da Mulher, o Centro Universitário FEI teve a honra de receber no campus da Instituição, em São Bernardo do Campo, três executivas da Scania Rating: 0

Executivas da Scania falam sobre os desafios da mulher na engenharia

No Dia Internacional da Mulher, o Centro Universitário FEI teve a honra de receber no campus da Instituição, em São Bernardo do Campo, três executivas da Scania Latin America para compartilhar com os alunos um pouco de suas trajetórias como profissionais e principalmente sobre os desafios da mulher na engenharia.

Em um auditório lotado, a maioria alunas, Renata Perucci Ferito – Sales Management Director; Roberta Serra Negra – Gerente Executiva da Fábrica de Cabinas, e Suzana Martin – Gerente Executiva da Fábrica de Motores – abordaram diversos temas que envolviam a carreira, maternidade e preconceito; pautas que fizeram parte do dia a dia das executivas

PALESTRA COM GERENTES DA SCANIA (194)Com mais de 20 anos de experiência – construída quase que toda na Scania – as executivas se orgulham de terem ingressado na montadora ainda como estagiárias, e que o fato de serem mulheres nunca ter sido um obstáculo para alcançarem suas posições atuais. “Eu tenho 22 anos de Scania. Passei por diversos setores da empresa até chegar na fábrica de motores, onde sou responsável por mais de 350 profissionais, na maioria homens. Quando cheguei, a reação de todos foi de espanto. Porém, o segredo para que eu alcançasse o respeito da equipe foi a humildade. Cumprimentar a todos, ouvir e não se importar com brincadeiras, e acima de tudo mostrar resultados; é a partir daí que as pessoas começam a te respeitar; com trabalho e resultados”, destacou Suzana, responsável pela fábrica de motores da montadora.

PALESTRA COM GERENTES DA SCANIA (147)O dinamismo e o envolvimento com diversas áreas na empresa foram pontos destacado pelas executivas como um diferencial agregador na carreira. Roberta Serra Negra, por exemplo, atuou em setores como logística e compras, antes de chegar ao setor de cabinas onde é responsável por mais de 450 profissionais. “Esse envolvimento com diversos setores, processos diferentes, pessoas, contribui muito para que você adquira experiência o suficiente para encarar desafios maiores, como foi o meu caso. Eu sou muito feliz com o que eu faço justamente porque sou desafiada o tempo todo, e consequentemente valorizada também”, ressaltou.

Desafios é que não faltam na vida das executivas, principalmente com a chegada da maternidade. Cada uma das profissionais passou duas vezes por essa fase, e o segredo, segundo as mamães executivas, é compreender que a gravidez também é uma escolha e que é preciso estar preparada para as mudanças que acontecerão, inclusive conciliar o tempo. “Nós tiramos força de onde não tem, mas ao mesmo tempo a maternidade me ajudou a ter disciplina com os horários. Eu sei que determinada hora eu preciso encerrar o meu trabalho e ir buscar meus filhos na escola, e o período em que estou com eles eu realmente sou deles e para eles”, explicou Roberta.

PALESTRA COM GERENTES DA SCANIA (166)Formadas em Engenharia de Produção Mecânica pela FEI, Renata e Roberta comentaram da emoção em retornar à FEI e de como a Instituição teve um papel fundamental em suas carreiras. “Hoje, quando eu estava caminhando pelo campus, comecei a lembrar e pensar em como a FEI foi importante para a minha vida, pois foi por meio do conhecimento que ela me proporcionou e pelo reconhecimento que ela sempre teve na indústria que eu cheguei aonde estou. Faz parte da minha vida”, lembrou Renata.

Roberta também destacou a importância da FEI em sua carreira, mas ressaltou além disso a dedicação e o empenho do profissional em qualquer área e empresa que trabalhar. “Não adianta ter somente um diploma da FEI. É preciso se dedicar, buscar sempre entregar o melhor; essa é a única maneira de ser um profissional destacado, seja homem ou mulher”.

 

InfoFEI - Informativo do Centro Universitário FEI