14 dez

Oficinas de Capacitação para Criatividade e Inovação

Atento às novas tecnologias e tendências para o futuro, o Centro Universitário FEI promoveu a um grupo de alunos que participam ativamente da atividades acadêmicas e representações estudantis, nos últimos dias 6 e 7, 10 e 11 de dezembro, no campus São Bernardo do Campo/SP, as Oficinas de Inovação e Criatividade, que contemplam a Plataforma de Inovação da FEI, com o apoio de diversos docentes e mentores, que conduziram as dinâmicas e debates com maestria e muita qualidade. O intuito das oficinas é promover uma transformação institucional e preparar os alunos a serem aptos a formular soluções capazes de resolver os grandes desafios do futuro, e torná-los grandes influenciadores, transmitindo esse espírito inovador aos colegas.

IMG_1

Os encontros foram extremamente provocativos no sentido de estimular nos participantes à criatividade, a capacidade para inovar e quebrar paradigmas, além de capacitá-los a serem solucionadores de problemas mal estruturados, de modo que possam protagonizar e desempenhar papéis e funções extremamente importantes no ambiente pessoal e profissional, a fim de contribuir para o desenvolvimento da humanidade, construindo novas ideias e projetos inovadores.

Durante dois dias, as turmas tiveram a oportunidade de conhecer e experimentar técnicas que otimizam as visões em grupo, métodos de criatividade (Brainstorming, Sinética, Morfologia) e suas variações. Muita comunicação e dinâmica, positividade e estímulo perduraram os encontros.

IMG_3

O Engenheiro Mecânico, Professor e Coordenador da Plataforma de Inovação da FEI, Gustavo Donato, mostrou-se bastante satisfeito com os resultados, e desempenho dos alunos durante e após os encontros: “Momentos excelentes, os alunos em dois dias evoluíram muito. Se abrem e enxergam muito mais possibilidades, aguçam a criatividade, que muitos têm, mas acabam exercitando. Isso nos energiza muito como professores. Nós aprendemos muito com eles, e principalmente ficamos muito felizes com a evolução que obtivemos. ”

IMG_2

A aluna de Engenharia de Produção, Danielle de Oliveira, apresentou ao final do último dia de capacitação, suas considerações acerca das competências desenvolvidas: “A criatividade não pode ter barreiras. Devemos sempre buscar a inovação, quebrar as perspectivas criadas pela sociedade, como por exemplo: um carro com rodas. Por que não um carro sem rodas? Você pode ter benefícios em uma ideia como essa. Isso é quebrar paradigmas.” A futura engenheira ressaltou a importância do trabalho em equipe para o processo de inovação: “ O curso de inovação proposto pela FEI me ajudou em muitos aspectos, principalmente na atividade em grupo. Fizemos muitas dinâmicas e podemos perceber o quão importante é trabalhar em equipe”, finalizou Danielle.

Ao término das oficinas, foi possível visualizar a satisfação de terem sido contemplados com tamanho conhecimento e aprendizado, a capacidade de vislumbrar uma realidade imaginária que transpõe a fronteira do hoje e bloqueio da criatividade. De fato, todas as pessoas são criativas. Amplificar nosso entendimento e aceitação ao que é novo, e a maneira que criamos e trabalhamos nossa identidade visionária, são fatores determinantes para a criatividade seja desencadeada. O Centro Universitário FEI demonstra estar cada vez mais engajado e disposto a formar e desenvolver profissionais capazes de participar da construção de um futuro de muito bem-estar e qualidade de vida para nossa sociedade.

IMG_9098

Confira no vídeo abaixo, os depoimentos na íntegra e um breve resumo sobre como foram os encontros:

28 nov

Concurso Travessia celebra sua 10ª edição

45382059412_d52146fa9b_b

Para a FEI, o contato com alunos(as) do ensino médio é a porta de entrada para orientar milhares de estudantes que, amanhã ou depois, estarão nas dependências da Instituição disputando uma vaga em um dos cursos superiores oferecidos. Isso quer dizer que, essa porta de entrada, traz consigo grande responsabilidade e impacto, uma vez que envolve a decisão do futuro profissional desses(as) estudantes. Uma abordagem adequada, interessante e responsável faz toda a diferença.

É justamente a diferença que torna, então, o Concurso Travessia da FEI único e aguardado para muitos colégios do Ensino Médio. Criado em 2009 pelo Departamento de Engenharia Civil, a proposta principal do evento é desafiar jovens à criação de uma ponte, mas utilizando recursos um tanto quanto “simples”: palitos de sorvete, cola, clipes e barbantes. Além da criação, as pontes também são levadas a testes de peso, o que torna o desafio ainda maior. Frente à esta tarefa, uma série de conceitos teóricos de Engenharia, principalmente Física, é aplicada à ponte para que esta seja construída de maneira adequada. E é nesse ponto que o Concurso Travessia conquista os estudantes: ele apresenta a Engenharia na prática de maneira lúdica.

45382060812_665e784a52_b

Realizado nos dias 04 e 05 de outubro, no campus São Bernardo do Campo, a edição de 2018 celebrou 10 anos de evento e, por isso, proporcionou aos participantes alguns detalhes extras.

“Chegamos aos 10 anos e para nós é uma grande felicidade. A 10ª edição tem um significado muito especial, pois as pontes têm a condição de serem em vários tipos: modelos já utilizados no ano passado e também modelos novos. Acho que é um grande estímulo, de fato”. Comenta o professor coordenador do curso de Engenharia Civil da FEI, André Kurt Pereira Amann.

45382061502_57deabb336_b

Os(as) alunos(as) participantes não estão sozinhos neste desafio, os professores os acompanham, vibram juntos e reconhecem: “Esse Concurso Travessia é muito importante, porque os alunos conseguem aplicar na prática o que eles aprendem em Física, Matemática. E depois o interesse deles [por essas matérias] fica ainda maior em sala de aula”, comenta Márcio Luís da Silva, professor de Física do Colégio da Polícia Militar de Santo André/SP.

No vídeo abaixo, veja depoimentos dos participantes do Concurso Travessia 2018.

Todas as fotos do evento podem ser vistas neste link.

Até o próximo post 😉

 

31 out

Como ter um melhor rendimento no ENEM?

thumbenem cpia

Nos próximos dias 04 e 11 de novembro de 2018, milhares de alunos(as) de todo o País realizarão o Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM). Para muitos, essa é a oportunidade de mudar de vida, uma vez que muitas instituições de ensino, públicas e particulares, utilizam a nota da avaliação como forma de ingresso em seus cursos. O Centro Universitário FEI, inclusive, é uma delas. Referência nas áreas de Administração, Ciência da Computação e Engenharia, a Instituição permite que os candidatos do Vestibular apliquem suas notas do ENEM como forma de apoio ou mesmo ingresso direto, dispensando o exame institucional.

Pensando em apoiar esses estudantes, o professor e chefe do Departamento de Física da FEI, Roberto Baginski, gravou um vídeo com ótimas dicas que podem ajudar em um melhor rendimento no ENEM. Clique aqui e assista!

Prof. Baginski ENEM

Professor da FEI dá dicas para um melhor rendimento no ENEM 2018:

24 jul

Engenheira FEIana é peça-chave na BMW do Brasil

Orgulho FEI_BMW

O sucesso de alunos do Centro Universitário FEI é sempre motivo de orgulho e fonte de inspiração para outros estudantes, professores e funcionários da Instituição. Hoje, apresentamos neste post a Engenheira Mecânica Gleide Souza, formada pela FEI, que tem recebido destaque por suas contribuições ao País, nos avanços das regulamentações e investimento para carros autônomos.

Gleide possui um rico histórico profissional e de conquistas. Foi contratada pela BMW em 2007 com a missão de manter um bom relacionamento com fornecedores do mundo todo, além de coordenar compras internacionais. Após 5 anos, o seu desafio era encontrar um local para a empresa alemã fabricar seus carros no País, frente às adversidades burocráticas, de impostos e legislações. E o êxito dessa árdua missão fez nascer a fábrica da BMW na cidade de Araquari, em Santa Catarina e rendeu um novo direcionamento profissional à Gleide: ela se tornou Diretora de Relações Governamentais da BMW no Brasil.

E os avanços não param!

Agora, em 2018, a BMW deu início à produção do primeiro carro semiautônomo do Brasil. O modelo é o utilitário-esportivo X3 M40i, versão mais equipada do xDrive30i X Line.

2018-bmw-x3-m40i-4

Para a FEI, é uma honra fazer parte da história profissional de Gleide Souza. Leia toda a trajetória da Engenheira FEIana neste link.

03 jul

Olimpíada Brasileira de Robótica na FEI

5

Nos dias 29 e 30 de junho, o Centro Universitário FEI sediou a etapa regional da OBR – Olímpiada Brasileira de Robótica. O evento é destinado a alunos do ensino fundamental e médio, que reunidos em equipes em nome de suas escolas, projetam, desenvolvem, programam e competem entre si com robôs autônomos. Apesar da pontuação e seleção dos melhores times para a etapa seguinte do torneio, o principal objetivo da OBR é incentivar esses jovens a conhecerem e praticarem o mundo da inteligência artificial.

A maioria das equipes começa a projetar seus robôs aproximadamente um ano antes do torneio. É um desafio multidisciplinar, afinal, o projeto envolve diversas disciplinas, como: programação, matemática, física e até design automotivo, para construção de um modelo robusto com melhor desempenho durante a utilização.

2

Aos 17 anos, Breno Gomes é aluno do Instituto Alpah Lumen e está participando da OBR pela segunda vez. Para ele, a experiência é única e traz ótimas noções de trabalho em equipe, característica fundamental em qualquer profissional da atualidade. “É uma experiência que faz você crescer bastante, tanto na programação quanto na robótica e, também, em trabalho em equipe.”, completa o aluno.

Para Ana Clara Alves, aluna do Instituto Federal de São Paulo, a experiência teve um gosto especial, pois essa foi a primeira vez da estudante na competição. “Foi uma experiência muito inovadora e boa. Eu vim em busca de conhecimento e acho que consegui. Espero melhorar para o ano que vem.”

1

Diante deste cenário, nada melhor do que uma Instituição como a FEI, referência em robótica no Brasil e no mundo, para servir de casa à competição. Esses estudantes têm contato direto com o ambiente universitário e também com a própria equipe Robô FEI, uma das principais do País. As equipes vencedoras competirão, em setembro, na etapa estadual da OBR.

Veja mais no vídeo abaixo:

Curta nossa página no Facebook

Twitter