09 jan

Mercado em franca ascensão no Brasil

As áreas de ar condicionado, aquecimento, refrigeração e ventilação estão em alta na economia nacional. Segundo a Associação Brasileira de Refrigeração, Ar Condicionado, Ventilação e Aquecimento (ABRAVA), em 2011 o setor apresentou crescimento de 14% e, para 2013, a estimativa de expansão é de 8%, com faturamento previsto de US$ 15 bilhões. A indústria deve receber US$ 9 bilhões desse valor, impulsionada pela refrigeração em transportes e conservação de alimentos e bebidas, enquanto o setor de serviços estima movimentar US$ 2,5 bilhões e o de comércio US$ 2,4 bilhões. O aumento na fabricação de sistemas de climatização resultará, ainda, no desenvolvimento de oportunidades profissionais em diferentes etapas de criação e manutenção de projetos. Atualmente, a região Sudeste concentra 61% do setor.

Segundo o professor mestre Hugo Lagreca Filho, coordenador do curso de pós-graduação em Refrigeração e Ar Condicionado e docente do Departamento de Engenharia Mecânica do Centro Universitário da FEI, há muitos desafios envolvidos no crescimento do segmento. “No Brasil, está se iniciando a utilização de equipamentos de ar condicionado. A procura ainda está limitada aos grandes centros urbanos e tende a crescer nas outras regiões”, observa. O especialista aponta que o mercado de climatização carece de profissionais para acompanhar a expansão e para qualificar a mão de obra técnica.

A preparação para o desenvolvimento de sistemas de climatização eficientes em diferentes setores é uma das competências valorizadas na área. Os profissionais especializados em ar condicionado, aquecimento, refrigeração e ventilação podem trabalhar, por exemplo, nos segmentos hospitalar e de edificações. “É possível atuar em organizações que fabricam equipamentos de refrigeração, em companhias que realizam instalações, em empresas que desenvolvem projetos e também em consultorias”, detalha o docente.

Com o propósito de preparar os alunos para as diferentes demandas do setor, a pós-graduação em Refrigeração e Ar Condicionado oferecida pela instituição proporciona conteúdos avançados sobre o assunto, tendo como base princípios da Termodinâmica, Mecânica dos Fluidos e Transferência de Calor, requeridos para o desenvolvimento de projetos de refrigeração e climatização. “O referencial teórico é um dos diferenciais proporcionados pelo curso. Este ponto em comum entre Engenharia Mecânica e Energia é considerado difícil, pois exige conhecimentos anteriores com profundidade”, salienta.

A especialização é estruturada em três módulos. O primeiro aborda Refrigeração e possui enfoques nos setores comerciais e industriais. Para tanto, são administrados conteúdos sobre Fundamentos de Equipamentos e Sistemas, Conservação de Alimentos e Produtos Perecíveis, Aplicações Comerciais e Industriais da Refrigeração, Projetos e Manutenção de Equipamentos e Sistemas de Refrigeração. A etapa seguinte é dedicada ao Ar Condicionado. Com uma abordagem ampla, os conteúdos contemplam Fundamentos, Equipamentos, Projetos de Sistemas de Ar Condicionado, Acústica, Manutenção de Equipamentos, Conservação e Recuperação de Energia. O terceiro módulo contém elementos de Ventilação, com Fundamentos, Distribuição de Ar, Projeto de Sistemas de Ventilação Geral e Local, Exaustora e Ventiladores.

_____________

Saiba mais sobre o curso de Especialização – Refrigeração e Ar-condicionado clicando aqui!

_____________

Matéria publicada na revista Domínio FEI – Nº17 (pág 38)

Curta nossa página no Facebook

Twitter