25 ago

FEI Baja conquista Prata na competição SAE Brasil

Mais uma conquista confirma a equipe FEI Baja como uma das melhores do País.

1 baja

No último fim de semana, 19 e 20 de agosto, a equipe FEI Baja subiu ao pódio em Piracicaba/SP, para receber o prêmio pelo 2º lugar conquistado na competição Baja SAE Brasil, etapa sudeste. As provas desafiaram 34 equipes, formadas por alunos de engenharia de diferentes faculdades, em diversas modalidades. Ao todo foram mais de 660 estudantes.

No sábado, 19, as provas foram diversificadas entre apresentação teórica dos projetos e avaliação de segurança, motor e frenagem. No período da tarde, testes práticos e desafiadores colocaram os veículos à prova de suspensão, capacidade de tração e pilotagem.

3 Baja

No domingo, 20, a competição mais aguardada de todas: o Enduro. Durante três horas os veículos foram submetidos a um terreno acidentado, um verdadeiro teste de resistência.

4 baja

A equipe FEI, tradicional por colecionar troféus da competição, alguns internacionais, obteve ótimas classificações nas provas, que renderam o 2º lugar na classificação geral e nas categorias:

Conforto

Projeto

Dinâmica

Enduro

2 baja

Com foco e determinação, o próximo passo do time é se classificar entre os 3 primeiros colocados na Etapa Nacional, garantindo assim a vaga no mundial que acontecerá em maio de 2018, nos Estados Unidos.

Vai, Baja!

21 ago

Vantagens do Programa de Iniciação

Confira neste texto as vantagens em participar de um Programa de Iniciação. 

1

Vivemos hoje em um cenário que, cada vez mais, exige conhecimento de um estudante universitário. Entretanto, essa demanda nem sempre pode ser atendida apenas com o conteúdo lecionado em sala de aula. É preciso buscar o saber a partir de perguntas. O estudante que assume o papel de questionador e busca solucionar problemas, tem vantagens que podem servir para o seu crescimento, pessoal e profissional, destacando-se no mercado de trabalho.

Para isso, participar de um Programa de Iniciação é uma das melhores maneiras de manter o conhecimento em constante mudança, sempre em alta.

Ao participar do projeto, o aluno desenvolverá uma pesquisa sobre algum tema, relacionado ao seu curso, orientado por professores, mestres e doutores. Uma chance ímpar de trocar experiências.

Listamos aqui 3 grandes vantagens que todo aluno tem, ao ingressar em um Programa de Iniciação. Confira

– Aumento da Empregabilidade

Diferente do que muita gente pensa (ou associa), participar de um Programa de Iniciação durante a faculdade não significa seguir somente a carreira acadêmica. As empresas e seus recrutadores valorizam quem participa desses projetos, uma vez que é necessário ser responsável, ter um olhar crítico e propor soluções de problemas.

– Networking e troca de conhecimento

Imagine que você, ainda no primeiro ano da graduação, já tem em mãos um projeto de estudo no qual precisará o tempo todo estar em contato com professores e alunos da graduação, pós-graduação e, indo além, mestrado e doutorado. Essa é mais uma rica vantagem em participar do Programa de Iniciação, onde o networking profissional vem de forma natural, assim como o conhecimento.

– Apoio para o curso de graduação

Todo o resultado que você obtém com seu projeto de pesquisa, durante a Iniciação, pode ser utilizado de diversas formas. Uma delas é durante o seu próprio curso de graduação, por exemplo: no TCC – Trabalho de Conclusão de Curso. Os dados obtidos, respostas e conclusões sobre determinados assuntos, podem servir de embasamento para o seu projeto no fim do curso, enriquecendo novamente para o seu currículo, voltando ao primeiro item que listamos aqui. Incrível, não é mesmo? Vantagens do conhecimento.

2

No próximo dia 23 de agosto, no campus São Bernardo do Campo da FEI, haverá uma palestra apresentando os Programas de Iniciação da Instituição. Participe e venha evoluir seus conhecimentos!

1

28 jul

AeroDesign FEI: voando alto em conhecimento.

Projetando aeronaves rádio-controladas, alunos do Centro Universitário FEI se desenvolvem no ramo aeronáutico, participando também de grandes campeonatos nacionais.

Areo Blog 1

Grandes desafios não faltam para alunos do Centro Universitário FEI. Além do conhecimento adquirido em sala de aula, formando profissionais capacitados nas áreas de Engenharia, Administração e Ciência da Computação, os projetos e atividades extracurriculares são ótimas oportunidades de evoluir ainda mais o aprendizado, vivenciando na prática o dia a dia do mercado de trabalho.

Essa é a realidade dos alunos que participam do projeto AeroDesign FEI, que proporciona o desenvolvimento dos estudantes de engenharia no ramo aeronáutico. Em particular, o AeroDesign se destaca, pois, sua demanda de trabalho enriquece sobremaneira os currículos dos alunos, uma vez que não há na grade curricular da FEI a disciplina de Engenharia Aeronáutica; entretanto, esse fato não descredencia nosso Centro Universitário frente às outras instituições, uma vez que a equipe sempre se destaca por seus trabalhos, inovações e projetos realizados.

Aero Blog 2

Uma prova desse destaque se dá pelos méritos. Por exemplo, graças ao centro de laboratórios mecânicos bem estruturados e conhecimento agregado da equipe, o Centro Universitário FEI é a única instituição que tem a permissão de fabricar a própria hélice, sendo também o único em nível nacional a desenvolver um sistema que reduz a rotação do motor, possibilitando um aumento no torque e a utilização de uma hélice maior, com maior tração. Além disso, todo esse conhecimento é colocado à prova: o time participa da competição nacional SAE Brasil AeroDesign, nas categorias Micro e Regular, figurando entre os melhores do País, em 3º e 7º lugares, respectivamente.

Aero Blog 3

Para saber mais, acompanhe o AeroDesign FEI no Facebook

Até o próximo post 😀

 

20 jun

Projeto PACE-FEI – Imersão de tecnologia e futuro

Pace

Projeto REVO, desenvolvido pelo PACE-FEI, em exposição.

Os alunos do Centro Universitário FEI contam com sete projetos institucionais, como Fórmula FEI, Baja, Aero Design entre outros, que proporcionam o desenvolvimento profissional em diversas áreas. Um desses projetos é o PACE-FEI, que surgiu a partir de uma parceria firmada entre a General Motors (GM) e a Instituição.

Essa parceria permitiu aos alunos participarem do programa global “Partners for the Advancement of Collaborative Engineering Education” (PACE), que possui hoje diversas universidades do mundo inteiro e somente duas brasileiras, já incluindo a FEI.

O programa PACE permite que os alunos desenvolvam novas ideias para o setor automotivo, de maneira atualizada com tecnologias modernas e mão de obra qualificada. Esse desafio é encarado com seriedade, afinal, é preciso que os estudantes analisem os custos, viabilidade e projeto de fabricação, além de trabalharem em equipe com alunos de outras universidades que também fazem parte do programa. Uma imersão de aprendizado e olhar no futuro.

Em 2015 a equipe PACE-FEI participou de sua primeira competição com dois temas diferentes. Esses temas mudam de dois em dois anos, assim como os times globais formados pelo PACE, permitindo assim uma interação entre todas as 58 universidades participantes.

Pace 2

Projeto REVO – Elaborado para transportar de uma a três pessoas.

O projeto apresentado na imagem acima, Revo, foi elaborado para transportar de uma a três pessoas e possui um bagageiro. Sua produção foi feita a mão com placas de poliuretano e apresentado em escala 1:3.

De acordo com seus idealizadores, ele é para uso público e pode ser alugado por determinado trecho e período.

PAce3

Parte da equipe PACE-FEI com o projeto Revo.

Se interessou? Confira mais sobre o projeto no vídeo abaixo:

 Até o próximo post 🙂

 

06 nov

Engenharia de Materiais faz sucesso no campus com os Aluminions

No começo de 2015, os professores de Engenharia de Materiais Patrícia Calvão, Jorge Kolososki, Baltus Bonse e João Luís Abel, resolveram colocar em prática, um projeto que tinha por objetivo mostrar aos alunos um dos valores dos materiais de engenharia. O Grupo REC, composto pelos quatro professores, propôs uma atividade que transformasse a visão sobre reciclagem, mostrando que o que muitas vezes é tratado como lixo reciclável, é na realidade um material de engenharia que possui vasta aplicação, principalmente se forem utilizados os conhecimentos desenvolvidos nessa área da Engenharia.

A maneira como os professores encontraram, foi simples: utilizar latas de alumínio, um produto que é automaticamente considerado lixo-reciclável e mostrar, na prática, que o material não morre e que reciclá-lo é fazer com que desempenhe seu papel como material de engenharia da mesma ou sob nova forma. Foi assim que nasceram os Aluminions: pegue uma ideia, acrescente uma boa dose de conhecimento de engenharia e você tem um projeto de grande sucesso entre os alunos, inclusive de outros cursos. A Professora Patrícia Calvão ressalta que o sucesso dos Aluminions foi inesperado: “Achávamos que íamos receber uns cinquenta pedidos, mas ao final do projeto, os alunos de Materiais confeccionaram mais de trezentos Aluminions.

Alunos do 3º e 9º ciclo trabalharam juntos para desenvolver o projeto dos Aluminions.

Alunos do 3º e 9º ciclo trabalharam juntos para desenvolver o projeto dos Aluminions.

O projeto foi pensado e planejado pelos professores e colocado em prática integrando alunos de dois ciclos diferentes do curso de Engenharia de Materiais. O aluno Luis Ferlante, estudante do 10º ciclo, conta como o trabalho foi dividido entre os ciclos: “Os alunos do 3° ciclo tinham acabado de entrar no curso de Engenharia de Materiais e eram responsáveis pela divulgação e coleta de materiais de engenharia, enquanto os alunos do 9° ciclo eram responsáveis pela fundição dos Aluminions e transmissão do conhecimento aos alunos dos ciclos inferiores que vieram colaborar nesse processo. ”.

A Professora Patrícia ministra a disciplina “Introdução à Engenharia de Materiais” e conta que o projeto Aluminions, além de compor a nota dos alunos do terceiro semestre, também despertava o interesse desses alunos para processos e conhecimentos que eles veriam ao longo do curso.

O aluno Luis Ferlante ressalta que o projeto trouxe grande visibilidade para o curso de Engenharia de Materiais: “A maioria das pessoas, incluindo alunos, não sabe o que faz um Engenheiro de Materiais, o que resulta em equívocos no âmbito da carreira profissional. Por isso a importância da divulgação, é uma maneira de mostrar, dentro e fora da FEI, o trabalho do curso de Engenharia de Materiais. Por meio desse projeto, várias pessoas já sabem, por exemplo, que é possível transformar materiais de engenharia já processados (latas de alumínio) em outras coisas, como Aluminions, através de uma técnica estudada no curso Engenharia de Materiais: o processo de fabricação por fundição. ”.

Ao todo foram produzidos mais de 300 Aluminions entregues aos alunos que trouxeram as latinhas de alumínio.

Ao todo foram produzidos mais de 300 Aluminions entregues aos alunos que entregaram latinhas de alumínio.

A mensagem que o projeto dos Aluminions deixa é que quando se joga material fora, se joga também recursos como energia, água e tempo. O Professor Abel, ressalta que a reciclagem vai muito além do que as pessoas imaginam e que o estereótipo lixo-reciclável precisa ser quebrado. “A ideia do Grupo REC é trazer continuamente projetos que integrem alunos de ciclos diferentes e que evidenciem o valor dos materiais de engenharia e da Engenharia de Materiais. ”. Parece que vem novidade por aí!

Curta nossa página no Facebook

Twitter