14 dez

FEI no 7º Simpósio SAE de Híbridos e Elétricos.

O Salão do Automóvel, principal evento automobilístico do Brasil, sediou no dia 13 de novembro o 7º Simpósio SAE (Sociedade de Engenheiros da Mobilidade) de Veículos Híbridos e Elétricos, e com certeza, o Centro Universitário FEI marcou presença, muito bem representado pelo Professor Fábio Delatore, responsável pelo veículo elétrico do projeto Fórmula FEI.

Nosso docente recebeu um convite da comissão de Veículos Híbridos e Elétricos da SAE, para que participasse de uma discussão muito produtiva dentro do painel MotorSports, junto à outras duas equipes e o piloto brasileiro campeão da Fórmula E, Lucas Di Grassi, sobre como o projeto Fórmula Elétrico contribui para a formação dos alunos e preparação para inserção deles no mercado de trabalho do segmento.

Questionado sobre os caminhos que o projeto abre para os alunos, Delatore relata que sua equipe: “opta por trabalhar no Fórmula com as mesmas tecnologias que são utilizadas em muitas das principais categorias de automobilismo. Então, o aluno se forma com um amplo engajamento nas diferentes frentes que um automóvel necessita para um bom funcionamento”.  Ainda, segundo ele: “os alunos que participam e gerenciam esse tipo de atividade, têm sido amplamente aproveitados por diversas categorias de MotorSports e montadoras.”.

46233669_1885681901499850_1947258745176195072_n

O Piloto Lucas Di Grassi em rápida entrevista, reafirmou a importância das universidades para o desenvolvimento de novos estudos e projetos, e crescimento do mercado no país: “Sem dúvida, é muito importante gerar esse conhecimento local, gerar essa capacidade de desenvolvimento tecnológico nacional. Então, a base disso é a educação, são as universidades. Para esse mercado novo e tecnologia nova, que vai se expandir tanto, eu acho que precisamos criar um ecossistema de indústria nacional forte, e esse é o papel das universidades. No que eu puder ajudar e desenvolver dentro desse segmento no país, acho que poderemos ter um retorno imensurável para o futuro. ”

46137169_1885681931499847_7075661232329457664_n

A participação do Centro Universitário FEI em eventos como o Simpósio SAE, que promovem o debate e interação de empresas voltadas ao desenvolvimento de projetos que, terão desempenho fundamental na sociedade, reforça a importância da Instituição e seu posicionamento no mercado atual. Significa que estamos desenvolvendo jovens inovadores e criativos, capazes de visualizar e projetar um futuro brilhante, do qual serão protagonistas das principais mudanças que se descortinam para os próximos anos.

Confira no vídeo abaixo, nossa matéria sobre a participação da FEI no 7º Simpósio SAE:

14 dez

Oficinas de Capacitação para Criatividade e Inovação

Atento às novas tecnologias e tendências para o futuro, o Centro Universitário FEI promoveu a um grupo de alunos que participam ativamente da atividades acadêmicas e representações estudantis, nos últimos dias 6 e 7, 10 e 11 de dezembro, no campus São Bernardo do Campo/SP, as Oficinas de Inovação e Criatividade, que contemplam a Plataforma de Inovação da FEI, com o apoio de diversos docentes e mentores, que conduziram as dinâmicas e debates com maestria e muita qualidade. O intuito das oficinas é promover uma transformação institucional e preparar os alunos a serem aptos a formular soluções capazes de resolver os grandes desafios do futuro, e torná-los grandes influenciadores, transmitindo esse espírito inovador aos colegas.

IMG_1

Os encontros foram extremamente provocativos no sentido de estimular nos participantes à criatividade, a capacidade para inovar e quebrar paradigmas, além de capacitá-los a serem solucionadores de problemas mal estruturados, de modo que possam protagonizar e desempenhar papéis e funções extremamente importantes no ambiente pessoal e profissional, a fim de contribuir para o desenvolvimento da humanidade, construindo novas ideias e projetos inovadores.

Durante dois dias, as turmas tiveram a oportunidade de conhecer e experimentar técnicas que otimizam as visões em grupo, métodos de criatividade (Brainstorming, Sinética, Morfologia) e suas variações. Muita comunicação e dinâmica, positividade e estímulo perduraram os encontros.

IMG_3

O Engenheiro Mecânico, Professor e Coordenador da Plataforma de Inovação da FEI, Gustavo Donato, mostrou-se bastante satisfeito com os resultados, e desempenho dos alunos durante e após os encontros: “Momentos excelentes, os alunos em dois dias evoluíram muito. Se abrem e enxergam muito mais possibilidades, aguçam a criatividade, que muitos têm, mas acabam exercitando. Isso nos energiza muito como professores. Nós aprendemos muito com eles, e principalmente ficamos muito felizes com a evolução que obtivemos. ”

IMG_2

A aluna de Engenharia de Produção, Danielle de Oliveira, apresentou ao final do último dia de capacitação, suas considerações acerca das competências desenvolvidas: “A criatividade não pode ter barreiras. Devemos sempre buscar a inovação, quebrar as perspectivas criadas pela sociedade, como por exemplo: um carro com rodas. Por que não um carro sem rodas? Você pode ter benefícios em uma ideia como essa. Isso é quebrar paradigmas.” A futura engenheira ressaltou a importância do trabalho em equipe para o processo de inovação: “ O curso de inovação proposto pela FEI me ajudou em muitos aspectos, principalmente na atividade em grupo. Fizemos muitas dinâmicas e podemos perceber o quão importante é trabalhar em equipe”, finalizou Danielle.

Ao término das oficinas, foi possível visualizar a satisfação de terem sido contemplados com tamanho conhecimento e aprendizado, a capacidade de vislumbrar uma realidade imaginária que transpõe a fronteira do hoje e bloqueio da criatividade. De fato, todas as pessoas são criativas. Amplificar nosso entendimento e aceitação ao que é novo, e a maneira que criamos e trabalhamos nossa identidade visionária, são fatores determinantes para a criatividade seja desencadeada. O Centro Universitário FEI demonstra estar cada vez mais engajado e disposto a formar e desenvolver profissionais capazes de participar da construção de um futuro de muito bem-estar e qualidade de vida para nossa sociedade.

IMG_9098

Confira no vídeo abaixo, os depoimentos na íntegra e um breve resumo sobre como foram os encontros:

03 jul

Olimpíada Brasileira de Robótica na FEI

5

Nos dias 29 e 30 de junho, o Centro Universitário FEI sediou a etapa regional da OBR – Olímpiada Brasileira de Robótica. O evento é destinado a alunos do ensino fundamental e médio, que reunidos em equipes em nome de suas escolas, projetam, desenvolvem, programam e competem entre si com robôs autônomos. Apesar da pontuação e seleção dos melhores times para a etapa seguinte do torneio, o principal objetivo da OBR é incentivar esses jovens a conhecerem e praticarem o mundo da inteligência artificial.

A maioria das equipes começa a projetar seus robôs aproximadamente um ano antes do torneio. É um desafio multidisciplinar, afinal, o projeto envolve diversas disciplinas, como: programação, matemática, física e até design automotivo, para construção de um modelo robusto com melhor desempenho durante a utilização.

2

Aos 17 anos, Breno Gomes é aluno do Instituto Alpah Lumen e está participando da OBR pela segunda vez. Para ele, a experiência é única e traz ótimas noções de trabalho em equipe, característica fundamental em qualquer profissional da atualidade. “É uma experiência que faz você crescer bastante, tanto na programação quanto na robótica e, também, em trabalho em equipe.”, completa o aluno.

Para Ana Clara Alves, aluna do Instituto Federal de São Paulo, a experiência teve um gosto especial, pois essa foi a primeira vez da estudante na competição. “Foi uma experiência muito inovadora e boa. Eu vim em busca de conhecimento e acho que consegui. Espero melhorar para o ano que vem.”

1

Diante deste cenário, nada melhor do que uma Instituição como a FEI, referência em robótica no Brasil e no mundo, para servir de casa à competição. Esses estudantes têm contato direto com o ambiente universitário e também com a própria equipe Robô FEI, uma das principais do País. As equipes vencedoras competirão, em setembro, na etapa estadual da OBR.

Veja mais no vídeo abaixo:

21 maio

FEI contribui para pesquisa no setor visual

As áreas da Engenharia e Ciência da Computação têm exercido um importante papel na evolução e criação de novas tecnologias a favor da saúde. Sistemas inteligentes, automatizados e dinâmicos podem trazer resultados e diagnósticos cada vez mais precisos, possibilitando assim uma solução mais eficaz. No embalo desse cenário encontramos também diversas startups em todo o mundo, beneficiando a área da saúde com criatividade e inovação. O LAPAN – Laboratório de Ciências Aplicadas e Neurociências da Visão da Faculdade de Engenharia da UFMG em parceria com o Hospital de Olhos de Minas Gerais tem sido um dos mais produtivos em artigos, teses de mestrado e doutorado e registro de patentes.

palestra1

Na última sexta-feira, 18 de maio, os alunos do Centro Universitário FEI puderam assistir a palestra “Sistema Visual”, ministrada pelo Prof. Dr. Ricardo Guimarães, médico oftalmologista e diretor de pesquisas clínicas do LAPAN. Durante o encontro, Dr. Ricardo apresentou os temas nos quais a UFMG e Hospital de Olhos estão têm pesquisado em conjunto, também com o apoio do Centro Universitário FEI. Incentivar a pesquisa em prol do bem-estar é preparar os alunos, futuros profissionais, para os desafios do futuro que serão parte da vida de todos nas próximas décadas.

palestra2

Venha Realizar o Novo com a FEI! As inscrições para o Vestibular do Meio do Ano estão abertas. Clique aqui!

Vestiba

27 abr

FEI na FEIMEC 2018

6

Promover um ensino de qualidade, alinhado às demandas do mercado de trabalho, só é possível porque a FEI está constantemente atualizada com as mudanças do setor, inovações e tendências. Além das pesquisas e estudos realizados na Instituição, é preciso que professores e alunos sejam levados além do campus, tendo contato real com a indústria e todo o cenário mundial que fazem parte do cotidiano de profissionais da área.

A FEIMEC – Feira Internacional de Máquinas e Equpamentos, reuniu entre os dias 24 e 28 de abril, grandes marcas da indústria e suas inovações, conceitos e, principalmente, tendências para as próximas décadas. Sempre atenta, a FEI marcou presença no evento promovendo um diálogo entre alunos, professores e todos os profissionais presentes.

Em uma área chamada “Parque de Ideias”, um estande da FEI foi montado para apresentação de alguns trabalhos desenvolvidos por alunos e, também palestras com professores. Uma via de mão dupla que condiz totalmente com o DNA do Centro Universitário FEI desde sua criação: apoiar o desenvolvimento tecnológico e ser referência no País.

2

Em entrevista, o professor do curso de Engenharia de Produção da FEI, Alexandre Massote, comentou: “A FEI surgiu justamente para dar apoio ao desenvolvimento industrial, principalmente do Estado de São Paulo. Essa feira é uma ótima oportunidade para a FEI, de cada vez mais ficar perto dessas empresas. Os alunos serão futuros Engenheiros que trabalharão para as pessoas que estão expondo aqui”.

A todos que passavam pelo estande, uma curiosidade em comum: o veículo Fórmula FEI. Projetado por alunos de diversas Engenharias, como mecânica e elétrica, os estudantes levaram os dois modelos de carros que competem em níveis nacional e internacional. O primeiro apresentado foi o Fórmula Combustão, que para 2018 traz a injeção programável como novidade, além de muitas outras. E também o Fórmula Elétrico, que está alinhado a grande tendência dos veículos movidos à bateria. Um ponto interessante na exposição de projetos de alunos foi o Projeto SAMPE, da Engenharia de Materiais. O objetivo deste trabalho é construir pontes com um material leve, mas que suporta grandes pesos. Esse material foi utilizado no Design do veículo Fórmula, como estratégia para garantir uma melhor performance de velocidade no carro.

1

Enquanto os alunos trocavam conhecimentos com os visitantes, os professores palestravam para o público sobre o papel da FEI no desenvolvimento tecnológico do País. O professor Flavio Tonidanel, coordenador do curso de Ciência da Computação da FEI, apresentou sobre o futuro dos robôs inteligentes e como eles já são realidade no dia a dia de muitas pessoas. Os professores Fábio Lima, Alexandre Massote e Rodrigo Filev, dos cursos de Engenharia de Produção e Ciência da Computação, dialogaram sobre a Indústria 4.0 e como a FEI está inserida neste contexto.

3

Para o professor Alexandre Massote, essa troca de conhecimentos entre a FEI e a indústria é fundamental: “A palavra chave para o crescimento chama-se “Colaboração e Compartilhamento”. Então, a escola tem que compartilhar com a indústria aquilo que ela desenvolve. Por outro lado, as empresas têm que compartilhar com a escola no foco e na definição dos problemas”.

Veja mais destaques do evento no vídeo abaixo:

Faça parte desse mundo de inovação e desenvolvimento tecnológico com a FEI! As inscrições para o Vestibular estão abertas. Clique aqui e inscreva-se!

Até o próximo post 😉

Curta nossa página no Facebook

Twitter