24 out

Ex-aluno FEI e Diretor no Gartner, Carlos Sapateiro fala sobre as mudanças no Mercado de Trabalho

Carlos Sapateiro Facebook

O curso de Engenharia da FEI traz uma diversidade de desafios aos estudantes. É preciso ter disciplina, comprometimento e muito esforço, além da persistência. Quando somados, esses fatores fazem a diferença no currículo e preparam o profissional para o seu principal desafio: o mercado de trabalho.

Hoje, trazemos para vocês uma entrevista inspiradora com o Engenheiro Eletricista Carlos Sapateiro, formado pela FEI, que atualmente ocupa o cargo de Diretor de Desenvolvimento de Negócios no Gartner, multinacional americana, líder global em Aconselhamento e Pesquisas de Mercado no Segmento de Tecnologia. Confira:

1  De forma resumida, conte-nos como foi sua formação na FEI e como a Instituição o apoiou em seus caminhos profissionais.

Carlos: “A FEI foi um divisor de águas em minha vida. Sou formado em Engenharia Elétrica com ênfase em Eletrônica. A FEI é uma Instituição que lhe ensina para a vida. Ensina a se planejar e tomar decisões. A rigidez da FEI no seu compromisso com a educação e formação dos profissionais é muito séria e rica em conhecimento. Não aprendemos apenas os cálculos que fazem parte das grades curriculares da engenharia, a FEI nos ajuda a enfrentar problemas, a sermos resilientes e seguirmos em busca dos nossos sonhos. Até uma frustação com alguma nota que não tenha sido tão boa, hoje vejo que que isso só me deu robustez na vida corporativa para enfrentar com garra as negativas que temos em nosso dia a dia.”

2 – Você está no mercado de trabalho há mais de 20 anos. Para você, como as mudanças da sociedade, especialmente as tecnológicas, impactaram no dia a dia de um Engenheiro Eletricista?

Carlos: “Quando me formei, as Telecomunicações eram as áreas que mais demandavam profissionais da Engenharia Elétrica, tanto que meu início de carreira compus uma multinacional sueca de Telecomunicações, a Ericsson. A evolução tecnológica e o avanço da internet fizeram uma verdadeira revolução – e isso é extremamente importante para todos nós. Vejo o mercado e a evolução da tecnologia e da engenharia sempre a favor de todo segmento de mercado. Hoje tudo é conectado e móvel, a transformação digital é inevitável e faremos parte de toda essa mudança. A Inteligência Artificial e uso de robôs serão cada vez mais comuns em nosso dia a dia, isso será extremamente benéfico para toda a sociedade. Seremos todos impactados por estas mudanças e isso será maravilhoso. O engenheiro sempre estará acerca de toda essa transformação. Nosso papel consciente será de suma importância na orquestração destas evoluções.”

3 – Complementando a pergunta anterior, o que um profissional da área deve fazer para acompanhar essas mudanças ao longo dos anos?

Carlos: “Informação. A palavra chave sempre será ir em busca da informação. Ser curioso, ser perspicaz em busca e sede de conhecimento. Os profissionais deverão sempre se adaptar às mudanças. Ser um profissional resiliente também é uma forma de entender e tirar o melhor proveito de todas estas transformações. Hoje existem vários cursos de reciclagens, MBA/Pós-Graduação em temas voltados à TI/Evolução Tecnológica e Transformação Digital.

Carlos Sapateiro_5092Hoje estou no Gartner com a função de Diretor de Desenvolvimento de Negócios. O Gartner é uma multinacional americana, líder global em Aconselhamento e Pesquisas de Mercado no Segmento de Tecnologia. Entregamos aos nossos clientes os insights necessários para tomada de decisão, mitigando risco, diminuindo o tempo de tomada de decisão, otimizando investimentos. Minha responsabilidade é entender os principais desafios de negócio e de tecnologia dos clientes, alavancando melhores práticas de TI que os levem a superar seus resultados. Promovendo isso, a TI se transforma em um ativo estratégico fazendo com que as empresas se tornem mais competitivas enfrentando seus desafios de mercado.”

4 – Recentemente o Centro Universitário FEI realizou o Congresso de Inovação, um evento que tem como objetivo inserir os alunos da Instituição à realidade do mercado, principalmente sobre as mudanças do futuro. Na sua opinião, quais são as principais tendências na área de Engenharia Elétrica para os próximos anos?

Carlos – Excelente iniciativa da FEI, sempre pioneira na interação entre indústria e aluno. Não adianta formar profissionais teóricos. A FEI sempre zelou por formar profissionais prontos para o mercado de trabalho e estas interações com a realidade enaltece o conhecimento dos futuros engenheiros que se lançarão ao mercado. As principais tendências no nosso mercado serão: o Mundo Digital, a Inteligência Artificial (IA) e a Internet das Coisas (IoT). Alinhadas à conectividade e mobilidade, essas tendências serão os grandes “drivers” destas transformações.

5 – Para finalizar, qual dica você gostaria de deixar para os alunos que estão atrás de um estágio e/ou uma oportunidade de trabalho? Como se destacar no mercado?

Carlos – A dica que eu daria seria sempre se esforçar acreditando no seu maior sonho. Foi assim que deu certo comigo! Venho de família de classe média porem sempre quis fazer o melhor e acreditando que venceria.  Sejam persistentes e resilientes para cair e se levantar. A FEI é excelente para nos ensinar e nos fortalecer para os tombos que tomamos durante os anos de graduação dentro da Engenharia. Hoje com mais maturidade, vejo que fez toda a diferença para mim na minha vida profissional e pessoal. Sempre que posso divido isso com minhas equipes e pessoas que me cercam.

Sapateiro

Se motivou com essa entrevista? Realize o Novo com a FEI! As inscrições para o Vestibular 2018 estão abertas. Clique aqui e inscreva-se.

Vestibular

17 out

Alunos apresentam seus projetos de pesquisa no SICFEI

4

No último dia 29 de setembro, no campus São Bernardo do Campo, aconteceu o VII SICFEI – Simpósio de Iniciação Científica, Didática e de Ações Sociais de Extensão da FEI.

O evento reuniu os principais projetos de pesquisa desenvolvidos por alunos, de todos os cursos, que participam do Programa de Iniciação Científica da FEI. Há algum tempo já listamos, aqui neste post, as principais vantagens e atribuições do programa.

O SICFEI congrega 4 vertentes em suas apresentações. São elas:

– Iniciação Científica;

– Iniciação Tecnológica e de Inovação;

– Didática;

– Ações de Extensão.

Para a exposição, os estudantes escrevem os seus trabalhos, apresentando as etapas das pesquisas já desenvolvidas e os resultados obtidos, sempre com orientação de um professor. Os melhores projetos são selecionados e levados ao evento, que reúne alunos, professores e uma banca avaliadora, formada por profissionais do mercado, alguns deles ex-alunos da Instituição.

“Alguns desses projetos estão ligados ao empreendedorismo, eles têm um viés de inovação”, comenta a Professora Michelly de Souza, da comissão organizadora.

2

O grande destaque para os participantes fica por conta do crescimento, pessoal e profissional, diante dos desafios de um projeto de pesquisa. O aluno de Engenharia de Produção, Guilherme Garcia, comenta: “Com a Iniciação Científica eu pude descobrir novos métodos de buscas. Antes eu ficava limitado à poucas bases de dados, com a iniciação eu descobri que há um mundo bem maior por trás disso. ”

1

Diferente do que muitas pessoas pensam, participar do programa de iniciação científica não deixa o aluno preparado somente para o meio acadêmico, mas também o prepara e o coloca em contato com o mercado de trabalho. No SICFEI, isso acontece na prática: avaliadores externos, da indústria e academia, classificam os melhores trabalhos que recebem prêmios no fim do evento.

“Eu achei muito bons os trabalhos. Eles estão tendo uma participação muito ativa da indústria, que é um conceito muito forte da FEI. Alguns trabalhos estão bem destinados à solução de problemas propostos pela indústria. ” – Comenta Fernando Garcia Nicodemos, ex-aluno e avaliador do evento.

Se você é aluno e tem interesse em participar do Programa de Iniciação FEI, a Profª Michelly tem um recado:

“A dica principal é conhecer os programas. Nós temos a secretaria, as coordenadoras dos programas que estão à disposição para falar sobre cada um deles (programas) e apresentar quais são as ideias. O aluno também pode entrar no site da FEI e consultar quais são os projetos que estão em andamento, os professores que orientam e o tipo de trabalho que é desenvolvido em cada área. ”

Assista a reportagem feita durante o evento:

Realize o Novo com a FEI: as inscrições para o Vestibular 2018 estão abertas. Clique aqui e se inscreva.

05 out

Engenharia FEI: uma vitória rumo aos EUA!

Alunos de Engenharia FEI vencem competição de Materiais Compósitos e representarão o Brasil nos Estados Unidos, em 2018.

materiais 2

As atividades extracurriculares do Centro Universitário FEI, como projetos institucionais, sempre trazem bons resultados aos alunos e professores. Na grande maioria dos casos, aplicar os conceitos na prática leva os estudantes ao desafio de criar soluções e pesquisas para áreas que, geralmente, ainda não foram ministradas no presente ciclo de suas graduações, além de colocá-los em contato com o mercado de trabalho.

A equipe SAMPE-FEI, formada por alunos de Engenharia de Materiais e Mecânica da FEI, é mais uma das diversas equipes da Instituição que participou de um campeonato e se destacou como grandes vencedores.

SAMPE

          Alunos de Engenharia com o prêmio do Desafio Acadêmico da Ponte 2017

O Desafio Acadêmico da Ponte, competição internacional chamada “Student Bridge Contest”, foi organizado pela Sociedade para o Avanço de Materiais e Engenharia de Processo (SAMPE), com o objetivo de promover a alunos de diversos cursos de tecnologia uma experiência real de projeto de uma estrutura de material compósito, obedecendo regras e especificações pré-estabelecidas. As provas aconteceram em São José dos Campos/SP durante a primeira semana de outubro.

As equipes precisaram projetar e construir uma ponte/viga que suportasse uma determinada carga. O critério de avaliação consistiu em classificar a ponte mais leve que atendesse a carga do projeto. Diversas categorias foram disputadas, como Viga em L e Viga Quadrada variando as fibras (carbono, vidro e natural).

Com muito esforço e dedicação dos nossos alunos, mais uma vez, o prêmio ficou para a equipe FEI! Por somar mais pontos em toda a prova, os estudantes da Instituição foram classificados para representar o Brasil nos Estados Unidos, na etapa internacional da competição, em 2018.

A equipe SAMPE-FEI já possui um histórico de troféus no Desafio Acadêmico da Ponte. Das 4 edições realizadas, três delas tiveram alunos FEIANOS no pódio, sendo uma vez em 2º lugar.

Se inspirou? Realize o novo com a FEI: as inscrições para o Vestibular 2018 estão abertas. CLIQUE AQUI e inscreva-se agora mesmo.

Vestibular

29 set

Fórmula FEI no Salão do Veículo Elétrico

3 formula

Entre os dias 21 e 23 de setembro de 2017, a equipe Fórmula FEI Elétrico marcou presença no 13º Salão Latino-Americano de Veículos Híbridos-Elétricos, exposição que tem o objetivo de reunir grandes marcas automobilísticas e suas inovações para o mercado de veículos movidos por energia elétrica.

Entre modelos futuristas e até ônibus que têm sido utilizados nas ruas da cidade, o veículo Fórmula FEI se destacou pelo seu projeto robusto, tecnologia de ponta e, o mais interessante: feito por alunos de Engenharia da FEI.

Logo no primeiro dia do evento, uma surpresa agradável: o piloto brasileiro Lucas Di Grassi, atual campeão mundial da Fórmula E, visitou o veículo da FEI e até posou para uma foto ao lado do Professor Fábio Delatore, do Departamento de Engenharia Elétrica.

“Obrigado por conhecer o nosso projeto. Fica aqui o convite, em nome da equipe, para nos visitar e dar uma volta em nossa carro”, completa Delatore.

1 formula

Além da exposição, também houve um Painel Acadêmico onde o aluno João Bruno Palermo, do curso de Engenharia Elétrica, apresentou ao público toda a parte técnica do veículo, com o projeto “Gerenciamento eletrônico de um veículo do tipo Fórmula SAE utilizando o Model Based Design”.

Os melhores trabalhos foram premiados por ordem de classificação. Na categoria Fórmula SAE, o 1º lugar ficou para o Centro Universitário FEI, reforçando a tradição da Instituição na formação dos alunos de Engenharia.

4 for

Confira na reportagem abaixo, mais imagens do evento e depoimentos do Professor Fábio e do aluno João Bruno Palermo. Assista:

Se inspirou? Realize o novo com a FEI: as inscrições para o Vestibular 2018 estão abertas. Clique aqui e se inscreva

Até o próximo post 😉

22 set

FEI se destaca na Avaliação Folha RUF 2017

Após a excelente avaliação da FEI no Guia do Estudante, conquistando 51 estrelas como mostramos aqui, agora é a vez de um novo destaque: a Avaliação Folha RUF 2017!

ruf_linkedin

Criada em 2012 e sempre publicada no mês de setembro, a avaliação é organizada pela Folha de São Paulo, um dos maiores jornais do País, que analisa instituições de ensino e seus cursos espalhados por todo o Brasil.

Dos 7 cursos da FEI avaliados, 5 ocupam os primeiros lugares entre as melhores instituições de ensino particulares do País. São eles:

Engenharia Civil – 5º

Ciência da Computação – 5º

Engenharia Elétrica – 2º

Engenharia Mecânica – 1º

Engenharia de Produção – 1º

Engenharia Química – 1º

Entre os melhores cursos do ABC Paulista, a FEI se destacou com Administração, Ciência da Computação, Engenharia Civil, Engenharia Mecânica, Engenharia Elétrica, Engenharia de Produção e Engenharia Química.

Parabéns aos alunos, professores e colaboradores, responsáveis pelo sucesso da Instituição!

E você? Está pronto para realizar o novo com a FEI? As inscrições para o Vestibular 2018 estão abertas, é só clicar aqui e se inscrever!

1

Curta nossa página no Facebook

Twitter