05 Oct

Engenharia FEI: uma vitória rumo aos EUA!

Alunos de Engenharia FEI vencem competição de Materiais Compósitos e representarão o Brasil nos Estados Unidos, em 2018.

materiais 2

As atividades extracurriculares do Centro Universitário FEI, como projetos institucionais, sempre trazem bons resultados aos alunos e professores. Na grande maioria dos casos, aplicar os conceitos na prática leva os estudantes ao desafio de criar soluções e pesquisas para áreas que, geralmente, ainda não foram ministradas no presente ciclo de suas graduações, além de colocá-los em contato com o mercado de trabalho.

A equipe SAMPE-FEI, formada por alunos de Engenharia de Materiais e Mecânica da FEI, é mais uma das diversas equipes da Instituição que participou de um campeonato e se destacou como grandes vencedores.

SAMPE

          Alunos de Engenharia com o prêmio do Desafio Acadêmico da Ponte 2017

O Desafio Acadêmico da Ponte, competição internacional chamada “Student Bridge Contest”, foi organizado pela Sociedade para o Avanço de Materiais e Engenharia de Processo (SAMPE), com o objetivo de promover a alunos de diversos cursos de tecnologia uma experiência real de projeto de uma estrutura de material compósito, obedecendo regras e especificações pré-estabelecidas. As provas aconteceram em São José dos Campos/SP durante a primeira semana de outubro.

As equipes precisaram projetar e construir uma ponte/viga que suportasse uma determinada carga. O critério de avaliação consistiu em classificar a ponte mais leve que atendesse a carga do projeto. Diversas categorias foram disputadas, como Viga em L e Viga Quadrada variando as fibras (carbono, vidro e natural).

Com muito esforço e dedicação dos nossos alunos, mais uma vez, o prêmio ficou para a equipe FEI! Por somar mais pontos em toda a prova, os estudantes da Instituição foram classificados para representar o Brasil nos Estados Unidos, na etapa internacional da competição, em 2018.

A equipe SAMPE-FEI já possui um histórico de troféus no Desafio Acadêmico da Ponte. Das 4 edições realizadas, três delas tiveram alunos FEIANOS no pódio, sendo uma vez em 2º lugar.

Se inspirou? Realize o novo com a FEI: as inscrições para o Vestibular 2018 estão abertas. CLIQUE AQUI e inscreva-se agora mesmo.

Vestibular

14 Jun

TFCMAT – Trabalho de Final de Curso de Engenharia de Materiais

Alunos do curso de Engenharia de Materiais apresentaram seus Trabalhos de Final de Curso no dia 8 de junho.

TCFMAT Blog

Foram 4 apresentações, divididas entre manhã e tarde, no auditório do IECAT no prédio T com diferentes temas abordados. Os trabalhos foram orientados por professores que assistiram as apresentações junto de alunos, ex-alunos, convidados e avaliadores.

Confira os projetos apresentados:

– Reprocessamento do PP copolímero heterofásico através de 6 ciclos de injeção

Autora: Flávia dos Santos F. Ferreira Netto | Orientadora: Profª. Drª. Adriana M. Catelli de Souza

TFCMAT (37)

Flávia dos Santos durante apresentação do Trabalho Final.

Sobre o projeto: uma das maiores preocupações da atualidade é a sustentabilidade do planeta e como descartar de maneira correta os rejeitos, até mesmo reaproveitando-os, inserindo-os novamente na sociedade. Este trabalho tem por objetivo verificar os efeitos sobre as propriedades mecânicas e reológicas do polipropileno copolímero heterofásico após 6 ciclos de injeção. Além de analisar possíveis mudanças estruturais bem como a degradação do material.

– Efeitos da radiação ionizante proveniente de raios-X e feixe de prótons nas propriedades de semicondutores

Autora: Mariana Bortoletto Paschoal | Orientadora: Proª. Drª. Marcilei Ap. Guazzelli da Silveira

TFCMAT (89)

Mariana Bortoletto durante apresentação do Trabalho Final

Sobre o projeto: neste trabalho foi realizado um estudo sobre as propriedades físicas dos materiais que compõem um dispositivo eletrônico, especificamente um transistor com estrutura Metal-Óxido-Semicondutor de Efeito de Campo, a partir de parâmetros elétricos obtidos pelos efeitos causados pelo bombardeamento de prótons e irradiação por raios-X.

– Relações entre a curva tensão-deformação cíclica e vida em fadiga de aço ARBL bifásico

Autora: Verônica Montes | Orientador: Prof. MSc. William Naville

TFCMAT (135)

Verônica Montes durante a apresentação do Trabalho Final

Sobre o projeto: este trabalho apresenta a obtenção de curvas tensão-deformação cíclica e a estimativa da vida em fadiga de um aço bifásico sem a necessidade de ensaios completos de fadiga, analisando a viabilidade desse método em comparação com um trabalho anteriormente realizado.

– Estudo da Influência da Formação de Fases Intermétálicas na Temperatura Crítica de Pite do Aço UNS S31803 em solução 0,6m NaCI

Autor: Daniel Augusto Abed de Andrade | Orientadora: Profª. Drª. Daniella Caluscio dos Santos

TFCMAT (182)

Daniel Augusto durante apresentação do Trabalho Final

Sobre o projeto: com o propósito de verificar a influência de fases intermediárias na CPT, este trabalho tem como objetivo estudar a influência da formação de fases intermetálicas na CPT do aço UNS S31803 envelhecido a 850ºC em solução 0,6M NaCI.

O Blog da FEI deseja muito sucesso aos novos Engenheiros!

Veja também como foi a ExpoMecAut e ExpoMecPlena

 

 

18 May

Engenharia de Materiais promete carreira promissora em época de mercado exigente

Com grade curricular moderna e foco na formação prática, Centro Universitário FEI está com vagas abertas para processo seletivo do segundo semestre de 2016

Antes do lançamento de um novo produto para o mercado, é preciso levar em conta diversos aspectos. O material utilizado na fabricação do produto é resistente? Poderá ser reciclado após o uso? Como este produto poderá ser fabricado?

Essa é uma das funções de um Engenheiro de Materiais, profissional que atua em praticamente todas as empresas e setores que produzem e constroem os bens que movem a sociedade. Existe campo em indústrias de produção e desenvolvimento de matérias-primas a partir de metais, polímeros e cerâmicas como, por exemplo, siderúrgicas, metalúrgicas, indústrias químicas e petroquímicas. O profissional também é responsável pela seleção dessa matéria-prima, prestação de serviços, consultoria e gerenciamento de pesquisas, bem como a concepção e fabricação de novos materiais, controle de qualidade e aperfeiçoamento das propriedades do material.

0X9A5006

Quem opta pela Engenharia de Materiais encontra, atualmente, um mercado de trabalho carente de profissionais. “A tendência das indústrias é de buscar novas opções, que exigem qualidade a custos menores e maior produtividade. Por esta razão, há a necessidade de profissionais mais versáteis e que estejam em sintonia com o futuro”, explica a Professora Adriana Catelli, coordenadora do curso de Engenharia de Materiais do Centro Universitário FEI.

Visando proporcionar aos estudantes condições ideais de ingresso num mercado de trabalho em constante transformação, o curso de Engenharia de Materiais da FEI apresenta uma extensa programação de aulas práticas. Todos os laboratórios de Materiais da faculdade ficam constantemente disponíveis aos alunos do curso, tanto para aulas como para o desenvolvimento de trabalhos de Iniciação Científica e Conclusão de Curso.

Mariana Tortella é aluna do 7º Ciclo de Engenharia de Materiais da FEI.

Mariana Tortella é aluna do 7º Ciclo de Engenharia de Materiais da FEI.

Os graduandos também têm a disposição uma grade curricular voltada ao embasamento científico e tecnológico. “Queremos formar profissionais que possam contribuir com a melhoria e eficiência de produtos, pensando sempre na sustentabilidade e colaboração com o meio ambiente”, comenta a Professora Adriana Catelli. No último ano de curso, existe uma disciplina chamada de Estágio Supervisionado, na qual os professores conversam com os alunos sobre suas atividades de estágio e incentivam discussões sobre o mercado de trabalho e a profissão.

 A FEI investe constantemente em novos equipamentos de processamento e de caracterização de materiais. Há estímulo também para que os alunos participem de competições na área de Materiais. No último Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (ENADE), realizado em 2014, os alunos do curso de Engenharia de Materiais da FEI obtiveram conceito 4, comprovando a qualidade de sua formação e o compromisso do Centro Universitário FEI com o curso.

O curso está com inscrições abertas para o processo seletivo do segundo semestre de 2016. Os interessados podem se inscrever pelo site da FEI (www.fei.edu.br) e também presencialmente, em um dos dois campi, até às 18 horas do dia 1º de junho. As vagas são para o campus de São Bernardo do Campo, somente no nos periodos da manhã.

06 Nov

Engenharia de Materiais faz sucesso no campus com os Aluminions

No começo de 2015, os professores de Engenharia de Materiais Patrícia Calvão, Jorge Kolososki, Baltus Bonse e João Luís Abel, resolveram colocar em prática, um projeto que tinha por objetivo mostrar aos alunos um dos valores dos materiais de engenharia. O Grupo REC, composto pelos quatro professores, propôs uma atividade que transformasse a visão sobre reciclagem, mostrando que o que muitas vezes é tratado como lixo reciclável, é na realidade um material de engenharia que possui vasta aplicação, principalmente se forem utilizados os conhecimentos desenvolvidos nessa área da Engenharia.

A maneira como os professores encontraram, foi simples: utilizar latas de alumínio, um produto que é automaticamente considerado lixo-reciclável e mostrar, na prática, que o material não morre e que reciclá-lo é fazer com que desempenhe seu papel como material de engenharia da mesma ou sob nova forma. Foi assim que nasceram os Aluminions: pegue uma ideia, acrescente uma boa dose de conhecimento de engenharia e você tem um projeto de grande sucesso entre os alunos, inclusive de outros cursos. A Professora Patrícia Calvão ressalta que o sucesso dos Aluminions foi inesperado: “Achávamos que íamos receber uns cinquenta pedidos, mas ao final do projeto, os alunos de Materiais confeccionaram mais de trezentos Aluminions.

Alunos do 3º e 9º ciclo trabalharam juntos para desenvolver o projeto dos Aluminions.

Alunos do 3º e 9º ciclo trabalharam juntos para desenvolver o projeto dos Aluminions.

O projeto foi pensado e planejado pelos professores e colocado em prática integrando alunos de dois ciclos diferentes do curso de Engenharia de Materiais. O aluno Luis Ferlante, estudante do 10º ciclo, conta como o trabalho foi dividido entre os ciclos: “Os alunos do 3° ciclo tinham acabado de entrar no curso de Engenharia de Materiais e eram responsáveis pela divulgação e coleta de materiais de engenharia, enquanto os alunos do 9° ciclo eram responsáveis pela fundição dos Aluminions e transmissão do conhecimento aos alunos dos ciclos inferiores que vieram colaborar nesse processo. ”.

A Professora Patrícia ministra a disciplina “Introdução à Engenharia de Materiais” e conta que o projeto Aluminions, além de compor a nota dos alunos do terceiro semestre, também despertava o interesse desses alunos para processos e conhecimentos que eles veriam ao longo do curso.

O aluno Luis Ferlante ressalta que o projeto trouxe grande visibilidade para o curso de Engenharia de Materiais: “A maioria das pessoas, incluindo alunos, não sabe o que faz um Engenheiro de Materiais, o que resulta em equívocos no âmbito da carreira profissional. Por isso a importância da divulgação, é uma maneira de mostrar, dentro e fora da FEI, o trabalho do curso de Engenharia de Materiais. Por meio desse projeto, várias pessoas já sabem, por exemplo, que é possível transformar materiais de engenharia já processados (latas de alumínio) em outras coisas, como Aluminions, através de uma técnica estudada no curso Engenharia de Materiais: o processo de fabricação por fundição. ”.

Ao todo foram produzidos mais de 300 Aluminions entregues aos alunos que trouxeram as latinhas de alumínio.

Ao todo foram produzidos mais de 300 Aluminions entregues aos alunos que entregaram latinhas de alumínio.

A mensagem que o projeto dos Aluminions deixa é que quando se joga material fora, se joga também recursos como energia, água e tempo. O Professor Abel, ressalta que a reciclagem vai muito além do que as pessoas imaginam e que o estereótipo lixo-reciclável precisa ser quebrado. “A ideia do Grupo REC é trazer continuamente projetos que integrem alunos de ciclos diferentes e que evidenciem o valor dos materiais de engenharia e da Engenharia de Materiais. ”. Parece que vem novidade por aí!

03 Jun

Demanda em infraestrutura e tecnologia abre perspectivas no mercado de trabalho para engenheiros

O campo da Engenharia tem se expandido para atender às necessidades do País e à modernização dos processos construtivos, de produção e planejamento, em diversas áreas da atividade econômica. Nesse cenário, o engenheiro exerce um papel de grande relevância. Segundo a Vice-Reitora de Extensão e Atividades Comunitárias do Centro Universitário da FEI, professora doutora Rivana Marino, atualmente o País carece de uma grande demanda por obras de infraestrutura. “Estamos em um momento de expansão com construções de estradas, aeroportos e redes elétricas, por exemplo; nessa demanda, o engenheiro tem espaço garantido”, afirma.

Há 13 anos na Vice-Reitoria, formada em Engenharia Química pela FEI, com Doutorado e Mestrado, e pertencente ao corpo docente da Instituição desde 1992, a Profa. Rivana acompanha de perto as mudanças na área de Engenharia e as tendências na formação acadêmica. Respaldada por essa vivência, acredita que este ano será ainda mais promissor para a carreira de Engenharia: a profissão terá um novo impulso com a demanda por profissionais para os setores de infraestrutura e tecnologia. “Para suprir essas demandas, é fundamental que o profissional esteja bem-preparado, atualizado e tenha o conhecimento necessário para propor inovações”, afirma a Vice-Reitora. “A tecnologia é feita de ciência, portanto é preciso dominá-la para produzir e ousar para o novo, ir além do conhecimento adquirido nos livros e na sala de aula”.

iStock_000010853952Medium

Capacidade para inovar é um diferencial cada vez mais requerido aos engenheiros.

O mercado é muito disputado. De acordo com o Conselho Federal de Engenharia e Agronomia – Confea houve um aumento em torno de 230% de profissionais registrados nos últimos 10 anos. Em 2004 estavam registrados 31.357mil profissionais e, em 2014, o número saltou para 103.340 mil em todo o País. Por outro lado, embora os dados sejam controversos, existe um consenso de que faltam engenheiros em número suficiente para atender à demanda da indústria brasileira. Segundo dados do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação – MCTI o Brasil ainda é o que menos forma engenheiros anualmente, entre os países do BRIC (Brasil, Rússia, Índia e China). São cerca de 30 mil ao ano. A FEI forma cerca de 220.

Para formar profissionais capacitados e com perfil adequado ao novo cenário brasileiro, a FEI oferece aos alunos a oportunidade de aplicar suas habilidades nos laboratórios em aulas práticas, o que favorece o desenvolvimento técnico e contribui para o raciocínio científico. Estimula a pesquisa e a inovação por meio de vários projetos e disciplinas.

Aos interessados em participar do processo seletivo do segundo semestre de 2015 tem até o dia 5 de junho para se inscrever nas seguintes habilitações: Mecânica, Mecânica com ênfase em Automobilística, Elétrica, Elétrica com ênfase em Eletrônica, em Computadores e em Telecomunicações; além de Engenharia Têxtil, Química, Civil, de Materiais, de Produção e de Automação e Controle. As provas serão nos dias 13 e 14 de junho. Informações e inscrições pelo site: www.fei.edu.br ou nas secretarias dos campi da Instituição.

Curta nossa página no Facebook

Twitter