11 jan

Cinco filmes para assistir nas suas férias

Post

O tempo livre nas férias é uma boa oportunidade para colocar filmes e séries em dia. Para quem gosta de cinema, o Blog da FEI separou cinco filmes muito interessantes que trazem noções de engenharia, liderança, trabalho em grupo, negócios e empreendedorismo. Todos estes filmes estão disponíveis no catálogo da Netflix. Confira as dicas:

Gênio Indomável

Em Boston, um jovem de 20 anos que já teve algumas passagens pela polícia e é faxineiro do MIT, revela-se um gênio da matemática ao resolver um desafio quase impossível lançado por um professor da universidade aos seus alunos.

genio-indomavel-matt-damon

De Volta para o Futuro

Um clássico que traz interessantes conceitos de física, espaço e tempo. O filme conta a história do adolescente Marty McFly, que é transportado para a década de 1950 quando a experiência do excêntrico cientista Doc Brown dá errada. Lá, ele conhece as versões jovens de seus pais e precisa fazer com que eles se apaixonem, caso contrário, ele deixará de existir. O filme, na verdade, é uma trilogia à qual uma das viagens traz o jovem para 21 de outubro de 2015.

Dev volta para o futuro

Piratas do Vale do Silício

A história de dois gigantes: como Bill Gates e Steve Jobs, co-fundadores da Microsoft e da Apple, respectivamente, mudaram a forma das pessoas se comunicarem através das duas maiores empresas de informática do mundo.

piratas

Walt antes de Mickey.

Este filme retrata os primeiros anos da carreira do desenhista que criou o personagem mais famoso do mundo: Mickey Mouse. Veja os obstáculos, desafios e superação enfrentados pelo então jovem Walt, responsável por simplesmente fazer o mundo todo acreditar que sonhos podem virar realidade. Para quem pensa em empreender, esse filme é uma ótima pedida!

Walt

O Jogo da Imitação

Interpretado por Benedict Cumberbatch (Doutor Estranho), este filme consta a história real de Alan Turing, cientista britânico que, secretamente, foi responsável por criar uma máquina para decifrar importantes códigos durante a 2ª Guerra Mundial. Inclusive, estudiosos apontam que esse foi o motivo da queda de grandes líderes da época, como por exemplo, Adolf Hitler. Se você ama história e tecnologia de época, esse filme traz essas duas combinações.

jogo

Dicas anotadas? Então, prepare a pipoca e boa sessão 🍿

20 dez

A FEI é uma Instituição Amiga do Empreendedor

“Oportunidades não surgem. É você que as cria” – Chris Grosser, fotógrafo.

Blog

As mudanças na sociedade nos últimos 10 anos têm criado novos hábitos e visões, especialmente nos negócios. As gerações atuais são formadas por mentes inovadoras e corajosas, que geralmente não ficam mais do que 5 anos em uma empresa. Mais que se distanciar do ponto eletrônico e rotinas no escritório, esse comportamento expressa uma tendência latente: o empreendedorismo.

O Centro Universitário FEI, referência entre as instituições de ensino por trabalhar a inovação, sustentabilidade e empreendedorismo em seus planos pedagógicos, foi convidado pelo MEC – Ministério da Educação, para integrar o Programa Instituição Amiga do Empreendedor: um projeto que visa apoiar as micro e pequenas empresas, desenvolvendo habilidades e conhecimentos para que cada vez mais elas tenham o sucesso nos negócios, contribuindo para uma sociedade mais justa.

Isso significa que, a partir de agora, um espaço fixo na Instituição será destinado aos profissionais que prestarão o atendimento e treinamento aos microempresários interessados. E claro, esse procedimento também beneficiará os alunos, que contarão com mais uma fonte de conhecimento em suas formações.

Outro grande (e preocupante) motivo da grande busca da população em empreender seu próprio negócio, é o desemprego. De acordo com o professor de Administração da FEI, Edson Sadao, existem 13,5 milhões de desempregados no País, criando-se, então, a necessidade por procurar novas alternativas de suprir o orçamento de casa. Para o Prof. Edson, as instituições de ensino podem receber esses empreendedores e apoiá-los nessa atividade, como a FEI tem feito.

A expectativa para 2018 é de que 500 instituições de ensino façam parte do programa, distribuídas pelo Brasil inteiro, seguindo o exemplo da FEI.

Saiba mais no vídeo abaixo:

27 jun

Conheça o mini trator Eqüus, desenvolvido por alunos da FEI

Trator

Mini Trator Eqüus

Os alunos do Centro Universitário FEI, durante toda graduação, são desafiados à inovação e empreendedorismo. Trabalhar a visão crítica é fundamental na formação desses novos profissionais para que suas contribuições na sociedade sejam relevantes e façam diferença na vida das pessoas.

Foi justamente para fazer a diferença que alunos de Engenharia Mecânica apresentaram seus Projetos de Conclusão de Curso na 59ª ExpoMecAut, como apresentamos neste post.

Grupo

Realilzada no dia 08 de junho, a ExpoMecAut apresentou os Projetos de Conclusão de Curso dos alunos de Engenharia Mecânica Automobilística da FEI

Os cinco criativos projetos apresentados foram avaliados por professores e profissionais do setor. O Blog da FEI conversou com o grande vencedor da exposição, o projeto Eqüus!

Eqüus é um mini trator que tem como promessa otimizar o tempo e garantir melhores condições físicas de trabalho ao pequeno agricultor.

Para poder chegar na ideia, planejar, projetar e realizar os cálculos necessários, o grupo foi a campo e realizou visitas técnicas a pequenos agricultores e profissionais do setor para poder entender o cenário atual e enxergar as oportunidades de novos produtos e soluções.

Equus

Alunos de Engenharia Mecânica da FEI ao lado do Eqüus

Segundo Enzio Bianchini, membro do grupo, o trator realiza diversas atividades que otimizam o esforço físico do agricultor e chama atenção por uma de suas principais características: esterçamento nas rodas traseiras.

Esse detalhe permite ao trabalhador fazer apenas uma manobra para entrar e sair dos canteiros, passando por uma linha plantada e entrando em outra. Com transmissão hidráulica e construção feita por mangueiras, foi possível também deixar um grande vão na parte inferior do veículo, permitindo que ele passe por cima das plantações sem danificar o cultivo.

Após um ano de desenvolvimento e muito trabalho, os alunos finalmente criaram o protótipo do Eqüus e o colocaram em movimento. Confira o resultado no vídeo abaixo:

03 dez

Administrador de empresas com espírito empreendedor

Com apenas 29 anos de idade, o administrador de empresas Bruno Fermino Peres é exemplo de que, para ser empreendedor, não é necessário ter no currículo apenas experiência profissional, mas também a capacidade de acreditar e investir em nichos de mercado ainda não explorados. Com uma vontade insaciável de empreender, o ex-aluno do Centro Universitário da FEI, formado em 2007, é diretor administrativo financeiro de três startups que têm o faturamento multiplicado mês a mês, entre elas a empresa Coroas para Velório, e-commerce que entrega os produtos com prazo de até duas horas em todo o País. A trajetória de Bruno Peres na Administração começou antes mesmo de iniciar a graduação.

Assim que terminou o ensino médio, aos 17 anos, iniciou o curso de Ciência da Computação, no qual permaneceu apenas um ano, e logo começou a trabalhar no Unibanco como contínuo em áreas internas, fato que colaborou para a decisão de cursar Administração na FEI, em 2004. Ao iniciar o curso, o jovem percebeu como os ensinamentos da graduação poderiam colaborar, e muito, com a carreira profissional. “A primeira aula de Administração tinha como foco a importância e como criar as metas e traçar os objetivos, então, tracei dois planos para os cinco anos seguintes: tirar apenas nota acima de sete e ter um aumento no salário, ou uma promoção anual, até chegar ao cargo de gerente. E isso foi fundamental para o meu desenvolvimento”, afirma.

Com as metas planejadas e o início do curso, Bruno Peres conseguiu a primeira promoção e passou a assistente administrativo. Em pouco tempo, foi transferido para a área de Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) da instituição, onde trabalhava com a parte financeira. “Mais uma vez tive a ajuda da FEI. Como meu trabalho era operacional no setor de cálculos e eu era um dos melhores alunos de Matemática Financeira, meu potencial foi reconhecido pelos superiores. Agradeço muito às aulas do professor Alberto Fossa, que é referência na área em todo o mercado”, pontua. Bruno Peres finalizou a graduação em 2007 com notas altas e com a carreira no banco conforme o planejado, mesmo com alguns obstáculos que surgiram, como o processo de adaptação que ocorreu com a fusão do Unibanco com o Itaú em 2008.

administrador bruno peresNo ano seguinte, o ex-aluno assumiu o cargo de gerente. Após um ano e meio na posição, o jovem foi convidado pelo amigo de infância Eduardo Gouveia para ser sócio no e-commerce de coroas de flores, pois o empreendedor precisava de um profissional de confiança com perfil analítico de processo e com embasamento financeiro, mas que ajudasse também na área comercial.

O administrador lembra que, com o convite, utilizou mais uma vez o que aprendeu na FEI durante as aulas de Teoria de Decisão, na qual são destacados os pontos fortes e fracos de uma situação para, então, fazer uma análise de risco. O jovem resolveu aceitar o convite e passou a fazer parte da startup em agosto de 2011.

Criações de sucesso

A empresa Coroas para Velório trabalha diretamente com um tema tabu – a morte –, mas a inovação de o consumidor comprar coroas de flores online e receber em qualquer lugar do Brasil com tempo determinado foi bem aceita e, desde a criação, em 2010, a empresa atende clientes mensalmente. Quando Bruno Peres passou a fazer parte da empresa eram comercializadas entre 250 e 300 peças por mês; hoje, a empresa vende 2,5 mil unidades mensais em todo o Brasil. Com a sociedade, o administrador passou a fazer parte também da Central da Fisioterapia, empresa de atendimento domiciliar particular na região metropolitana de São Paulo, Campinas e Santos. A empresa, desenvolvida por Eduardo Gouveia e pelo Fisioterapeuta Rodrigo Peres, irmão de Bruno Peres, nasceu em julho de 2011 e hoje totaliza 2 mil atendimentos por mês.

O sucesso da empresa de atendimento domiciliar impulsionou o ex-aluno e seu amigo de infância a criarem, em janeiro deste ano, a Central da Fonoaudiologia, também de atendimento domiciliar, que tem como sócia a fonoaudióloga Adriana Saad. O atendimento abrange a região metropolitana de São Paulo, Campinas e Santos e realiza cerca de 150 atendimentos mensais. Atualmente, as três empresas são referência e possuem escritório próprio com 35 empregados. Entretanto, a vontade de empreender continua e, em breve, chegará ao mercado o Grupo Laços Flores, que vai incorporar à Coroas para Velórios outras duas empresas: a Laços Corporativos e a Arranjos para Maternidade, que oferecem entrega de flores para empresas e hospitais, respectivamente. “No ano passado, a Coroas para Velório e a Central da Fisioterapia cresceram 150% em faturamento e já são referência no mercado. Continuo criando metas e expectativas, mas, agora, de forma muito mais agressiva. Para os próximos anos queremos consolidar os grupos das empresas e abrir novos empreendimentos, aproveitando os nichos de mercado existentes e pouco explorados”, planeja Bruno Peres.
_____________

Artigo publicado na revista Domínio FEI – Nº20 (pág 18)

27 jun

Formação por competências

Com o objetivo de formar profissionais com visão global, inseridos em um contexto mais humano, justo e sustentável dos negócios, os cursos de Administração do Centro Universitário da FEI – dos campi São Bernardo do Campo e São Paulo – iniciaram 2014 com uma nova proposta pedagógica. O novo modelo de ensino foca no desenvolvimento de competências necessárias para proporcionar aos futuros administradores uma visão analítica da profissão, em atendimento às demandas de um mercado de trabalho em constante transformação.

A pedagogia por competência está relacionada à formação de profissionais com capacidade de aplicação dos conhecimentos obtidos durante a graduação. Para tanto, o processo de aprendizagem torna-se o foco em sala de aula, com a mudança do modelo que propõe a reprodução de conteúdos por parte dos docentes para as habilidades requeridas em cada profissão. Para o professor doutor Hong Yuh Ching, coordenador do curso de Administração do campus São Bernardo do Campo, a integração dos conhecimentos discutidos no ambiente universitário é um recurso para incentivar a formação de competências nos estudantes.

“O professor deve ser um mediador e ajudar o aluno a aprender”, afirma o docente, que reforça a importância da participação dos estudantes para o processo de descoberta de respostas e construção do conhecimento. Para propor a mudança no modelo pedagógico da graduação, o coordenador do curso empenhou-se em descobrir as atuais carências e expectativas do mercado de trabalho na área, com pesquisas com empresas de recrutamento e seleção de jovens profissionais e trainees. Essas investigações evidenciaram a procura por perfis com habilidades de comunicação, competências para relacionamentos, trabalho em equipe e orientação para resultados, além de bons conhecimentos teóricos, fator de formação já pressuposto em instituições de ensino de ponta.

Ao longo de oito semestres do curso, 12 competências, estruturadas de maneira lógica, serão trabalhadas com os estudantes (veja destaque). Os conteúdos estão organizados para estimular o desenvolvimento das habilidades em componentes curriculares. Segundo o professor Hong Yuh Ching, o modelo foi discutido e elaborado por um grupo de pesquisadores da FEI que, desde o início do ano passado, trabalhava na criação do projeto. “As competências envolvem o saber, o saber fazer e o saber ser”, observa o docente, ao informar que aproximadamente 40% dos componentes curriculares dos cursos foram alterados para atender à nova proposta.

“O comprometimento dos professores com o modelo pedagógico é um fator relevante para o sucesso da proposta. Com o aluno como protagonista de seu aprendizado, os docentes dispõem de novas estratégias metodológicas para incentivar a construção do conhecimento, como a aproximação entre teoria e prática, estudos de casos, ações resolutivas e trabalho interdisciplinar integrado”, acrescenta o professor doutor William Francini, coordenador do curso de Administração da FEI no campus São Paulo. Além disso, há também a aplicação dos mapas conceituais, que são representações gráficas de um conjunto de conceitos construídos ao longo das aulas com o objetivo de apresentar, de maneira analítica, a estrutura cognitiva adjacente a um dado conhecimento e seus elementos fundamentais.

Nota 4 no Conceito Preliminar de Curso

Depois de receber a nota 4 no Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (ENADE) e quatro estrelas do Guia do Estudante 2013, o curso de Administração do Centro Universitário da FEI comemora a nota 4 obtida do Conceito Preliminar de Curso (CPC), um dos mais importantes indicadores do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisa (INEP). Com escala de avaliação de 1 a 5, o resultado foi divulgado em dezembro do ano passado pelo Ministério da Educação (MEC).

Diferentemente do ENADE, que tem o objetivo de aferir o rendimento dos alunos dos cursos de graduação em relação aos conteúdos programáticos, suas habilidades e competências, o CPC vai mais além, pois mede a qualidade do curso. “É por meio desta nota que o MEC intervém em um curso. As avaliações 4 e 5 são consideradas excelentes, enquanto 3 é satisfatória e 2 ruim”, destaca o professor doutor Hong Yuh Ching. A composição da nota envolve diferentes variáveis e seus pesos. O Índice de Diferença de Desempenho (IDD), por exemplo, que compara a situação do aluno ingressante, por meio do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM), e do concluinte, pelo ENADE, representa 35%. A infraestrutura, o plano pedagógico, o regime de integração total e a titulação dos professores (doutores e mestres), também têm peso na nota do CPC.

Segundo o professor Hong Yuh Ching, a nota recebida pela FEI é reflexo do trabalho e da dedicação de todos os envolvidos, colaboradores e corpo docente, bem como a melhoria constante na infraestrutura da Instituição. “Trabalhamos para a qualidade das variáveis avaliadas e, hoje, contamos com 50% do corpo docente formado por doutores e 50% por mestres. Com a nota do ENADE, somos a oitava melhor escola de Administração da Grande São Paulo e, com a nota 4 no CPC, garantimos a quinta melhor nota da Grande São Paulo e a 96ª posição entre todos os cursos de Administração do Brasil, que somam 1,7 mil”, comemora o docente.

_____________

Matéria publicada na revista Domínio FEI – Nº18 (pág 34)

Curta nossa página no Facebook

Twitter