14 Jun

TFCMAT – Trabalho de Final de Curso de Engenharia de Materiais

Alunos do curso de Engenharia de Materiais apresentaram seus Trabalhos de Final de Curso no dia 8 de junho.

TCFMAT Blog

Foram 4 apresentações, divididas entre manhã e tarde, no auditório do IECAT no prédio T com diferentes temas abordados. Os trabalhos foram orientados por professores que assistiram as apresentações junto de alunos, ex-alunos, convidados e avaliadores.

Confira os projetos apresentados:

– Reprocessamento do PP copolímero heterofásico através de 6 ciclos de injeção

Autora: Flávia dos Santos F. Ferreira Netto | Orientadora: Profª. Drª. Adriana M. Catelli de Souza

TFCMAT (37)

Flávia dos Santos durante apresentação do Trabalho Final.

Sobre o projeto: uma das maiores preocupações da atualidade é a sustentabilidade do planeta e como descartar de maneira correta os rejeitos, até mesmo reaproveitando-os, inserindo-os novamente na sociedade. Este trabalho tem por objetivo verificar os efeitos sobre as propriedades mecânicas e reológicas do polipropileno copolímero heterofásico após 6 ciclos de injeção. Além de analisar possíveis mudanças estruturais bem como a degradação do material.

– Efeitos da radiação ionizante proveniente de raios-X e feixe de prótons nas propriedades de semicondutores

Autora: Mariana Bortoletto Paschoal | Orientadora: Proª. Drª. Marcilei Ap. Guazzelli da Silveira

TFCMAT (89)

Mariana Bortoletto durante apresentação do Trabalho Final

Sobre o projeto: neste trabalho foi realizado um estudo sobre as propriedades físicas dos materiais que compõem um dispositivo eletrônico, especificamente um transistor com estrutura Metal-Óxido-Semicondutor de Efeito de Campo, a partir de parâmetros elétricos obtidos pelos efeitos causados pelo bombardeamento de prótons e irradiação por raios-X.

– Relações entre a curva tensão-deformação cíclica e vida em fadiga de aço ARBL bifásico

Autora: Verônica Montes | Orientador: Prof. MSc. William Naville

TFCMAT (135)

Verônica Montes durante a apresentação do Trabalho Final

Sobre o projeto: este trabalho apresenta a obtenção de curvas tensão-deformação cíclica e a estimativa da vida em fadiga de um aço bifásico sem a necessidade de ensaios completos de fadiga, analisando a viabilidade desse método em comparação com um trabalho anteriormente realizado.

– Estudo da Influência da Formação de Fases Intermétálicas na Temperatura Crítica de Pite do Aço UNS S31803 em solução 0,6m NaCI

Autor: Daniel Augusto Abed de Andrade | Orientadora: Profª. Drª. Daniella Caluscio dos Santos

TFCMAT (182)

Daniel Augusto durante apresentação do Trabalho Final

Sobre o projeto: com o propósito de verificar a influência de fases intermediárias na CPT, este trabalho tem como objetivo estudar a influência da formação de fases intermetálicas na CPT do aço UNS S31803 envelhecido a 850ºC em solução 0,6M NaCI.

O Blog da FEI deseja muito sucesso aos novos Engenheiros!

Veja também como foi a ExpoMecAut e ExpoMecPlena

 

 

09 Jun

59ª ExpoMecAut expõe Projetos da Engenharia Mecânica

Alunos do curso de Engenharia Mecânica Automobilística da FEI apresentaram, no último dia 08 de junho, seus Projetos de Formatura na 59ª ExpoMecAut, que aconteceu no ginásio de esportes.

Expo Blog

Professores e alunos da FEI, profissionais do setor, amigos e familiares dos formandos puderam conhecer os 05 projetos apresentados, trazendo soluções e novas ideias para transportes e locomoção.

O evento contou com a presença de uma banca examinadora, com júri formado por profissionais importantes da indústria, avaliando os quesitos:  criatividade em inovação, conteúdo técnico do projeto, viabilidade do projeto e modelo em escala da inovação.

Conheça os cinco projetos e os três vencedores da noite.

Projeto LF 420

LF - 420

Projeto LF – 420 na 59ª ExpoMecAut

O projeto apresenta uma solução para o transporte de cargas rodoviárias, com um sistema compacto e leve que facilita no carregamento e descarregamento de carga, além de oferecer melhores condições de trabalho aos operadores, com um novo sistema de ergonomia. O sistema visa otimizar até 50% do tempo atual utilizado nesses serviços, 20% do volume e 25% de carga. A plataforma para levantamento da carga é acionada por uma bolsa de ar.

Projeto HY-P

HY-P

Projeto HY-P na 59ª ExpoMecAut

De olho na tendência por produtos ecologicamente corretos, esse projeto traz uma solução que otimiza o sistema híbrido-elétrico, tornando-o mais acessível, uma vez que os veículos atuais não possuem espaço para um sistema hibrido elétrico, além do peso que tal tecnologia traz para os automóveis. A proposta de otimização serve, justamente, para solução desse problema, melhorando sua eficiência e arquitetura.

Projeto AcquaBoost – 3º lugar

Acquaa Boost

Projeto AcquaBoost na 59ª ExpoMecAut

Esse projeto, classificado como o 3º melhor da noite, propõe a injeção de água em motores a combustão sobrealimentados. Essa solução nasceu a partir dos problemas de baixo rendimento desses motores, anomalias no funcionamento devido à temperatura elevada, além da emissão de gases poluentes. Diante desse problema, a meta do grupo é diminuir a temperatura da câmara de combustão.

Projeto H2D – 2º lugar

H2D usar

Projeto H2D na 59ª ExpoMecAut

Há uma grande dependência de diesel no setor de transporte, que devido ao alto uso anual, as taxas de emissões de poluentes também são grandes. O projeto oferece uma solução para reduzo no consumo de diesel para veículos rodoviários pesados, mantendo a potência do motor.

Projeto Eqüus – 1º lugar

Trator

Projeto Eqüus na 59ª ExpoMecAut

O projeto vencedor da noite, Eqüus, propõe um Trator Porta Implemento, que buscar prover a mobilidade ao pequeno produtor, que representa hoje 85% dos trabalhadores rurais. O trator promete realizar diversas operações que otimizam o tempo de trabalho e garante melhores condições físicas para o trabalhador, com sistema de transmissão hidráulica, implementação dianteira e um sistema traseiro para esterçar, facilitando ainda mais a locomoção.

Confira na reportagem como foi o evento!

01 Jun

17º Torneio Colegial agitou alunos do ensino médio

post_torneio colegial

17º Torneio Colegial na FEI

Foco, treino, espírito de equipe e competições emocionantes tomaram conta da FEI entre os dias 29 de maio e 03 de junho, durante o 17º Torneio Colegial.

Incentivar os jovens à prática do esporte é indispensável em suas formações educacionais. É desenvolver em cada um as técnicas sociais e comunicativas muito utilizadas na vida acadêmica e profissional. A FEI apoia essa ideia e, por isso, organiza anualmente o Torneio Colegial, evento que reúne escolas do ensino médio da Grande São Paulo em torneios emocionantes com direito a pódio, troféus e medalhas.

Organizado pelo CVDRL (Centro de Vivência Desportiva, Recreação e Lazer da FEI), o Torneio Colegial é realizado no complexo de esportes da FEI, formado por: campo de futebol, quadras poliesportivas, ginásio coberto com capacidade para até 2.500 pessoas e uma piscina semiolímpica, com arquibancada para até 800 pessoas.

Abertura 2

Quadras, campo de futebol e piscina semiolímpica da FEI

A 17ª edição do Torneio Colegial contou com a participação de 14 escolas, públicas e privadas, nas modalidades:

Basquete – Masculino e Feminino

Handebol – Masculino e Feminino

Futsal – Masculino e Feminino

Futebol – Masculino

Voleibol – Masculino e Feminino

Natação – Masculino e Feminino

Todas as manhãs o cerimonial de abertura foi realizado com desfile das delegações, hasteamento das bandeiras e execução do Hino Nacional. Também houve o juramento dos atletas e a entrada da tocha olímpica, que permaneceu acesa durante todas as partidas.

Abertura

Cerimonial de Abertura do 17º Torneio Colegial

Durante os jogos, a emoção tomou conta! Na arquibancada as torcidas de cada escola acompanharam cada jogada com olhares concentrados e gritos de apoio aos colegas em quadra. Cada minuto de sufoco e emoção foi bem recompensado ao fim do dia com a premiação realizada para as equipes vencedoras, que receberam as medalhas e troféus pelos resultados conquistados. A alegria entre os jovens foi contagiante.

Fotos jogos

Competição de voleibol no 17º Torneio Colegial

O coordenador do CVDRL, Nelson Aparecido Tuono, comentou ao Blog da FEI sobre a importância da realização do torneio na FEI:

“Nós abrimos o espaço da FEI para as escolas e alunos do ensino médio. É uma maneira de incentivar a prática e o desenvolvimento do esporte, além de ser porta de entrada para muitos adolescentes conhecerem a faculdade”.

Nós do Blog da FEI parabenizamos todos os alunos e professores das escolas participantes. Coragem, dinamismo e trabalho em equipe são virtudes para todo ser humano, dentro e fora das quadras.

 

 

 

08 Sep

Começa neste 8 de setembro o mais importante fórum sobre formação e profissão de Engenheiro

Com o tema central “Aprendizagem Ativa: Engenheiros Colaborativos para um Mundo Competitivo”, a 43ª edição do Congresso Brasileiro de Educação em Engenharia acontece este ano no ABC paulista, na Universidade Federal do ABC, de 8 a 11 de setembro próximo.

Estão confirmados três conferencistas internacionais e quatro visitas técnicas a empresas líderes, além de minicursos, Feira Tecnológica e apresentações de dezenas de trabalhos em sessões técnicas e pôsteres. Entre os trabalhos apresentados encontram-se os desenvolvidos por dez professores do Centro Universitário da FEI, além da apresentação do Professor Kurt Aman, chefe do Departamento de Engenharia Civil da FEI, no painel Fórum de dirigentes 4.

No dia da abertura, 8 de setembro, a programação prevê 4 Fóruns de Dirigentes e 4 Fóruns de Estudantes reunidos em debate sobre os currículos dos cursos de Engenharia presenciais e a distância (EAD). Já no dia 10 as sessões plenárias da manhã colocarão no centro das discussões o “Ensino de Engenharia e as Necessidades do Mercado”.  Na sexta-feira, 11 de setembro, estão previstos 8 minicursos gratuitos aos participantes, com temas como “Educação Ambiental a Partir de Oficina de Reciclagem”, “Seis Sigma, o Método Mais Eficaz para Solução de Problemas” e “Introdução a Geodésia e aos Sistemas de Posicionamento/Navegação por Satélites”.

cobengeO tema central “Aprendizagem Ativa: Engenheiros colaborativos para um mundo competitivo”, busca atender à demanda por um engenheiro mais bem preparado para lidar com as necessidades do mundo atual. A Aprendizagem Ativa, o Ensino Baseado em Problemas e o Ensino Baseado em Projetos extrapolam a atividade intelectual, estando vinculados às estratégias práticas desenvolvidas pelo mercado.

O Cobenge é considerado o mais importante fórum de discussão sobre formação e exercício profissional em Engenharia no Brasil, realizado anualmente desde 1973 pela Associação Brasileira de Educação em Engenharia (Abenge). A FEI é uma das cinco escolas de Engenharia da região que organizaram a edição 2015.

10 Aug

Empresas exigem engenheiros com competências múltiplas

Entre vários pré-requisitos, de 1.132 anúncios em jornais em busca de engenheiros em Portugal, uma pesquisa da Universidade do Minho constatou que haviam 1.658 exigências de conhecimento técnico na área, mas quase o triplo apontavam para a necessidade de competências transversais como liderança, línguas, comunicação e trabalho em equipe. Ou seja, as empresas acreditam que as escolas estão certificando profissionais com todas essas habilidades, mas ficou a pergunta: será que estão mesmo?

Professor Rui Lima, da Universidade do Minho participará do workshop sobre Aprendizagem Ativa e PBL, do COBENGE.

Professor Rui Lima, da Universidade do Minho participará do workshop sobre Aprendizagem Ativa e PBL, do COBENGE.

É certo que o mercado demanda mais do que especialistas em uma única área, responde o professor Rui Lima da Universidade do Minho, que esteve na Universidade Federal do ABC no dia 3 de agosto para palestra sobre a implantação do método PBL (Problem Based Learning, ou Aprendizado Baseado em Problemas) na instituição.

O coração da estratégia do PBL parece simples: desde o primeiro semestre o aluno tem oportunidade de investigar protótipos e estabelece contato privilegiado com o setor produtivo ao longo da graduação para desenvolver trabalhos práticos, além de uma formação mais interdisciplinar. Significa que cada trabalho tem interação com professores de várias disciplinas, como matemática, física, química, cálculos e biologia, por exemplo, e não somente com o titular de uma área.

Engenheiro eletrotécnico, Rui Lima é do Departamento de Produção e Sistemas da Escola de Engenharia do Minho e falará no COBENGE-2015 (Congresso Brasileiro de Educação em Engenharia), que este ano será sediado na UFABC, em São Bernardo do Campo. Ele participará de sessão plenária na manhã de 9 de setembro e em workshop dia 11 de setembro sobre Aprendizagem Ativa e PBL.

Outros quatro conferencistas internacionais são aguardados para o evento: Gregory James Light, da Northewestern University de Chicago (EUA); Maria Weurlander, do Royal Institute of Technology da Suécia; Diana Mesquita, também da Universidade do Minho; e Erik de Graaff, da Aalborg University (Dinamarca). Veja a programação completa em http://www.abenge.org.br/cobenge-2015/2015/programacao_9

________________________________________________________________________

COBENGE 2015

O Congresso Brasileiro de Educação em Engenharia é o mais importante fórum de discussão sobre formação e exercício profissional em Engenharia no Brasil, realizado anualmente desde 1973 pela Associação Brasileira de Educação em Engenharia (ABENGE). Este ano ocorre de 8 a 11 de setembro próximo. As inscrições vão até 2 de setembro para o Congresso e até 16 de agosto para participar de visitas técnicas, minicursos e workshops.

XLIII Congresso Brasileiro de Educação em Engenharia

Quando: 8 a 11 de setembro de 2015

Onde: Universidade Federal do ABC, campus São Bernardo do Campo (SP), Rua Arcturus, 03, Jardim Antares

Tema: Aprendizagem Ativa: Engenheiros Colaborativos para um Mundo Competitivo

Inscrições: até 2 de setembro pelo http://www.abenge.org.br/cobenge-2015/  e até 16 de agosto para minicursos, visitas técnicas e workshops

Organização: Centro Universitário da FEI (Fundação Educacional Inaciana), Universidade Metodista de São Paulo, Centro Universitário Fundação Santo André, Centro Universitário do Instituto Mauá de Tecnologia, Universidade Federal do ABC.

Promoção: Associação Brasileira de Educação em Engenharia (ABENGE).

 

Curta nossa página no Facebook

Twitter