25 out

Uma dose de café e muito conhecimento, por favor ;)

cafe-quimica2-linkedin

Na última segunda-feira, 23 de outubro, uma manhã muito agradável e cheia de conhecimento marcou mais uma edição do Café com a Engenharia Química, onde alunos e professores da FEI receberam a palestrante Maria Cristina Nascimento, presidente da ABEQ – Associação Brasileira de Engenharia Química.

O objetivo desse encontro foi promover aos alunos um diálogo com o mercado de trabalho, sobretudo o papel do Engenheiro Químico no desenvolvimento de processos e produtos na indústria. A convidada, Maria Cristina, trouxe duas apresentações com diversos exemplos práticos sobre o tema, abrindo espaço para perguntas de todos os tipos.

usar blog 3

 Maria Cristina Nascimento

Presidente da ABEQ – Associação Brasileira de Engenharia Química

Os questionamentos mais comuns entre os estudantes foram sobre conquistar um emprego e como ser inovador para atender as demandas exigentes em um Engenheiro Químico. Apesar de ser uma área exata, Cristina afirma que é preciso ser inovador e criativo.

“O profissional que vai trabalhar em inovação tem que ser curioso, tem que querer entender melhor, saber melhor. Esse é o perfil. É um profissional que busca alternativas, que não se prende em estudar somente aquilo que lhe foi demandado. Ele também precisa conhecer além do espaço dele, como que o trabalho vai impactar os outros, além da flexibilidade e boa relação interpessoal”, comentou a palestrante.

0X9A0671

Segundo Cristina, as grandes empresas têm apostado muito em perfis jovens em suas equipes, justamente pela inovação das ideias, mas ao mesmo tempo, como um ponto de equilíbrio, sempre haverá dois ou três engenheiros mais experientes.

Essas palestras funcionam como uma janela para o amplo (e concorrido) mercado de trabalho. Mais que isso, os alunos percebem o valor de poderem conversar com profissionais expressivos sobre a área que estudam, como forma de influência nas decisões futuras sobre carreira.

A aluna do 7º ciclo de Engenharia Química, Caroline Alfredo da Silva, comenta: “Ajudou muito a ter uma noção de como funciona na prática, não só para mim, mas principalmente para o pessoal novo da Engenharia Química. Acho que a faculdade permite ter uma visão muito técnica de como o Engenheiro Químico trabalha, então eu acho primordial esse tipo de conversa, poder ter esse bate papo informal, a liberdade de saber como é o dia a dia e se é isso o que queremos para as nossas vidas”.

usar blog 2

O encontro terminou com diversas fotos para recordação, uma visita de Maria Cristina aos laboratórios de Engenharia Química da FEI e uma certeza: compartilhar conhecimento é sempre válido, melhor ainda quando acompanhado de um bom café!

Realize o Novo com a FEI! As inscrições para o Vestibular 2018 estão abertas.

Clique aqui e se inscreva

Vestibular

22 set

FEI se destaca na Avaliação Folha RUF 2017

Após a excelente avaliação da FEI no Guia do Estudante, conquistando 51 estrelas como mostramos aqui, agora é a vez de um novo destaque: a Avaliação Folha RUF 2017!

ruf_linkedin

Criada em 2012 e sempre publicada no mês de setembro, a avaliação é organizada pela Folha de São Paulo, um dos maiores jornais do País, que analisa instituições de ensino e seus cursos espalhados por todo o Brasil.

Dos 7 cursos da FEI avaliados, 5 ocupam os primeiros lugares entre as melhores instituições de ensino particulares do País. São eles:

Engenharia Civil – 5º

Ciência da Computação – 5º

Engenharia Elétrica – 2º

Engenharia Mecânica – 1º

Engenharia de Produção – 1º

Engenharia Química – 1º

Entre os melhores cursos do ABC Paulista, a FEI se destacou com Administração, Ciência da Computação, Engenharia Civil, Engenharia Mecânica, Engenharia Elétrica, Engenharia de Produção e Engenharia Química.

Parabéns aos alunos, professores e colaboradores, responsáveis pelo sucesso da Instituição!

E você? Está pronto para realizar o novo com a FEI? As inscrições para o Vestibular 2018 estão abertas, é só clicar aqui e se inscrever!

1

19 set

Conheça a Equipe Concreto FEI

A noite cai e o trabalho é intenso dentro do Prédio F do Centro Universitário FEI. Ao entrar pela porta que dá acesso a um dos laboratórios, o cenário é interessante: um grande grupo de alunos se prepara, com jalecos, materiais e diversas folhas em cima da mesa, para mais um dia de atividades. Os maquinários do local estão prontos para utilização e desenvolvimento prático das pesquisas realizadas por estes estudantes. Aqui estamos, no Laboratório de Engenharia Civil, conferindo de perto o trabalho da premiada Equipe Concreto FEI!

Concreto 1

Os projetos institucionais da FEI, referência entre as faculdades, permitem aos estudantes evoluírem seus conhecimentos, indo além do conteúdo teórico que é ensinado em sala de aula. Trabalhar em equipe, assumir responsabilidades e participar de competições com avaliações rigorosas, fazem com que estes jovens estejam mais preparados para o mercado de trabalho.

“Eu aconselharia a qualquer aluno que tenha interesse em se preparar para o mercado de trabalho, a entrar em um grupo de pesquisa como o nosso”, comenta Bruno Innocenti, aluno de Engenharia Civil e membro da equipe Concreto FEI, que desenvolve pesquisas de concreto de alto desempenho, com o objetivo de oferecer novas tecnologias ao mercado de trabalho.

Concreto 2

O Concreto FEI conta com 14 participantes, distribuídos em diferentes ciclos do curso de Engenharia da FEI. Para participar dos campeonatos e ser reconhecida como uma das melhores equipes do País, os alunos precisam estudar livros que vão do 1º ciclo ao 10º ciclo, adquirindo, assim, um conhecimento único, além de um ótimo networking para suas vidas profissionais.

“Conforme vai passando o tempo você percebe que tem muito ainda a aprender. Você se torna mais humilde. E também passa a encarar os desafios com muito mais gana! ”, completa Bruno.

Diferente do que muitas pessoas pensam, o projeto não é voltado somente para alunos da Engenharia Civil. Qualquer estudante da FEI, mesmo de outras Engenharias e até mesmo Administração, podem participar. A equipe apoia ter diferentes pessoas com diferentes habilidades, para uma maior cooperação nos projetos e trabalhos realizados.

Assista o vídeo e conheça mais sobre o projeto Concreto FEI

Gostou de conhecer mais sobre a equipe? Realize o novo você também! As inscrições para o Vestibular FEI 2018 já estão abertas, não perca tempo e inscreva-se agora mesmo clicando aqui!

19 jul

Mestrado além das fronteiras

O aluno de Mestrado em Engenharia Química da FEI, Herich Bastos, teve sua pesquisa selecionada para apresentação no Tetrahedron Symposium, importante congresso anual de química orgânica, que aconteceu em Budapeste, na Hungria.

2

No cenário atual do mercado de trabalho, aumentar a empregabilidade e manter-se atualizado (a) na área de formação é essencial. Já explicamos neste post o que é empregabilidade e a importância em investir em cursos de pós-graduação.

Com o objetivo de promover e desenvolver o conhecimento científico e a formação de recursos humanos com qualidade e excelência acadêmica, o Programa de Pós-Graduação em Engenharia Química da FEI, no nível Mestrado, incentiva os alunos nas áreas de pesquisa em Processos Químicos e Biotecnológicos e Petróleo, Gás e Biocombustíveis.

Ainda mais enriquecedor, cruzar a fronteira do conhecimento e viajar até outro país para participar de cursos, eventos e congressos científicos, eleva ainda mais este aprendizado e desenvolvimento.

É o caso do aluno e engenheiro químico Herich Bastos, estudante de Mestrado em Engenharia Química da FEI, que viajou para Budapeste, capital da Hungria. O pós-graduando apresentou sua pesquisa realizada durante o curso, sobre química orgânica, no Tetrahedron Symposium, maior congresso internacional sobre química orgânica, bio-orgânica e medicinal.

1

O Blog da FEI entrou em contato com Herich, que gentilmente nos cedeu mais informações sobre o seu projeto e participação no congresso. Confira:

– Quando e por que você decidiu ingressar no Mestrado em Engenharia Química?

Herich: “Iniciei o mestrado em 2015 conquistando uma bolsa de mérito oferecida pela FEI com objetivo justamente de me lançar em pesquisas em síntese química e engenharia química. Desde criança sou apaixonado por ciência e pelo conhecimento e a possibilidade de realizar estudos dessa natureza sempre foi um sonho.”

– Conte-me, de forma resumida, sobre sua viagem à Budapeste para participar do Congresso

Herich: “A viagem a Budapeste foi incrível! Fiquei durante uma semana no País e pude conhecer monumentos históricos, visitar castelos medievais e aprender um pouco da cultura da Hungria. Apresentar um trabalho cientifico junto a cientistas do mundo todo podendo levar o nome do Brasil para um congresso desse porte, mesmo nas atuais dificuldades que nosso país enfrenta, onde os financiamentos para pesquisa foram brutalmente cortados em um cenário de grandes instabilidade econômica, me ensinaram a grande capacidade que possuímos para superarmos qualquer barreira através do conhecimento, do esforço e da iniciativa individual.”

– Como surgiu a proposta para participar deste Congresso em Budapeste?

Herich: “O Tetrahedron Symposium é um importante congresso anual que apresenta novos desenvolvimentos em química orgânica sendo patrocinado pela Elsevier. Submetemos a pesquisa tão logo entendemos o alcance de nossos resultados para o campo da química orgânica e tivemos a alegria de nossa pesquisa ter sido aceita para a apresentação, após avaliação da equipe do congresso.”

3

– Conte-nos mais sobre a sua pesquisa, conceitos, áreas de estudo etc.

Herich: “A pesquisa teve origem em minha dissertação de mestrado que é voltada à síntese orgânica. Realizamos halogenações oxidativas com uso de peróxido de hidrogênio de compostos aromáticos sob irradiação ultrassônica. Nossa metodologia visa mais eficiência, maior seletividade na obtenção dos compostos e uso de reagentes menos tóxicos e alinhados aos princípios da química verde. Os objetivos foram alcançados e demonstraram maiores avanços se comparado as mais recentes metodologias utilizadas.”

– Como o Programa de Mestrado da FEI contribuiu para o seu desenvolvimento?

Herich: “O programa de mestrado em Engenharia Química da FEI me possibilitou, através de toda infraestrutura, tradição e valores, desenvolver as competências necessárias para me destacar como profissional obtendo oportunidades na indústria e me desenvolver paralelamente no mundo acadêmico. A possibilidade de conseguir destaque concomitantemente nesses dois campos é o que é mais surpreendente do programa e do que ele contribuiu para mim.”

– Qual a sua recomendação para um profissional que esteja interessado em cursar um Mestrado, seja em Química ou qualquer outra área de atuação?

Herich: “Recomendo a todos que se interessem a ingressar no mestrado da FEI aproveitar essa grande oportunidade se dedicando ao máximo acreditando que grandes projetos nascem ali. Seja o protagonista de sua história e faça sua história ali pois o programa possibilita grandes possibilidades.”

4

Assim como Herich, se você deseja se aprofundar ainda mais no aprendizado da graduação, ampliando o conhecimento sobre um tema de interesse acadêmico, o curso de Mestrado (Stricto Sensu) é uma boa indicação. A FEI está com inscrições abertas.

Além dele, mais de 15 cursos de Especialização também oferecem excelentes chances de crescimento profissional.

Invista em sua carreira com a FEI 😉

28 jun

FEI Portas Abertas promove uma imersão universitária para alunos do Ensino Médio

Portas

“A melhor maneira de prever o futuro é criá-lo”  – Peter Drucker – Escritor, professor e consultor austríaco.

O período de transição entre o ensino médio e a graduação é muito impactante na vida dos adolescentes. Além do compromisso com os estudos para uma boa colocação no vestibular, escolher o curso e a área de formação profissional traz à tona uma diversidade de dúvidas e questionamentos.

Como é a rotina em uma faculdade? Qual o tipo de atividade vou desenvolver em laboratórios? Como escolher a faculdade certa com tantas instituições disponíveis no mercado?

Pensando nisto, o Centro Universitário FEI promove todo ano o evento FEI PORTAS ABERTAS, que tem como principal objetivo receber alunos, professores e escolas do ensino médio, além de visitantes em geral, para conhecerem toda a infraestrutura da Instituição através de mais de 100 atividades, como: workshops, experiências em laboratórios, oficinas, pesquisas e projetos dos cursos de Engenharia, Administração e Ciência da Computação.

portas2

Como o próprio nome sugere, as portas estão literalmente abertas ao público. Os visitantes são recebidos na entrada e, divididos por grupos, são guiados por monitores, estes formados por alunos e professores da FEI, que os guiam por todo o campus apresentando cada dependência e suas características, espaços destinados a cursos e pesquisas.

Uma das principais novidades da última edição, realizada em 13 de maio de 2017, foi o desafio FEI Escape: uma sala cheia de enigmas onde o grupo precisa decifrar códigos e pistas complexas, dentro de um tempo especificado, para sair do ambiente. Esse jogo foi projetado pelo Departamento de Ciência da Computação, junto de alunos da graduação e pós-graduação.

escape 2Escape

Para os interessados em Engenharia, diversos projetos criativos proporcionam o conhecimento e acesso a um mundo de ideias, apresentando na prática os desafios que fazem parte da rotina dos alunos da FEI, como: Fórmula FEI, um veículo tipo fórmula que participa de competições; FEI Baja, um veículo off-road projetado e desenvolvido por alunos para as competições nacionais e internacionais do BAJA SAE; AeroDesign, que desenvolve o aluno no ramo aeronáutico, entre outros.

Foto Mec JPEG

Além disso, os visitantes passam também por laboratórios de Engenharia de Materiais, Química, Civil, Têxtil, Automação e Controle, Produção e Elétrica. Durante toda a visita, o contato com alunos e professores da Instituição permite aos jovens conhecerem um pouco do dia a dia de um estudante universitário, rotina que muito em breve será realidade também para eles.

Outros

Para os interessados na área de Administração de Empresas e Gestão, workshops e oficinas são oferecidos com detalhes do plano pedagógico e visão de futuro da FEI. É importante destacar a necessidade de trabalhar a visão crítica e o espírito de empreendedorismo já no primeiro ano da graduação, alinhado ao conhecimento teórico necessário.

“A experiência foi sensacional. Até poucos dias atrás, eu estava em busca de uma Federal (…). Entretanto, a estrutura da FEI, professores e ambiente, me fizeram ficar em dúvida. Obrigado por nos receber e abrir suas portas para nós, jovens”. Comenta Caio Rodrigues Vieira, visitante do evento.

Um outro grande influenciador para alunos do ensino médio é o próprio professor que convive diariamente com esses jovens e, de certa forma, os conduzem até a porta do vestibular. Para estes profissionais, além da visita normal ao evento, há um diferencial. O FEI Portas Abertas promove palestras exclusivas para o corpo docente das escolas, apresentando a importância da orientação e, principalmente, visão de futuro. Como bons formadores de opinião, é importante entender a missão e objetivo nos quais a FEI está inserida: formar profissionais do futuro.

Ciencia

A 9ª edição do FEI Portas Abertas teve recorde de público recebendo mais de 4.500 pessoas. Sempre à frente, a expectativa para 2018 é ampliar ainda mais este público e as atividades.

Confira no vídeo como foi o Portas Abertas 2017.

Veja as fotos do evento neste link

Curta nossa página no Facebook

Twitter