10 Aug

Dia do Estudante: você sabe a origem desta data?

Em 11 de agosto é comemorado em nosso país o Dia do Estudante. O Blog da FEI traz neste texto qual a origem dessa data. Pronto (a) para um pouco de história? Boa leitura!

Estudantes 2

No dia 11 de agosto se comemora, no Brasil, o Dia do Estudante. É também nesta data que se comemora o Dia do Advogado. Coisas distintas, certo? O porquê de ambos serem homenageados no mesmo dia tem uma relação em comum: a origem.

Para você entender essa ligação, precisaremos voltar na história do nosso País, mais precisamente no ano de 1827, época do recém-instituído Império Brasileiro.

O Imperador da época, Dom Pedro I, autorizou em 11 de agosto a criação das duas primeiras faculdades de Direito do Brasil, sendo: a Faculdade de Direito de Olinda, em Pernambuco, e a Faculdade de Direito do Largo do São Francisco, em São Paulo. Por esse motivo, comemora-se o Dia do Advogado nesta data, 11 de agosto.

Estudantes 1

Em 1927, uma comemoração celebrava o centenário da criação dessas duas faculdades. Nos festejos estava presente um advogado chamado Celso Gand Lay, que sugeriu aos demais participantes que, neste mesmo dia, fosse também celebrado o Dia do Estudante. A razão pela qual Celso deu essa sugestão foi por que mais que o início das faculdades de Direito, o dia 11 de agosto de 1827 foi um marco importante para a história da educação no Brasil.

Nascia, então, em 11 de agosto de 1927, o Dia do Estudante.

Estudantes 3

O Blog da FEI parabeniza a todos os estudantes do País, sejam de escolas, faculdades, cursos livres e, claro, alunos do Centro Universitário FEI, pelo dia 11 de agosto.

A persistência e esforço são grandes chaves para o sucesso. Não desistam!

Até o próximo post 😉

01 Aug

Biblioteca Pe. Aldemar Moreira S.J. – História e Curiosidades

“Meus filhos terão computadores, sim, mas antes terão livros. Sem livros, sem leitura, os nossos filhos serão incapazes de escrever – inclusive a sua própria história” – Bill Gates

3

Você alguma vez já se perguntou como seria o mundo sem livros? Difícil imaginar, não é mesmo? Eles são responsáveis por registrar histórias, estórias também; fatos do passado que moldaram a sociedade, contos e aventuras que saíram (e saem constantemente) da cabeça de escritores pelo mundo todo. Além disso, sábios do passado e presente registram em livros seus conhecimentos acadêmicos para servir de referência às novas gerações. Resumindo, livro é vida, literalmente.

Falando em história, hoje o Blog da FEI traz para vocês alguns detalhes e curiosidades da Biblioteca Pe. Aldemar Moreira S.J., do Centro Universitário FEI, à disposição de todos os alunos, funcionários e ex-alunos da Instituição, nos campi São Paulo e São Bernardo do Campo.

1

A biblioteca foi instalada em 29 de março de 1946, mas só começou a funcionar em 11 de dezembro de 1950. Seu nome é uma homenagem ao Padre Aldemar Moreira, que por anos foi presidente da Instituição, promovendo grandes mudanças e realizações.

Seu acervo é composto por mais de 30 mil itens, entre livros, revistas, periódicos e multimeios, com uma ampla variedade de temas que vão ao encontro das necessidades acadêmicas dos alunos e público de interesse. O público pode consultar, reservar e administrar as locações pelo aplicativo da Biblioteca

2

Indo além do silêncio, corredores e prateleiras cheias de livros, a biblioteca incentiva a troca de conhecimento e cultura promovendo eventos no local, como Feira da Troca de Livros, onde participantes podem doar um livro e escolher outro de seu interesse. Para outubro de 2017, a Exposição Fotografia e Poesias promete reunir trabalhos diversos de alunos, funcionários, professores e terceiros do Centro Universitário FEI.

E claro, você acompanhará como será este evento por aqui, no Blog da FEI!

Até o próximo post 😉

20 Jul

Dia do Amigo: você sabe a origem desta data?

Todo ano, em 20 de julho, inúmeras mensagens celebrando o Dia do Amigo tomam conta do nosso círculo social, seja na faculdade, no trabalho ou até mesmo em casa. Nas redes sociais, usuários entram no clima da comemoração e não faltam memes, vídeos, homenagens bonitas – às vezes, irônicas e com sátiras saudáveis, mas ainda assim, homenagens – e uma série de expressões midiáticas que dominam a língua dos usuários na Internet.

Mas em meio à todas essas saudações divertidas, você alguma vez já se perguntou: qual a origem desta data? Por que 20 de julho é considerado o Dia do Amigo? O Blog da FEI, então, responde!

3

A origem: por muito tempo, iniciativas distintas espalhadas pelo mundo sugeriram uma data para celebrar o Dia do Amigo; no entanto, nenhuma delas foi oficialmente adotada como cultura. Nos Estados Unidos e em parte da Ásia, por exemplo, a data chegou a ser comemorada no 1º domingo de agosto.

Em 20 de julho de 1969, o mundo presenciava o famoso feito do astronauta Neil Armstrong, primeiro homem a andar na lua, como um “gigante salto para a humanidade”. Diante da ocasião, um médico argentino chamado Enrique Ernesto Febbraro resolveu enviar cerca de 4 mil cartas para diversos países, de diversos idiomas, com o intuito de instituir o Dia do Amigo. Segundo Enrique, o feito de ir até à lua demonstra que se o homem se unir aos seus semelhantes, não há objetivos impossíveis.

2

Após 10 anos de muita insistência por parte de Febbraro, em 1979, a Argentina decretou oficialmente o Dia do Amigo, sendo este em 20 de julho. De lá, a data e a cultura foram se espalhando pelo mundo todo.

Outras comemorações: em 27 de abril de 2011, durante a 65ª sessão da Assembleia Geral das Nações Unidas, o tratamento da “Cultura de Paz” reconheceu “a pertinência e a importância da amizade como sentimento nobre e valioso na vida dos seres humanos de todo o mundo“. Assim sendo, decidiram designar o dia 30 de julho como o “Dia Internacional da Amizade”. A proposta foi apresentada ao lado de 43 países (incluindo o Brasil) e todos concordaram com a iniciativa.

Amigo

No Brasil, é comum encontrar comemorações do Dia do Amigo no dia 18 de abril, porém, grande parte do País vem adotando 20 de julho como a data oficial.

Mas claro, datas e histórias à parte, o mais importante é celebrar e valorizar as amizades que conquistamos no dia a dia. Elas são como pontes que sustentam nossa vida e nos motivam a seguir em frente. A vida universitária é fonte de grandes amizades!

Feliz Dia do Amigo!

11 Jul

Os benefícios da leitura

“A leitura é uma fonte inesgotável de prazer, mas por incrível que pareça, a quase totalidade não sente esta sede” – Carlos Drumond de Andrade – Poeta, contista e cronista brasileiro.

leitura

Ler é um hábito que traz benefícios múltiplos ao ser humano. Faz bem para a saúde física e, mais ainda, para a mente.

Através da leitura é possível desenvolver a criatividade, o estímulo à imaginação, aumentar o vocabulário e, naturalmente, melhorar a escrita. No geral, ler é aumentar os conhecimentos, logo, é evoluir.

Essas características são fundamentais para a formação profissional e pessoal. Um bom poder de comunicação verbal, escrita ou falada, constrói um indivíduo mais bem preparado para os desafios do dia a dia, além de deixá-lo mais questionador sobre o mundo. Quem questiona, também evolui.

Na era digital em que vivemos, é comum encontrarmos pessoas que não trocam a tela touch do celular por livros, questão de hábito e preferência. Mas a boa notícia é que podemos usar essa tecnologia em prol, também, da leitura.

leitura 3

Separamos 4 dicas básicas, mas muito úteis, para você tornar a leitura um hábito diário. Confira:

Ler no Celular: se você não se acostuma com a ideia de andar com livros na mochila ou embaixo do braço, adote o hábito de ler no celular ou dispositivos similares, como tablets, por exemplo. Hoje em dia temos disponíveis diversos aplicativos próprios para leitura, alguns com livros grátis, inclusive. É o caso do Google Livros, aplicativo que já vem instalado nos celulares com sistemas Android.

Compartilhe a Leitura: ler boas histórias, como bem sabemos, nos leva a lugares incríveis e a um mundo novo, tudo dentro da nossa mente. Mas não fique somente lá. Compartilhe essas histórias e suas experiências de leituras com amigos, certamente será uma troca enriquecedora. Novamente, a era digital é uma grande aliada nesse aspecto, pois, é possível utilizar redes sociais como o Skoob, que reúne leitores e escritores e permite trocar informações sobre leitura.

Meta Diária: estipule uma meta de acordo com o seu ritmo de leitura e disponibilidade de tempo. Se você julga que tem 15 minutos para ler, dedique-se. Se você julga ter 30 minutos ou mais, dedique-se também. Pode ser interessante definir o número de páginas a serem lidas, começando com números baixos se você não tem o hábito. Por exemplo: cinco páginas por dia. Aos poucos você vai aumentando essa meta, o importante é não parar.

Avalie a sua Preferência: a melhor maneira de incentivar a leitura é escolhendo temas do seu interesse. Você se envolve com a história e não percebe o tempo passar enquanto lê. Há tanto gênero à disposição: aventura, drama, ficção, suspense, além de outros tipos, como, documentários, biografias e histórias do passado.

leitura 2

Dicas anotadas? Então, comece hoje mesmo e boa leitura. 🙂

06 Jun

Programas de Intercâmbio FEI – Como fazer?

post_intercambio

“Um homem precisa viajar por sua conta, não por meio de histórias, imagens, livros ou TV. Precisa viajar por si, com seus olhos e pés, para entender o que é seu. Para um dia plantar as suas próprias árvores e dar-lhes valor. Conhecer o frio para desfrutar o calor. E o oposto. Sentir a distância e o desabrigo para estar bem sob o próprio teto…” – Amyr Klink – Navegador, palestrante e escritor.

Fazer um intercâmbio é garantia de aprendizado e evolução para o campo pessoal e profissional. Passar alguns meses estudando em cidade ou país diferente faz com que você tenha uma bagagem cultural diversificada, conhecendo novas pessoas, hábitos, história e cultura local, ampliando assim a sua visão do mundo.

Os alunos da FEI contam com programas de intercâmbio para diferentes destinos, nacionais e internacionais, podendo enriquecer ainda mais a formação acadêmica. Uma vez matriculado, é importante que o aluno interessado em estudar fora da cidade fique atento às datas para solicitações de cadastro, entrega de documentos, regras para participação do programa etc. Como toda viagem, realizar um intercâmbio requer muito planejamento.

Para melhor orientação sobre os procedimentos, conversamos com Tiago Muzilli, coordenador de Relações Internacionais do Centro Universitário FEI. Confira:

  • Qual a sua dica para o aluno que está chegando na FEI e ainda não conhece os Programas de Intercâmbio?

 O Centro Universitário FEI possui acordos de colaboração com diversas instituições no mundo para a realização de intercâmbios acadêmicos, possibilitando que seus alunos realizem parte da graduação em países como Alemanha, Argentina, Canadá, Chile, Espanha, França e México sem custos adicionais na universidade de destino.

Convidamos a todos os interessados que acessem o site da FEI e conheçam os detalhes sobre o programa de intercâmbio. Também sugerimos que venham conversar conosco pessoalmente para que possam esclarecer eventuais dúvidas sobre o programa. É importante que, ao longo da graduação, os estudantes tentem identificar oportunidades de estudo no exterior compatíveis com seus interesses e com suas expectativas de formação acadêmica e profissional.

  • Quais os pré-requisitos para que o aluno faça o intercâmbio pela FEI?

Para participar do intercâmbio, o estudante deve cumprir com pré-requisitos estabelecidos pela FEI e pelas universidades de destino, como possuir bom desempenho acadêmico e proficiência em idioma estrangeiro. Podem apresentar candidatura todos os estudantes regularmente matriculados e que estejam em dia com as obrigações assumidas no Contrato de Prestação de Serviços Educacionais assinado com a FEI.

 

  • Como ele pode melhor se orientar sobre o melhor destino?

ViagemO processo de escolha do destino é um pouco subjetivo, pois normalmente depende da identificação de cada estudante e do que cada aluno busca com essa experiência internacional. Sugerimos que o candidato consulte os programas oferecidos pelas universidades parceiras e observe aquelas onde há disciplinas na sua área de estudo na FEI, considerando que participantes frequentemente encontram matérias relevantes para a formação em outros cursos correlatos. O estudante poderá selecionar disciplinas de diferentes programas na universidade estrangeira, desde que cumpram com os pré-requisitos dessas matérias. Normalmente o ‘melhor destino’ é aquele país ou instituição onde o participante poderá, de maneira integrada e bem adaptada, desenvolver os projetos de interesse, atender um plano de estudos multidisciplinar ajustado e complementar a formação tradicional, encontrar oportunidades de estágio profissional ou acadêmico, interagir positivamente com estudantes e professores etc.

 

  • Quais as principais vantagens e reconhecimento que o aluno pode ter ao realizar um intercâmbio?

A experiência internacional pode trazer enormes ganhos para a formação técnica e multicultural exigida pelo mercado de trabalho, desenvolvendo competências globais que os auxiliarão na condução das atividades acadêmicas e na empregabilidade em diferentes setores da economia. A oportunidade de estudar disciplinas em ambiente universitário no exterior possibilita que alunos descubram diferentes sistemas de educação, conheçam novas abordagens pedagógicas e novos referenciais de estudos. Permite que alunos trabalhem com eficiência em grupos compostos por estudantes de diferentes culturas e idiomas, com respeito e compreensão a essas diferenças. A formação internacional permite que o estudante desenvolva uma visão mais holística das sociedades e dos grandes temas globais, com um melhor entendimento sobre os diversos cenários nacionais e internacionais e, consequentemente, sobre seu papel como agente social transformador, com alta capacidade técnica aliada à visão humana e ética.

  • O aluno que faz um intercâmbio de um semestre acadêmico continua o mesmo semestre que estava atendendo na FEI, no exterior? Como ele repõe essas aulas no retorno?

Os alunos podem selecionar disciplinas visando a dispensa de matérias ou conteúdo complementar à formação na FEI. Em qualquer dos casos, recomenda-se a busca de orientação acadêmica junto a professores, coordenadores e chefes de departamento.

A inscrição nas disciplinas indicadas dependerá de aprovação da instituição de destino, que avaliará a disponibilidade, grade horária e pré-requisitos existentes. O aproveitamento de estudos é analisado individualmente pelos coordenadores de curso ou tutores acadêmicos – professores indicados, e a situação acadêmica do aluno é regularizada no regresso, mediante apresentação do histórico escolar original da instituição de destino com a relação e ementas das disciplinas cursadas e aprovadas (e qualquer material complementar requisitado para a análise de equivalências). As equivalências são concedidas por conteúdo das matérias e a FEI não garante progressão de ciclo no retorno.

Ficará a cargo do aluno a responsabilidade de completar a sua formação no que diz respeito às matérias não dispensadas do programa da FEI, embora haja a recomendação de que o aluno atenda no exterior disciplinas específicas, contextualizadas, complementares a formação do aluno e que não seriam cursadas no Centro Universitário da FEI.

Caso o estudante esteja matriculado no último ciclo (formando) no momento do início da viagem ao exterior, não poderá obter dispensa completa de ciclo por aproveitamento de estudos, devendo, portanto, atender parte das disciplinas do programa da FEI ao retornar para a instituição.

Todas as matérias cursadas no exterior constarão no histórico da FEI como disciplinas extracurriculares cursadas no exterior.

como-funciona-o-intercambio

Para mais informações sobre os Programas de Intercâmbio da FEI, acesse:

http://portal.fei.edu.br/pt-BR/ensino/relacoesInternacionais/programas_internacionais/Paginas/intercambio.aspx

Contato:

Coordenadoria de Relações Internacionais

E-mail: internacional@fei.edu.br

Telefone: 4353-2900 ramal 2234

Curta nossa página no Facebook

Twitter