21 maio

FEI contribui para pesquisa no setor visual

As áreas da Engenharia e Ciência da Computação têm exercido um importante papel na evolução e criação de novas tecnologias a favor da saúde. Sistemas inteligentes, automatizados e dinâmicos podem trazer resultados e diagnósticos cada vez mais precisos, possibilitando assim uma solução mais eficaz. No embalo desse cenário encontramos também diversas startups em todo o mundo, beneficiando a área da saúde com criatividade e inovação. O LAPAN – Laboratório de Ciências Aplicadas e Neurociências da Visão da Faculdade de Engenharia da UFMG em parceria com o Hospital de Olhos de Minas Gerais tem sido um dos mais produtivos em artigos, teses de mestrado e doutorado e registro de patentes.

palestra1

Na última sexta-feira, 18 de maio, os alunos do Centro Universitário FEI puderam assistir a palestra “Sistema Visual”, ministrada pelo Prof. Dr. Ricardo Guimarães, médico oftalmologista e diretor de pesquisas clínicas do LAPAN. Durante o encontro, Dr. Ricardo apresentou os temas nos quais a UFMG e Hospital de Olhos estão têm pesquisado em conjunto, também com o apoio do Centro Universitário FEI. Incentivar a pesquisa em prol do bem-estar é preparar os alunos, futuros profissionais, para os desafios do futuro que serão parte da vida de todos nas próximas décadas.

palestra2

Venha Realizar o Novo com a FEI! As inscrições para o Vestibular do Meio do Ano estão abertas. Clique aqui!

Vestiba

12 abr

Vídeos do Congresso de Inovação FEI

Post Video Congresso

Ao longo de mais de 75 anos de existência, o Centro Universitário FEI sempre teve como objetivo a formação profissional qualificada de seus alunos. Nas últimas décadas, é inevitável fecharmos os olhos para a redução no tempo em que mudanças ocorrem. Tecnologias deixam de ser novas em poucos anos, hábitos de consumo mudam antes da chegada de novas gerações à fase adulta de consumo. E assim, profissões deixam de existir enquanto outras ganham forçam. Vivendo nesse cenário, o questionamento a seguir é frequente: como se adaptar para as mudanças e megatendências das próximas décadas?

Atenta à essa demanda, a FEI promove anualmente o Congresso de Inovação: um encontro que tem como objetivo identificar as principais mudanças do futuro e assim orientar os mais de 8.000 estudantes da Instituição sobre suas carreiras e visão de negócios. Especialistas e grandes líderes da indústria são convidados para dialogar com alunos e professores sobre as megatendências e inovações que demandam profissionais diferenciados no mercado de trabalho. Todo esse conteúdo evolutivo da edição 2017 do evento, já está disponível em vídeo! Acesse o link a seguir e caminhe com a FEI rumo a 2050:

Até o próximo post 😉

17 jan

Pós-Graduação e Empregabilidade

Post Geral

O que é empregabilidade?

A resposta para essa pergunta é simples, mas revela também um longo caminho a ser seguido. A empregabilidade está relacionada com o interesse que as empresas têm em contratar e/ou manter um profissional em seu quadro de colaboradores. Quanto maior for a sua bagagem pessoal e profissional, com ótimas referências no mercado, mais você será visto e os empregadores terão interesse em te contratar.

Falando sobre o mercado trabalho, dizer que ele está em constante mudança já não é mais novidade, afinal, vivemos essa realidade há algum tempo. Bastam poucos anos para que as tecnologias sejam reinventadas, hábitos de consumo e comportamento sejam mudados.

Diante de tal cenário, cada profissional deve avaliar e, também, manter sua empregabilidade em constante mudança, apostando em qualificação e evolução. É preciso ser notado no ambiente corporativo. E hoje, há diversos caminhos para evoluir e se especializar nas diversas áreas de atuação.

De acordo com uma pesquisa realizada pela PayScale, empresa americana especializada em pesquisas de perfis salariais, cursar uma pós-graduação aumenta a empregabilidade para profissionais de diferentes áreas.

Para isso, se planejar e investir em cursos de especialização é um passo essencial para se manter atualizado (a). Seja recém-formado (a) ou com anos de experiência, estamos na era do conhecimento e simplesmente não há motivos para encerrar os estudos.

O Prof. Dr. Wilson de Castro Hilsdorf, coordenador do curso de pós-graduação em Estratégias para a Qualidade e Competitividade da FEI, comenta: “O mercado de trabalho pede por profissionais atualizados. Dependendo da carreira, é necessário mais do que um curso de especialização”.

Os benefícios ao cursar uma pós-graduação são incontáveis, como, por exemplo: redirecionar a carreira, podendo atuar em áreas mais específicas ou até mesmo despertar o espírito empreendedor, alterações de cargos e salários, visão ampla de negócios e gestão de pessoas e empresas.

Screenshot_3

Para garantir todos esses fatores, é fundamental escolher uma instituição renomada para cursar a pós-graduação. É importante que a faculdade esteja sempre atenta às expectativas e, principalmente, mudanças constantes do mercado.

A FEI está com inscrições abertas para diversos cursos de Especialização, além de mestrado e doutorado, com a tradição e excelência no ensino que você conhece. Acesse o site, conheça e inscreva-se! Os cursos são oferecidos nos campi de São Bernardo do Campo e São Paulo a candidatos individuais e também podem ser oferecidos para grupos fechados. Invista em sua carreira!

Para mais informações:

Campus São Paulo – (11) 3274-5200
Envio de currículos para análise – iecatsp@fei.edu.br

Campus São Bernardo do Campo – (11) 4353-2909
Envio de currículos para análise – iecat@fei.edu.br

14 dez

Cursinho FEI leva oportunidades a jovens do Ensino Médio

Em meados de 2014, um grupo de professores e alunos da FEI se reuniram para dar aulas de reforço a estudantes do Ensino Médio. Aulas de português e matemática eram ministradas semanalmente e, conforme foi passando o tempo, foram se expandido para outras disciplinas, como física, química, história e inglês.

Após um ano de trabalho, o projeto começou a crescer e ganhar um novo direcionamento: proporcionar aos estudantes a oportunidade de obter bons resultados no Vestibular. Nascia, então, o Cursinho FEI.

cursinho 1

Em 2017 foram cerca de 100 inscritos no processo seletivo, para 60 vagas disponíveis. Este número surpreendeu os professores, que seguem animados com a ampliação do programa. Atualmente, além do conteúdo em sala de aula, há diversas atividades extracurriculares no ramo cultural, social e ambiental.

“Além disso, o Cursinho FEI tem também um outro papel: permitir que os nossos alunos (graduandos da FEI) deem sua contribuição para um mundo melhor, para um mundo mais justo e mais humano. ”, completa o Professor Dr. Roberto Baginski, um dos participantes do Cursinho.

No último dia 6 de dezembro, quarta-feira, uma cerimônia foi realizada no campus São Bernardo do Campo, onde cada aluno ganhou um certificado de formatura, dando um passo a mais rumo à vida universitária.

Cursinho 2

“O Cursinho FEI me ajudou muito esse ano, porque aqui eu criei amizades e aprendi a ter maturidade para conseguir passar no vestibular e aprender o fundamental. ”, comenta Bruno Zanchetta, aluno do Cursinho FEI aprovado no Vestibular para jornalismo.

Conheça mais sobre o Cursinho FEI no vídeo abaixo:

Para ficar por dentro do projeto, acesse a Fan Page deles clicando aqui.

Até o próximo post 😉

24 out

Ex-aluno FEI e Diretor no Gartner, Carlos Sapateiro fala sobre as mudanças no Mercado de Trabalho

Carlos Sapateiro Facebook

O curso de Engenharia da FEI traz uma diversidade de desafios aos estudantes. É preciso ter disciplina, comprometimento e muito esforço, além da persistência. Quando somados, esses fatores fazem a diferença no currículo e preparam o profissional para o seu principal desafio: o mercado de trabalho.

Hoje, trazemos para vocês uma entrevista inspiradora com o Engenheiro Eletricista Carlos Sapateiro, formado pela FEI, que atualmente ocupa o cargo de Diretor de Desenvolvimento de Negócios no Gartner, multinacional americana, líder global em Aconselhamento e Pesquisas de Mercado no Segmento de Tecnologia. Confira:

1  De forma resumida, conte-nos como foi sua formação na FEI e como a Instituição o apoiou em seus caminhos profissionais.

Carlos: “A FEI foi um divisor de águas em minha vida. Sou formado em Engenharia Elétrica com ênfase em Eletrônica. A FEI é uma Instituição que lhe ensina para a vida. Ensina a se planejar e tomar decisões. A rigidez da FEI no seu compromisso com a educação e formação dos profissionais é muito séria e rica em conhecimento. Não aprendemos apenas os cálculos que fazem parte das grades curriculares da engenharia, a FEI nos ajuda a enfrentar problemas, a sermos resilientes e seguirmos em busca dos nossos sonhos. Até uma frustação com alguma nota que não tenha sido tão boa, hoje vejo que que isso só me deu robustez na vida corporativa para enfrentar com garra as negativas que temos em nosso dia a dia.”

2 – Você está no mercado de trabalho há mais de 20 anos. Para você, como as mudanças da sociedade, especialmente as tecnológicas, impactaram no dia a dia de um Engenheiro Eletricista?

Carlos: “Quando me formei, as Telecomunicações eram as áreas que mais demandavam profissionais da Engenharia Elétrica, tanto que meu início de carreira compus uma multinacional sueca de Telecomunicações, a Ericsson. A evolução tecnológica e o avanço da internet fizeram uma verdadeira revolução – e isso é extremamente importante para todos nós. Vejo o mercado e a evolução da tecnologia e da engenharia sempre a favor de todo segmento de mercado. Hoje tudo é conectado e móvel, a transformação digital é inevitável e faremos parte de toda essa mudança. A Inteligência Artificial e uso de robôs serão cada vez mais comuns em nosso dia a dia, isso será extremamente benéfico para toda a sociedade. Seremos todos impactados por estas mudanças e isso será maravilhoso. O engenheiro sempre estará acerca de toda essa transformação. Nosso papel consciente será de suma importância na orquestração destas evoluções.”

3 – Complementando a pergunta anterior, o que um profissional da área deve fazer para acompanhar essas mudanças ao longo dos anos?

Carlos: “Informação. A palavra chave sempre será ir em busca da informação. Ser curioso, ser perspicaz em busca e sede de conhecimento. Os profissionais deverão sempre se adaptar às mudanças. Ser um profissional resiliente também é uma forma de entender e tirar o melhor proveito de todas estas transformações. Hoje existem vários cursos de reciclagens, MBA/Pós-Graduação em temas voltados à TI/Evolução Tecnológica e Transformação Digital.

Carlos Sapateiro_5092Hoje estou no Gartner com a função de Diretor de Desenvolvimento de Negócios. O Gartner é uma multinacional americana, líder global em Aconselhamento e Pesquisas de Mercado no Segmento de Tecnologia. Entregamos aos nossos clientes os insights necessários para tomada de decisão, mitigando risco, diminuindo o tempo de tomada de decisão, otimizando investimentos. Minha responsabilidade é entender os principais desafios de negócio e de tecnologia dos clientes, alavancando melhores práticas de TI que os levem a superar seus resultados. Promovendo isso, a TI se transforma em um ativo estratégico fazendo com que as empresas se tornem mais competitivas enfrentando seus desafios de mercado.”

4 – Recentemente o Centro Universitário FEI realizou o Congresso de Inovação, um evento que tem como objetivo inserir os alunos da Instituição à realidade do mercado, principalmente sobre as mudanças do futuro. Na sua opinião, quais são as principais tendências na área de Engenharia Elétrica para os próximos anos?

Carlos – Excelente iniciativa da FEI, sempre pioneira na interação entre indústria e aluno. Não adianta formar profissionais teóricos. A FEI sempre zelou por formar profissionais prontos para o mercado de trabalho e estas interações com a realidade enaltece o conhecimento dos futuros engenheiros que se lançarão ao mercado. As principais tendências no nosso mercado serão: o Mundo Digital, a Inteligência Artificial (IA) e a Internet das Coisas (IoT). Alinhadas à conectividade e mobilidade, essas tendências serão os grandes “drivers” destas transformações.

5 – Para finalizar, qual dica você gostaria de deixar para os alunos que estão atrás de um estágio e/ou uma oportunidade de trabalho? Como se destacar no mercado?

Carlos – A dica que eu daria seria sempre se esforçar acreditando no seu maior sonho. Foi assim que deu certo comigo! Venho de família de classe média porem sempre quis fazer o melhor e acreditando que venceria.  Sejam persistentes e resilientes para cair e se levantar. A FEI é excelente para nos ensinar e nos fortalecer para os tombos que tomamos durante os anos de graduação dentro da Engenharia. Hoje com mais maturidade, vejo que fez toda a diferença para mim na minha vida profissional e pessoal. Sempre que posso divido isso com minhas equipes e pessoas que me cercam.

Sapateiro

Se motivou com essa entrevista? Realize o Novo com a FEI! As inscrições para o Vestibular 2018 estão abertas. Clique aqui e inscreva-se.

Vestibular

Curta nossa página no Facebook

Twitter