01 Aug

Biblioteca Pe. Aldemar Moreira S.J. – História e Curiosidades

“Meus filhos terão computadores, sim, mas antes terão livros. Sem livros, sem leitura, os nossos filhos serão incapazes de escrever – inclusive a sua própria história” – Bill Gates

3

Você alguma vez já se perguntou como seria o mundo sem livros? Difícil imaginar, não é mesmo? Eles são responsáveis por registrar histórias, estórias também; fatos do passado que moldaram a sociedade, contos e aventuras que saíram (e saem constantemente) da cabeça de escritores pelo mundo todo. Além disso, sábios do passado e presente registram em livros seus conhecimentos acadêmicos para servir de referência às novas gerações. Resumindo, livro é vida, literalmente.

Falando em história, hoje o Blog da FEI traz para vocês alguns detalhes e curiosidades da Biblioteca Pe. Aldemar Moreira S.J., do Centro Universitário FEI, à disposição de todos os alunos, funcionários e ex-alunos da Instituição, nos campi São Paulo e São Bernardo do Campo.

1

A biblioteca foi instalada em 29 de março de 1946, mas só começou a funcionar em 11 de dezembro de 1950. Seu nome é uma homenagem ao Padre Aldemar Moreira, que por anos foi presidente da Instituição, promovendo grandes mudanças e realizações.

Seu acervo é composto por mais de 30 mil itens, entre livros, revistas, periódicos e multimeios, com uma ampla variedade de temas que vão ao encontro das necessidades acadêmicas dos alunos e público de interesse. O público pode consultar, reservar e administrar as locações pelo aplicativo da Biblioteca

2

Indo além do silêncio, corredores e prateleiras cheias de livros, a biblioteca incentiva a troca de conhecimento e cultura promovendo eventos no local, como Feira da Troca de Livros, onde participantes podem doar um livro e escolher outro de seu interesse. Para outubro de 2017, a Exposição Fotografia e Poesias promete reunir trabalhos diversos de alunos, funcionários, professores e terceiros do Centro Universitário FEI.

E claro, você acompanhará como será este evento por aqui, no Blog da FEI!

Até o próximo post 😉

19 Jul

Mestrado além das fronteiras

O aluno de Mestrado em Engenharia Química da FEI, Herich Bastos, teve sua pesquisa selecionada para apresentação no Tetrahedron Symposium, importante congresso anual de química orgânica, que aconteceu em Budapeste, na Hungria.

2

No cenário atual do mercado de trabalho, aumentar a empregabilidade e manter-se atualizado (a) na área de formação é essencial. Já explicamos neste post o que é empregabilidade e a importância em investir em cursos de pós-graduação.

Com o objetivo de promover e desenvolver o conhecimento científico e a formação de recursos humanos com qualidade e excelência acadêmica, o Programa de Pós-Graduação em Engenharia Química da FEI, no nível Mestrado, incentiva os alunos nas áreas de pesquisa em Processos Químicos e Biotecnológicos e Petróleo, Gás e Biocombustíveis.

Ainda mais enriquecedor, cruzar a fronteira do conhecimento e viajar até outro país para participar de cursos, eventos e congressos científicos, eleva ainda mais este aprendizado e desenvolvimento.

É o caso do aluno e engenheiro químico Herich Bastos, estudante de Mestrado em Engenharia Química da FEI, que viajou para Budapeste, capital da Hungria. O pós-graduando apresentou sua pesquisa realizada durante o curso, sobre química orgânica, no Tetrahedron Symposium, maior congresso internacional sobre química orgânica, bio-orgânica e medicinal.

1

O Blog da FEI entrou em contato com Herich, que gentilmente nos cedeu mais informações sobre o seu projeto e participação no congresso. Confira:

– Quando e por que você decidiu ingressar no Mestrado em Engenharia Química?

Herich: “Iniciei o mestrado em 2015 conquistando uma bolsa de mérito oferecida pela FEI com objetivo justamente de me lançar em pesquisas em síntese química e engenharia química. Desde criança sou apaixonado por ciência e pelo conhecimento e a possibilidade de realizar estudos dessa natureza sempre foi um sonho.”

– Conte-me, de forma resumida, sobre sua viagem à Budapeste para participar do Congresso

Herich: “A viagem a Budapeste foi incrível! Fiquei durante uma semana no País e pude conhecer monumentos históricos, visitar castelos medievais e aprender um pouco da cultura da Hungria. Apresentar um trabalho cientifico junto a cientistas do mundo todo podendo levar o nome do Brasil para um congresso desse porte, mesmo nas atuais dificuldades que nosso país enfrenta, onde os financiamentos para pesquisa foram brutalmente cortados em um cenário de grandes instabilidade econômica, me ensinaram a grande capacidade que possuímos para superarmos qualquer barreira através do conhecimento, do esforço e da iniciativa individual.”

– Como surgiu a proposta para participar deste Congresso em Budapeste?

Herich: “O Tetrahedron Symposium é um importante congresso anual que apresenta novos desenvolvimentos em química orgânica sendo patrocinado pela Elsevier. Submetemos a pesquisa tão logo entendemos o alcance de nossos resultados para o campo da química orgânica e tivemos a alegria de nossa pesquisa ter sido aceita para a apresentação, após avaliação da equipe do congresso.”

3

– Conte-nos mais sobre a sua pesquisa, conceitos, áreas de estudo etc.

Herich: “A pesquisa teve origem em minha dissertação de mestrado que é voltada à síntese orgânica. Realizamos halogenações oxidativas com uso de peróxido de hidrogênio de compostos aromáticos sob irradiação ultrassônica. Nossa metodologia visa mais eficiência, maior seletividade na obtenção dos compostos e uso de reagentes menos tóxicos e alinhados aos princípios da química verde. Os objetivos foram alcançados e demonstraram maiores avanços se comparado as mais recentes metodologias utilizadas.”

– Como o Programa de Mestrado da FEI contribuiu para o seu desenvolvimento?

Herich: “O programa de mestrado em Engenharia Química da FEI me possibilitou, através de toda infraestrutura, tradição e valores, desenvolver as competências necessárias para me destacar como profissional obtendo oportunidades na indústria e me desenvolver paralelamente no mundo acadêmico. A possibilidade de conseguir destaque concomitantemente nesses dois campos é o que é mais surpreendente do programa e do que ele contribuiu para mim.”

– Qual a sua recomendação para um profissional que esteja interessado em cursar um Mestrado, seja em Química ou qualquer outra área de atuação?

Herich: “Recomendo a todos que se interessem a ingressar no mestrado da FEI aproveitar essa grande oportunidade se dedicando ao máximo acreditando que grandes projetos nascem ali. Seja o protagonista de sua história e faça sua história ali pois o programa possibilita grandes possibilidades.”

4

Assim como Herich, se você deseja se aprofundar ainda mais no aprendizado da graduação, ampliando o conhecimento sobre um tema de interesse acadêmico, o curso de Mestrado (Stricto Sensu) é uma boa indicação. A FEI está com inscrições abertas.

Além dele, mais de 15 cursos de Especialização também oferecem excelentes chances de crescimento profissional.

Invista em sua carreira com a FEI 😉

12 Jul

Conheça o projeto Robô FEI

1

Preparar o aluno na prática para o mercado de trabalho é um dos principais objetivos do Centro Universitário FEI. Para isso, o incentivo e investimento em projetos que permitem aos estudantes vivenciar o dia a dia como profissionais são constantes.

Essa é a realidade da equipe Robô FEI, formada em 2003, com a proposta de desenvolver projetos e aprimorar pesquisas de robótica e inteligência artificial. Para realização dos trabalhos, o projeto conta com alunos de Ciência da Computação e Engenharia.

Atualmente, os robôs são divididos em três categorias. São elas:

– Humanoide: robô com características humanas, projetado para jogar futebol de forma autônoma. Através de uma câmera integrada e programação previamente planejada, o robô deve calcular a distância de chute, espaço entre os adversários entre outros.

2

– At home: robô doméstico que visa a interação entre humano e máquina. Conhecido como Judith, a robô é figura conhecia na FEI, sendo muito querida por alunos e professores. Sua principal função é identificar e auxiliar em casa, podendo, inclusive, identificar através de sua câmera quando alguém está caído no chão. Se for o caso, a robô faz uma ligação de emergência para um número previamente programado.

3

– Small Size: nesta categoria, como o próprio nome diz, os robôs são pequenos e, assim como o Humanoide, jogam futebol. A dinâmica de jogo é diferente e mais planejada, além do campo e bola serem proporcionalmente menores devido ao tamanho dos robôs.

4

Uma característica muito interessante do Robô FEI é a integração entre alunos da graduação, mestrado e doutorado. Esse intercâmbio permite o desenvolvimento do trabalho em equipe e troca de conhecimentos, teóricos e práticos.

“Na faculdade, geralmente, a gente aprende mais o lado teórico. No projeto [Robô FEI] a gente aprende a lidar tanto com o lado prático quanto com pessoas. Você precisa aprender a trabalhar em equipe, ajudar e transmitir conhecimento”, comenta Jade Cortez, aluna de Engenharia Mecânica da FEI e participante do projeto.

6

Jade Cortez, aluna de Engenharia Mecânica, em entrevista para a TV Globo

Indo além do campus, o Robô FEI participa de competições de robótica, nacionais e internacionais, conquistando bons resultados. Esse ano, por exemplo, a equipe vai viajar até o Japão para participar da Robocup, copa mundial de robôs, que reúne instituições e equipes do mundo todo num torneio emocionante.

Atualmente, a FEI possui um dos melhores desenvolvimentos em robótica do País. Confira como é o trabalho da Robô FEI neste vídeo:

 

06 Jul

Principais dúvidas sobre o Crédito Educativo

Com inscrições abertas para os cursos de Pós-Graduação, a FEI oferece um Crédito Educativo em parceria com a FUNDACRED. Tire todas suas dúvidas neste post.

Usar 3

Construir uma sociedade mais desenvolvida, por meio da qualificação profissional, faz parte da missão do Centro Universitário FEI. Essa característica de crescimento está presente dentro dos campi da Instituição com ações distintas.

Partindo deste princípio, um convênio com a FUNDACRED – Fundação de Crédito Educativo, possibilita a concessão de bolsas de estudo para alunos da graduação e pós-graduação, pelo sistema de crédito rotativo.

Caracterizada como uma ferramenta de cunho social, a principal finalidade do Crédito Educativo é favorecer os estudantes que necessitam de um apoio econômico-financeiro para a realização dos estudos.

Usar 2

Como sempre, uma série de dúvidas surge na mente dos interessados pelo benefício. Para isso, o Blog da FEI traz as principais respostas para estes questionamentos. Confira:

Quem pode participar?

Estudantes universitários, regularmente matriculados, excluídos aqueles já beneficiados integralmente por outro Programa de Bolsa de Estudos. Todos os candidatos devem possuir bom desempenho acadêmico.

Qual o percentual de crédito?

O valor do crédito corresponde a 25% ou 50% do custo das parcelas da semestralidade, excetuando-se o da matrícula, fixado pela FEI de acordo com o curso em que o aluno estiver matriculado.

Qual o prazo de utilização do crédito educativo?

O tempo regular do curso.

O Crédito Educativo exige garantias?

Sim. Para participar, o estudante deve possuir idoneidade cadastral e apresentar fiador com renda de 1,5 vezes o valor da mensalidade, respeitando o valor mínimo de 2 (dois) salários mínimos de vigência nacional.

Como se candidatar?

Após o período de matrículas, o aluno terá acesso ao site do Fundacred para realizar sua inscrição para o financiamento.

CredIES FEI será ofertado de acordo com a disponibilidade financeira da FEI, sem número de vagas preestabelecido, em benefício dos(as) candidatos(as) graduandos(as), calouros(as) e/ou veteranos(as), que de acordo com o critério social, comprovarem maior carência financeira, conforme renda bruta familiar per capita.

Como é feita a concessão do crédito?

A concessão do crédito educativo ou Bolsa Rotativa de Estudo é feita mediante a celebração, entre a FUNDACRED e o aluno indicado pela FEI, de um Contrato Particular de Mútuo, que estabelece prazo, garantia, forma de pagamento, atualização e penalidades idênticos, no que couber, àqueles estabelecidos no Contrato de Prestação de Serviço Educacional celebrado entre a FEI (Escola) e o aluno.

A FUNDACRED figura como mandatária da FEI (Escola), cabendo a esta a elaboração do instrumento, que, após conferido, assinado e aceito, suspende a cobrança das parcelas da semestralidade, em parte, dependendo do percentual concedido.

O direito à bolsa só emerge com a efetiva formalização do Contrato Particular de Mútuo.

E quanto à renovação do crédito?

O aluno bolsista Fundacred promovido ao próximo semestre letivo, terá renovação automática do crédito já concedido anteriormente. Em caso de reprovação por média ou faltas, sem qualquer exceção, o aluno terá direito a apenas uma renovação do crédito.

E o Crédito Educativo, como será pago?

Após doze meses da conclusão do curso, o estudante beneficiado inicia o reembolso dos valores emprestados.

A partir desta data, o valor componente da dívida do(a) MUTUÁRIO(A) será atualizado até o mês de reembolso de cada parcela, tomando como base de cálculo o valor unitário da respectiva semestralidade/anuidade então vigente. Ocorrendo a extinção do curso, a atualização dos valores dar-se-á pelo INPC – Índice Nacional de Preços ao Consumidor, ou outro índice que venha a substituí-lo, a partir da última variação da mensalidade aplicada.
Sobre o valor de cada parcela de reembolso, é acrescido o percentual de 0,35% (zero vírgula trinta e cinco por cento) ao mês, calculado entre a data do contrato e a data do efetivo pagamento da parcela, destinada ao fundo de administração.

O que ocorre se o bolsista trancar matrícula?

O aluno ao trancar matrícula, deverá pedir a suspensão de seu crédito. O trancamento de matrícula superior a um período letivo implica em cancelamento do crédito e a exigibilidade da contraprestação antecipada, ou seja, a restituição do crédito é antecipada para o mês seguinte (último dia do mês) ao 2º (segundo) trancamento.

O que ocorre se o bolsista cancelar matrícula ou pedir transferência para outra IES?

Se o BOLSISTA cancelar a matrícula, pedir transferência ou abandonar o curso, será considerada antecipadamente vencida a dívida resultante do Contrato de Mútuo, devidamente atualizada segundo o preço da mensalidade então em vigor.

O crédito da FUNDACRED oferece flexibilidade?

Sim. O estudante pode solicitar encerramento do crédito ou mesmo redução do percentual, quanto a renovação do seu crédito, que é feita a cada semestre.

usar 1

Conheça os cursos de pós-graduação da FEI e se inscreva.

Até o próximo post 😉

28 Jun

FEI Portas Abertas promove uma imersão universitária para alunos do Ensino Médio

Portas

“A melhor maneira de prever o futuro é criá-lo”  – Peter Drucker – Escritor, professor e consultor austríaco.

O período de transição entre o ensino médio e a graduação é muito impactante na vida dos adolescentes. Além do compromisso com os estudos para uma boa colocação no vestibular, escolher o curso e a área de formação profissional traz à tona uma diversidade de dúvidas e questionamentos.

Como é a rotina em uma faculdade? Qual o tipo de atividade vou desenvolver em laboratórios? Como escolher a faculdade certa com tantas instituições disponíveis no mercado?

Pensando nisto, o Centro Universitário FEI promove todo ano o evento FEI PORTAS ABERTAS, que tem como principal objetivo receber alunos, professores e escolas do ensino médio, além de visitantes em geral, para conhecerem toda a infraestrutura da Instituição através de mais de 100 atividades, como: workshops, experiências em laboratórios, oficinas, pesquisas e projetos dos cursos de Engenharia, Administração e Ciência da Computação.

portas2

Como o próprio nome sugere, as portas estão literalmente abertas ao público. Os visitantes são recebidos na entrada e, divididos por grupos, são guiados por monitores, estes formados por alunos e professores da FEI, que os guiam por todo o campus apresentando cada dependência e suas características, espaços destinados a cursos e pesquisas.

Uma das principais novidades da última edição, realizada em 13 de maio de 2017, foi o desafio FEI Escape: uma sala cheia de enigmas onde o grupo precisa decifrar códigos e pistas complexas, dentro de um tempo especificado, para sair do ambiente. Esse jogo foi projetado pelo Departamento de Ciência da Computação, junto de alunos da graduação e pós-graduação.

escape 2Escape

Para os interessados em Engenharia, diversos projetos criativos proporcionam o conhecimento e acesso a um mundo de ideias, apresentando na prática os desafios que fazem parte da rotina dos alunos da FEI, como: Fórmula FEI, um veículo tipo fórmula que participa de competições; FEI Baja, um veículo off-road projetado e desenvolvido por alunos para as competições nacionais e internacionais do BAJA SAE; AeroDesign, que desenvolve o aluno no ramo aeronáutico, entre outros.

Foto Mec JPEG

Além disso, os visitantes passam também por laboratórios de Engenharia de Materiais, Química, Civil, Têxtil, Automação e Controle, Produção e Elétrica. Durante toda a visita, o contato com alunos e professores da Instituição permite aos jovens conhecerem um pouco do dia a dia de um estudante universitário, rotina que muito em breve será realidade também para eles.

Outros

Para os interessados na área de Administração de Empresas e Gestão, workshops e oficinas são oferecidos com detalhes do plano pedagógico e visão de futuro da FEI. É importante destacar a necessidade de trabalhar a visão crítica e o espírito de empreendedorismo já no primeiro ano da graduação, alinhado ao conhecimento teórico necessário.

“A experiência foi sensacional. Até poucos dias atrás, eu estava em busca de uma Federal (…). Entretanto, a estrutura da FEI, professores e ambiente, me fizeram ficar em dúvida. Obrigado por nos receber e abrir suas portas para nós, jovens”. Comenta Caio Rodrigues Vieira, visitante do evento.

Um outro grande influenciador para alunos do ensino médio é o próprio professor que convive diariamente com esses jovens e, de certa forma, os conduzem até a porta do vestibular. Para estes profissionais, além da visita normal ao evento, há um diferencial. O FEI Portas Abertas promove palestras exclusivas para o corpo docente das escolas, apresentando a importância da orientação e, principalmente, visão de futuro. Como bons formadores de opinião, é importante entender a missão e objetivo nos quais a FEI está inserida: formar profissionais do futuro.

Ciencia

A 9ª edição do FEI Portas Abertas teve recorde de público recebendo mais de 4.500 pessoas. Sempre à frente, a expectativa para 2018 é ampliar ainda mais este público e as atividades.

Confira no vídeo como foi o Portas Abertas 2017.

Veja as fotos do evento neste link

Curta nossa página no Facebook

Twitter