01 dez

Aluno de Engenharia Civil da FEI ganha intercâmbio no Programa Fórmula Santander

Fazer um intercâmbio é o sonho de muitos universitários. Os benefícios pessoais e culturais de passar meses estudando em outro país estão diretamente conectados com a potencialização curricular, aumentando assim a empregabilidade. O resultado de viajar o mundo é uma mente mais conhecedora e dinâmica.

O Centro Universitário FEI tem realizado diversas parcerias que proporcionam aos seus alunos a oportunidade de cursar um semestre (dependendo do caso, até mais) em universidades fora do País. É o caso do Programa Fórmula Santander, organizado pela Santander Universidades, que possui a FEI como uma das 53 instituições de ensino cadastradas.

3

Gustavo Magalhães Terceto, aluno de Engenharia Civil FEI

O objetivo é oferecer 100 bolsas de estudos internacionais para alunos da graduação e pós-graduação. Os candidatos devem se cadastrar a partir de um edital previamente divulgado pela instituição onde estuda, seguindo os critérios de avaliação do Programa.

Em sua 8ª edição, realizada em 10 de novembro de 2017, um dos vencedores foi Gustavo Magalhães Tercete, aluno do 8º ciclo de Engenharia Civil na FEI. O valor da Bolsa? Aproximadamente 5 mil euros para cobrir custos com transporte, hospedagem e alimentação, além de poder escolher entre as 1,2 mil instituições conveniadas ao Programa em 20 diferentes países.

A entrega do prêmio aconteceu no Autódromo de Interlagos, em São Paulo, onde os participantes também puderam conferir o treino livre do Grande Prêmio Brasil de Fórmula 1.

1

O Blog da FEI conversou com o aluno, Gustavo Tercete, sobre toda a premiação e expectativa. Confira:

Como você recebeu a notícia que foi um dos vencedores do Programa Fórmula Santander?

Foi uma notícia muito inesperada devido à grande concorrência para a vaga. Foi uma alegria imensa saber que essa oportunidade surgiu para mim.

Você passará 6 meses estudando fora do País. Já tem o destino definido?

Ainda não, mas estou planejando ir para a Universidad de Alicante, na Espanha. 

Conte-nos um pouco sobre as expectativas de aprendizado neste intercâmbio.

Eu espero aprender muito conhecendo uma cultura diferente! Viver essa experiência ao máximo e aproveitar cada momento.

Na sua opinião, qual a importância da FEI em apoiar esse tipo de iniciativa? O que você mais toma como aprendizado sendo aluno da Instituição?

A FEI tem me apoiado desde o início da faculdade com oportunidades de projetos e pesquisas. Esse apoio foi fundamental, pois pude me dedicar aos estudos de forma integral, o que me propiciou um excelente desempenho acadêmico. Existe uma grande importância nas relações que a FEI estabelece com estes programas de intercâmbio, pois, apesar de ser poucas as oportunidades, ainda atinge alunos de baixa renda que não teriam condições de realizar uma viagem deste porte. 

Qual dica você daria para um aluno que sonha com um intercâmbio estudantil?

Eu diria para ele que se empenhar na faculdade sempre vale a pena. Nós devemos estar preparados para quando a oportunidade aparecer. E nunca perder a esperança, pois novas chances sempre aparecem para aqueles que se preparam. 

1382-2276-formula-santander-_-becas-2017--i-hate-flash__20171123194604445_B07A

O Centro Universitário FEI parabeniza o aluno Gustavo Tercete, pela conquista, e deseja que esse intercâmbio seja extremamente enriquecedor.

Acesse este post e saiba mais sobre os Projetos de Intercâmbio da FEI

Até a próxima 😉

23 out

Megatendências para 2050 no Congresso de Inovação FEI

Evento realizado na FEI reuniu grande líderes da indústria para debates sobre o futuro.

Congresso 2

Cada vez mais o Centro Universitário FEI se preocupa em levar seus estudantes, especialmente os recém-chegados à Instituição, para o mercado de trabalho. Mais que isso, é importante que a capacitação a esses jovens seja qualificada e moldada de acordo com as mudanças da nossa sociedade, sobretudo as tendências de futuro.

Mas, como saber o que será tendência dentro de alguns anos? A resposta para esse desafio não é fácil. Pensando nisso a FEI promoveu a 2ª edição do Congresso de Inovação, entre os dias 9 e 11 de outubro. O evento, criado em 2016, tem como proposta discutir as megatendências para 2050 e, segundo elas, como um estudante FEIano deve se preparar para o mercado de trabalho.

cong 4

Para reforçar a importância do Congresso e aumentar a consistência do conteúdo trabalhado durante o encontro, os palestrantes convidados têm currículos de extrema importância na indústria, sendo em sua maioria presidentes, vice-presidentes, líderes do governo e academia, todos reunidos no campus São Bernardo do Campo da FEI, em contato direto com os alunos. Alguns painéis foram moderados por jornalistas influentes, como por exemplo, Carlos Tramontina, apresentador da TV Globo.

cong tramontina

O tema da edição 2017 foi “A Cidade e o Campo Inteligentes para uma melhor qualidade de vida”. Os palestrantes trouxeram importantes estudos que mostram, por exemplo, como as cidades estarão em 2050 e quais as tendências de comportamento, demanda e necessidades que precisarão de solução rápida dos profissionais do futuro, que hoje ocupam as salas de aula da FEI. A atividade no campo também foi discutida, pois a indústria agropecuária tem crescido cada vez mais, tornando inevitável uma integração com a cidade. Juntos, cidade e campo, para aonde tudo caminhará nas próximas décadas? Essa foi mais uma das inúmeras perguntas que passaram pelo palco do Congresso, abrindo um diálogo enriquecedor para todos.

No vídeo abaixo, o vice-presidente da Bayer do Brasil, Christian Lohbauer, comenta sobre as oportunidades de crescimento no agronegócio. Confira:

O Congresso de Inovação foi transmitido ao vivo na internet, durante os três dias. Dessa forma, toda a comunidade externa à FEI, incluindo ex-alunos, parceiros e público em geral, pôde acompanhar os debates e, também, fazer perguntas ao vivo através do Grupo Oficial no Facebook. Em breve os vídeos estarão disponíveis no site do Congresso.

Ao término do evento, um importante detalhe foi adicionado aos participantes: todos saíram com muito mais perguntas do que respostas. Esse é o objetivo do Congresso de Inovação FEI, provocar os estudantes e profissionais ao questionamento para que a busca pelo conhecimento seja constante, a evolução uma consequência. Quem questiona, evolui. A 3ª edição do Congresso de Inovação FEI, para 2018, já está confirmada!

cong 2

Realize o Novo! Inscreva-se no Vestibular FEI 2018 – CLIQUE AQUI.

02 out

Congresso de Inovação FEI ganha grupo oficial no Facebook

congresso

Em outubro de 2016, de olho nas tendências e principais mudanças da sociedade, o Centro Universitário FEI promoveu seu 1º Congresso de Inovação. O evento teve como objetivo discutir os principais impactos das novas tecnologias no cotidiano da sociedade até 2050, reunindo importantes líderes da indústria, formadores de opinião, professores e alunos da Instituição. Com o título “Megatendencias 2050 – Inovações e Internet das Coisas”, mais de 2 mil profissionais participaram do Congresso, que também foi transmitido ao vivo na internet, com mais de 13 mil visualizações.

Continuando o sucesso da 1ª edição, o Congresso de Inovação 2017 acontecerá de 9 a 11 de outubro de 2017, com o tema “A Cidade e o Campo inteligentes”. Mais de 50 líderes e grandes influenciadores discutirão e compartilharão suas visões de mudanças, que vão impactar você, já em um futuro próximo.

Outra proposta ambiciosa do evento, é promover o diálogo com o público interno e externo, antes, durante e depois do Congresso! Para isso, um Grupo Oficial foi criado no Facebook, onde todos podem fazer parte das discussões e, assim, caminhar com a FEI rumo a 2050. Participe!

Congresso - Grupo Facebook

Através do grupo, durante o evento, será possível enviar perguntas para todos os painelistas, interagir com outros membros e estender o networking.

Para saber mais, acesse o site do Congresso de Inovação FEI.

01 ago

Biblioteca Pe. Aldemar Moreira S.J. – História e Curiosidades

“Meus filhos terão computadores, sim, mas antes terão livros. Sem livros, sem leitura, os nossos filhos serão incapazes de escrever – inclusive a sua própria história” – Bill Gates

3

Você alguma vez já se perguntou como seria o mundo sem livros? Difícil imaginar, não é mesmo? Eles são responsáveis por registrar histórias, estórias também; fatos do passado que moldaram a sociedade, contos e aventuras que saíram (e saem constantemente) da cabeça de escritores pelo mundo todo. Além disso, sábios do passado e presente registram em livros seus conhecimentos acadêmicos para servir de referência às novas gerações. Resumindo, livro é vida, literalmente.

Falando em história, hoje o Blog da FEI traz para vocês alguns detalhes e curiosidades da Biblioteca Pe. Aldemar Moreira S.J., do Centro Universitário FEI, à disposição de todos os alunos, funcionários e ex-alunos da Instituição, nos campi São Paulo e São Bernardo do Campo.

1

A biblioteca foi instalada em 29 de março de 1946, mas só começou a funcionar em 11 de dezembro de 1950. Seu nome é uma homenagem ao Padre Aldemar Moreira, que por anos foi presidente da Instituição, promovendo grandes mudanças e realizações.

Seu acervo é composto por mais de 30 mil itens, entre livros, revistas, periódicos e multimeios, com uma ampla variedade de temas que vão ao encontro das necessidades acadêmicas dos alunos e público de interesse. O público pode consultar, reservar e administrar as locações pelo aplicativo da Biblioteca

2

Indo além do silêncio, corredores e prateleiras cheias de livros, a biblioteca incentiva a troca de conhecimento e cultura promovendo eventos no local, como Feira da Troca de Livros, onde participantes podem doar um livro e escolher outro de seu interesse. Para outubro de 2017, a Exposição Fotografia e Poesias promete reunir trabalhos diversos de alunos, funcionários, professores e terceiros do Centro Universitário FEI.

E claro, você acompanhará como será este evento por aqui, no Blog da FEI!

Até o próximo post 😉

19 jul

Mestrado além das fronteiras

O aluno de Mestrado em Engenharia Química da FEI, Herich Bastos, teve sua pesquisa selecionada para apresentação no Tetrahedron Symposium, importante congresso anual de química orgânica, que aconteceu em Budapeste, na Hungria.

2

No cenário atual do mercado de trabalho, aumentar a empregabilidade e manter-se atualizado (a) na área de formação é essencial. Já explicamos neste post o que é empregabilidade e a importância em investir em cursos de pós-graduação.

Com o objetivo de promover e desenvolver o conhecimento científico e a formação de recursos humanos com qualidade e excelência acadêmica, o Programa de Pós-Graduação em Engenharia Química da FEI, no nível Mestrado, incentiva os alunos nas áreas de pesquisa em Processos Químicos e Biotecnológicos e Petróleo, Gás e Biocombustíveis.

Ainda mais enriquecedor, cruzar a fronteira do conhecimento e viajar até outro país para participar de cursos, eventos e congressos científicos, eleva ainda mais este aprendizado e desenvolvimento.

É o caso do aluno e engenheiro químico Herich Bastos, estudante de Mestrado em Engenharia Química da FEI, que viajou para Budapeste, capital da Hungria. O pós-graduando apresentou sua pesquisa realizada durante o curso, sobre química orgânica, no Tetrahedron Symposium, maior congresso internacional sobre química orgânica, bio-orgânica e medicinal.

1

O Blog da FEI entrou em contato com Herich, que gentilmente nos cedeu mais informações sobre o seu projeto e participação no congresso. Confira:

– Quando e por que você decidiu ingressar no Mestrado em Engenharia Química?

Herich: “Iniciei o mestrado em 2015 conquistando uma bolsa de mérito oferecida pela FEI com objetivo justamente de me lançar em pesquisas em síntese química e engenharia química. Desde criança sou apaixonado por ciência e pelo conhecimento e a possibilidade de realizar estudos dessa natureza sempre foi um sonho.”

– Conte-me, de forma resumida, sobre sua viagem à Budapeste para participar do Congresso

Herich: “A viagem a Budapeste foi incrível! Fiquei durante uma semana no País e pude conhecer monumentos históricos, visitar castelos medievais e aprender um pouco da cultura da Hungria. Apresentar um trabalho cientifico junto a cientistas do mundo todo podendo levar o nome do Brasil para um congresso desse porte, mesmo nas atuais dificuldades que nosso país enfrenta, onde os financiamentos para pesquisa foram brutalmente cortados em um cenário de grandes instabilidade econômica, me ensinaram a grande capacidade que possuímos para superarmos qualquer barreira através do conhecimento, do esforço e da iniciativa individual.”

– Como surgiu a proposta para participar deste Congresso em Budapeste?

Herich: “O Tetrahedron Symposium é um importante congresso anual que apresenta novos desenvolvimentos em química orgânica sendo patrocinado pela Elsevier. Submetemos a pesquisa tão logo entendemos o alcance de nossos resultados para o campo da química orgânica e tivemos a alegria de nossa pesquisa ter sido aceita para a apresentação, após avaliação da equipe do congresso.”

3

– Conte-nos mais sobre a sua pesquisa, conceitos, áreas de estudo etc.

Herich: “A pesquisa teve origem em minha dissertação de mestrado que é voltada à síntese orgânica. Realizamos halogenações oxidativas com uso de peróxido de hidrogênio de compostos aromáticos sob irradiação ultrassônica. Nossa metodologia visa mais eficiência, maior seletividade na obtenção dos compostos e uso de reagentes menos tóxicos e alinhados aos princípios da química verde. Os objetivos foram alcançados e demonstraram maiores avanços se comparado as mais recentes metodologias utilizadas.”

– Como o Programa de Mestrado da FEI contribuiu para o seu desenvolvimento?

Herich: “O programa de mestrado em Engenharia Química da FEI me possibilitou, através de toda infraestrutura, tradição e valores, desenvolver as competências necessárias para me destacar como profissional obtendo oportunidades na indústria e me desenvolver paralelamente no mundo acadêmico. A possibilidade de conseguir destaque concomitantemente nesses dois campos é o que é mais surpreendente do programa e do que ele contribuiu para mim.”

– Qual a sua recomendação para um profissional que esteja interessado em cursar um Mestrado, seja em Química ou qualquer outra área de atuação?

Herich: “Recomendo a todos que se interessem a ingressar no mestrado da FEI aproveitar essa grande oportunidade se dedicando ao máximo acreditando que grandes projetos nascem ali. Seja o protagonista de sua história e faça sua história ali pois o programa possibilita grandes possibilidades.”

4

Assim como Herich, se você deseja se aprofundar ainda mais no aprendizado da graduação, ampliando o conhecimento sobre um tema de interesse acadêmico, o curso de Mestrado (Stricto Sensu) é uma boa indicação. A FEI está com inscrições abertas.

Além dele, mais de 15 cursos de Especialização também oferecem excelentes chances de crescimento profissional.

Invista em sua carreira com a FEI 😉

Curta nossa página no Facebook

Twitter