01 Dec

CONHEÇA OS PROJETOS PREVISTOS PARA O PROEXT 2016

O Prof. Dr Ailton Pinto Alves Filho apresentará aos alunos as atividades de extensão em 2016. Os alunos interessados devem comparecer à Palestra “Micro-drenagem e infra-estrutura verde: solução para muitos objetivos ”. A palestra contará com a participação do Prof. Sr. Kurt Aman. Veja os projetos previstos para o PROEXT 2016:

  • Elaboração de sistemas para aproveitamento das águas pluviais, composto por a área de coleta (telhados) sistema de transporte (calhas) e instalações de armazenamento (cisternas);

 

  • Criação de módulos de baixo custo para aquecimento solar de água para banho e para posterior reuso para fins não potáveis, como irrigação jardins, supressão de incêndio e descargas de vasos sanitários;

 

  • Projetos de mini cisternas modulares para aplicação em quintais residências com pouca área externa;

 

  • Projetos de bombas de baixo custo para serem acoplados nos sistemas coletores;

 

  • Elaboração de dispositivos para percolação da água da chuva tais como trincheiras, valas de infiltração e bacias de infiltração para recarga dos aquíferos.

 

  • Implantação de estruturas não convencionais de tratamento de efluentes, para combate à poluição difusa, evitando a contaminação dos mananciais

 

  • Implantação de projetos de telhados verdes para população de baixa renda consistindo de camada vegetal sobre a laje impermeabilizada com manta asfáltica, podendo comportar também uma horta para consumo dos moradores

 

  • Implantação de jardins verticais e paredes verdes com elementos de isolamento térmico e de ajardinamento de áreas muito adensadas, carentes de áreas verdes e arborização

PROEXT_01dez2015

02 Sep

As cinco dicas do Profº Kurt Amann para um bom desempenho no Concurso Travessia

 

O Concurso Travessia desafia alunos de ensino médio a construir uma ponte em arco, usando palitos de sorvete, cola, clipes e barbante. Confira as dicas do Chefe do Departamento de Engenharia Civil da FEI, Professor Kurt Amann, para a competição:

Dica 1) TEMPO. A montagem da ponte é o ponto crucial do concurso e o tempo é bastante restrito. Levando isso em conta o segredo do sucesso é organizar bem a equipe e a divisão de tarefas, planejar e ensaiar a montagem para medir o tempo necessário e, se for o caso, simplificar o projeto onde for possível sem perder a qualidade da proposta final;

Dica 2) EQUIPAMENTO. Se levar equipamentos para corte ou aceleração da cura da cola, adiante-se: verifique a voltagem e potência e tenha um plano B caso algo dê errado. Lembre-se que as equipes podem se ajudar e o seu equipamento pode ser emprestado para outros competidores.

 

Concurso Travessia 2014-47

 

Dica 3) REGULAMENTO. Todos os integrantes da equipe devem estudar cuidadosamente o regulamento. Discutam sobre ele, enviem suas dúvidas à página do concurso e formulem ideias. Muitas informações não estão detalhadas no site, mas são a chave para a criatividade ser usada na solução dos problemas.

Dica 4) PESQUISA. Estudem sobre estruturas semelhantes às da ponte e seu comportamento quando carregadas, aprendam a fazer cálculos para prever a forma de ruptura, montem pequenos modelos para estudo antes do modelo maior, verifiquem os pontos fracos com testes de carga e resolvam um a um e anotem todas as tentativas para analisar os erros anteriores e não os cometer novamente. A melhor estrutura é aquela cujo projetista é capaz de prever o que vai acontecer em cada situação distinta de carregamento.

Concurso Travessia 2014-886

 

Dica 5) DIVERSÃO. Divirtam-se em todo esse processo e façam muitas amizades durante o concurso. Nem sempre o resultado final sai como o planejado, portanto o relacionamento com as pessoas deve ser o ponto mais valorizado em todo esse processo, pois é ele, mesmo em meio a uma competição, que dá sentido a tudo que vivenciamos.

03 Dec

Formandos da FEI apresentam estudos nas áreas de construção civil e trânsito

Projetos serão apresentados por formandos do curso de Engenharia Civil nos dias 6 e 7 de dezembro, no campus São Bernardo

 

São Bernardo do Campo, novembro de 2012 – Formandos do curso de Engenharia Civil do Centro Universitário da FEI (Fundação Educacional Inaciana) desenvolveram trabalhos finais de curso que apresentam soluções para gargalos no trânsito, itens sustentáveis na construção civil, análises de ferramentas eletrônicas nos projetos de construção civil e estudos comparativos de portos europeus e brasileiros e métodos de construção de pontes nacionais. Os projetos serão apresentados durante a Expocivil dias 6 de dezembro, das 9h às 15h30, e 7 de dezembro, das 9h às 14h, no campus São Bernardo (avenida Humberto de Alencar Castelo Branco, 3.972 – bairro Assunção).

Sustentabilidade – Com foco na sustentabilidade, há dois projetos, um deles Construção sustentável: métodos e aplicações, em que os autores projetaram uma casa com 70 m2, em São Bernardo, a partir de materiais e técnicas construtivas ecológicas. Na alvenaria, o bloco de concreto foi substituído por tijolo de solo-cimento, material obtido pela mistura de solo, cimento e água e que dispensa o uso de forno. A vantagem, segundo os estudantes, é que o novo material ser produzido na obra.

Outro projeto reaproveita água da chuva para bacias sanitárias e irrigação de jardim. Para isso, foram criadas cisternas na parte superior do telhado que armazenam 200 litros. “Em relação ao aquecimento de água, adotamos um sistema de captação de energia solar, com placa que absorve a energia em forma de calor e a transfere para as tubulações internas, aquecendo a água”, explica Simone Luppi, uma das autoras do projeto.

No trabalho Estudo da viabilidade econômica na implantação de itens sustentáveis na construção civil, os futuros engenheiros analisaram itens usados atualmente pelos empreendimentos residenciais, como bacias sanitárias com caixa acoplada de acionamento duplo, torneira de mesa com fechamento automático, lâmpadas fluorescentes de alta eficiência e de LED. No trabalho, destacaram que a viabilidade dos itens sustentáveis depende prioritariamente da faixa de consumo do imóvel. “A classe alta tem maior viabilidade de implantação de itens sustentáveis do que as demais, pois paga tarifas mais altas. Em contrapartida, quando reduz o consumo a economia é maior e é mais significativa em função da quantidade de pontos de consumo que um imóvel de alto padrão possui”, explica o formando Marco Antonio Rosatti Filho.

Pontes – No trabalho Estudo de casos de métodos construtivos de pontes, os alunos pesquisaram duas pontes brasileiras: ponte Presidente Costa e Silva, conhecida como ponte Rio-Niterói, localizada no Rio de Janeiro, e a Ponte do Rio Negro, no Amazonas. As pontes foram construídas em épocas distintas, com diferença entre as inaugurações de 37 anos, São bastante diferentes no método construtivo, e no uso de materiais empregados em cada construção. A Ponte Rio-Niterói é de estrutura mista, enquanto a do Rio Negro possui estrutura de concreto estaiada.

O estudo aprofunda os conhecimentos obtidos ao longo do curso, principalmente na disciplina de Pontes e Grandes Estruturas, e serve para visualizar a evolução tecnológica dos métodos construtivos, ao longo do período entre as realizações, e para entender o raciocínio empregado para solucionar os problemas, durante as construções.

Outro grupo estudou os principais componentes da estrutura com concreto pré-moldado, mostrando suas aplicações, processos de fabricação, montagem e viabilidade em galpões. Em Concreto pré-moldado: fundamentos e viabilidade da utilização em galpões, os estudantes analisam estudos comparativos em termos de cronograma, custo e qualidade em relação ao método convencional.

O sistema BIM (Building Information Modeling), que significa Modelagem de Informação da Construção, também foi alvo de estudos dos alunos da FEI, que analisaram os conceitos da metodologia, vantagens, inovações, softwares compatíveis e o desafio para a sua completa implantação nas empresas brasileiras.

Outro trabalho – Restrição à utilização do veículo particular por imposição de tarifa – aborda os impactos socioeconômicos e de infraestrutura de transporte que a implantação do Siniav (Sistema Nacional de Identificação Automática de Veículos) que podem acarretar no sistema viário das cidades.

O sétimo e último projeto desenvolvido pelos formandos da FEI – Análise comparativa da eficiência de portos europeus e brasileiros sob a ótica da operação de navios porta-contêineres – traz as principais características de terminais de contêineres localizados em portos europeus como   propostas alternativas para a otimização do sistema brasileiro em relação à operação de outros terminais.

20 Apr

SINAL VERDE: FEI OFERECE CURSOS DE ENGENHARIA DE TRÁFEGO

Destinado aos alunos de engenharia, engenheiros e técnicos, interessados pela busca de melhores soluções de trânsito e transporte.

Simulação e controle de semáforos. Análise e utilização do software. Exercícios práticos e conceitos sobre o assunto. Tudo isto estará incluso no Curso de Lisa +, serviço oferecido pelo Departamento de Engenharia Civil do Centro Universitário da FEI em parceria com a Tranzum Planejamento e Consultoria de Trânsito. O curso será realizado no campus São Bernardo do Campo nos dias 23, 24 e 25 de abril.

O Curso de Lisa + contará com profissionais qualificados na área de Engenharia de Tráfego da CET-SP (Companhia de Engenharia de Tráfego), sendo ministrado pelos professores Alexandre Zum e Denise Bittencourt, ambos com diversos cursos de especialização no exterior.

Para participar é necessário ter feito o Curso de Semáforos que aconteceu nos dias 16, 17, 18 e 19 de abril. Os interessados deverão apresentar o certificado do curso, comprovando a participação.

No Curso de Semáforos os alunos de engenharia, engenheiros e técnicos aprenderam os conceitos básicos de semáforo, e obtiveram maior conhecimento sobre Programação Semafórica, Onda Verde e Sincronismo.

A CET possui aproximadamente 45 equipes, que trabalham diariamente a fim de solucionar as ocorrências com os semáforos com defeitos. De acordo com a assessoria de imprensa, a Companhia de Engenharia de Tráfego recebe entre 60 e 65 solicitações de semáforos com problemas de funcionamento por dia. Em média a CET leva cinco horas para consertar semáforos em condições de alerta.

Para se inscrever e receber mais informações sobre o Curso de Lisa + ligue: 11 4353-2909 ou envie e-mail para iecat@fei.edu.br.

 

Curta nossa página no Facebook

Twitter