17 abr

Equipe Concreto FEI vence competição nos Estados Unidos

Mais um troféu na estante do Departamento de Engenharia Civil da FEI!

Os alunos que integram o projeto Concreto FEI, que já apresentamos a você neste post aqui, venceram a FRC Bowling Ball Competition, realizada em Salt Lake City (EUA). A competição tem como objetivo avaliar o desempenho de uma bola de concreto desenvolvida por alunos de Engenharia Civil. No evento duas categorias foram avaliadas, conforme abaixo:

Bowling Ball Design Category: considerada uma categoria secundária, se refere ao melhor projeto apresentado, considerando a previsão de desempenho da bola de concreto feita pelos estudantes. Aqui a Equipe FEI conquistou o 2º lugar.

Bowling Ball Analysis Category: essa é a categoria principal da competição, onde o desempenho da bola de concreto é testado. Aqui a Equipe FEI conquistou o 1º lugar!

Ao todo participaram 50 instituições de ensino do mundo todo, sendo somente duas do Brasil.

Confira abaixo algumas fotos dos alunos:

Concreto

O Centro Universitário FEI parabeniza seus estudantes por mais esta conquista! É uma honra para a Instituição fazer parte dessa história. Assista o vídeo abaixo e conheça a Equipe Concreto FEI:

Seja um aluno de sucesso também! As inscrições para o Vestibular do Meio do Ano da FEI estão abertas, clique aqui e se inscreva.

12 abr

Vídeos do Congresso de Inovação FEI

Post Video Congresso

Ao longo de mais de 75 anos de existência, o Centro Universitário FEI sempre teve como objetivo a formação profissional qualificada de seus alunos. Nas últimas décadas, é inevitável fecharmos os olhos para a redução no tempo em que mudanças ocorrem. Tecnologias deixam de ser novas em poucos anos, hábitos de consumo mudam antes da chegada de novas gerações à fase adulta de consumo. E assim, profissões deixam de existir enquanto outras ganham forçam. Vivendo nesse cenário, o questionamento a seguir é frequente: como se adaptar para as mudanças e megatendências das próximas décadas?

Atenta à essa demanda, a FEI promove anualmente o Congresso de Inovação: um encontro que tem como objetivo identificar as principais mudanças do futuro e assim orientar os mais de 8.000 estudantes da Instituição sobre suas carreiras e visão de negócios. Especialistas e grandes líderes da indústria são convidados para dialogar com alunos e professores sobre as megatendências e inovações que demandam profissionais diferenciados no mercado de trabalho. Todo esse conteúdo evolutivo da edição 2017 do evento, já está disponível em vídeo! Acesse o link a seguir e caminhe com a FEI rumo a 2050:

Até o próximo post 😉

11 abr

FEI realiza experimento inédito no Brasil

Em parceria com outras instituições, a partir de um laboratório inaugurado em 2016, a FEI realizou experimentos para um projeto que poderá ser utilizado como rede de comunicação espacial.

Radiacao_Facebook

O Centro Universitário FEI, em parceria com a USP e o IEAv, realizou experimentos inéditos no Brasil sobre dispositivos resistentes à radiação. O ASIC SpaceWire, que foi projetado pelo Centro de Tecnologia da Informação (CTI – Campinas) e testado no País pela primeira vez, poderá ser utilizado como uma rede de comunicação espacial em satélites pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE).

Na FEI, foram realizados os testes de tolerância aos efeitos de dose de radiação ionizante acumulada no dispositivo utilizando fonte de raios-X, no Laboratório de Efeito da Radiação Ionizante (LERI). O IEAv ficou responsável pelos testes de raios-gama, enquanto que na USP foram feitos testes usando íons pesados. O estudo faz parte do projeto de Circuitos Integrados Tolerantes à Radiação (CITAR), financiado pela FINEP, que tem cumprido um papel importante na indústria espacial.

A professora Marcilei Guazzelli, do departamento de Física da FEI e pesquisadora do projeto, destaca que os resultados representam um importante avanço para o País. “Dominar uma tecnologia de uma área estratégica, que é a Espacial, é importante para a soberania de um País. Se não tivermos desenvolvimento de tecnologia própria, ficaremos dependentes de outros países”, destaca. A docente também destaca que os resultados dos testes não servem apenas para área espacial. “Toda essa tecnologia que estamos desenvolvendo também pode ser útil para outras áreas, como a da Saúde, por exemplo”.

Embargo dos Estados Unidos

Um dos fatores motivadores do projeto e da criação do Laboratório de Pesquisas em Radiação Ionizante, na FEI, foram as dificuldades encontradas pelos pesquisadores, entre elas o embargo dos Estados Unidos. “Por conta do acordo que o Brasil fez com a China na área de satélites, sofremos sanções que dificultaram o avanço nos nossos estudos. Por conta disso, ficamos com dificuldades de adquirir dispositivos resistentes à radiação”, revela.

Esta é uma questão bastante importante particularmente para países que se encontram na região da Anomalia do Atlântico Sul, como é o caso do Brasil: “Nesta região há uma falha no campo eletromagnético que faz com que a radiação seja maior que nas outras regiões”, explica a professora. Alguns satélites desligam ao passar por esta região.

4

Saiba mais sobre o projeto CITAR

Criado em 2012, o projeto de Circuitos Integrados Tolerantes à Radiação (CITAR) tem cumprido um papel importante na indústria espacial. Ele é responsável pelo estudo, desenvolvimento e capacitação de componentes resistentes à radiação cósmica ionizante, usados em equipamentos enviados ao espaço. Em 2016, o projeto inaugurou um laboratório no campus São Bernardo do Campo, do Centro Universitário FEI, que tem como objetivo reforçar os testes e a capacitação de componentes resistentes à radiação.

“A radiação é uma grande dificuldade para o setor espacial nacional, já que afeta o funcionamento de componentes, podendo causar falhas de comunicação, interferências nas informações e até inutilizando alguns circuitos e equipamentos inteiros”, explica a professora Marcilei Guazzelli, docente do departamento de física do Centro Universitário FEI.

O coordenador Geral do Projeto Citar e Executor do Centro de Tecnologia da Informação Renato Archer, Dr. Saulo Finco, destacou o empenho da FEI em inaugurar um laboratório de extrema importância para o desenvolvimento científico do País, multiplicando recursos humanos, infraestrutura e estudos para solucionar os problemas encontrados em circuitos utilizados em satélites. “Com este laboratório e os profissionais que estarão operando nele, poderemos estudar os fenômenos encontrados em componentes de satélites”, pontuou o coordenador do projeto CITAR.

E você? Curtiu o projeto? Deixe o seu comentário e fique atento aos próximos posts 😉

Campus de Cima - Twitter

22 mar

Novo motor da Renault integra Laboratório de Mecânica

Tweet Bom dia

Os laboratórios de uma instituição de ensino têm papel fundamental na formação dos estudantes, pois são como uma janela para o mercado de trabalho, na qual os alunos terão contato prático com a profissão que escolheram. Utilizar equipamentos, concretizar projetos criados em sala de aula e estar conectado com as novidades do mercado, são alguns dos objetivos.

Na FEI, o investimento e cuidado com os laboratórios reforçam a Instituição como uma das melhores do País, especialmente por oferecer aos alunos equipamentos de ponta com tecnologias que, em alguns casos, são novidades presentes somente no exterior, com previsão de chegada ao Brasil em alguns anos.

Agora, o Laboratório de Engenharia Mecânica da FEI recebeu mais um grande incentivo: um novo motor cedido pela Renault, uma das principais montadoras de carro do mundo.

motor

A conquista nasceu a partir do Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) do aluno Rodrigo Fonseca e seus amigos de grupo, que projetaram construir um motor para trabalhar com dois ciclos. O departamento de Engenharia da Renault se interessou tanto pelo projeto, que fez mais somente apoiar, doou um motor da empresa para o grupo, que após a realização do TCC será locado em definitivo no Laboratório de Motores da Instituição.

Segundo Rodrigo Fonseca, trata-se de um motor recente, SCE, que passou a equipar os carros da Renault a partir de dezembro de 2016, para modelos 1.6. É de combustão interna, 4 cilindros e apresenta algumas inovações tecnológicas.

Motor 3

A cerimônia de entrega, realizada no dia 15 de março, contou com a presença do Gerente de Marketing de Produto da Renault, Rafael Garbosa, além do Reitor do Centro Universitário FEI, Prof. Dr. Fábio do Prado, alunos e professores.

No vídeo abaixo você confere imagens do motor e mais informações. Assista:

O Centro Universitário FEI agradece à Renault pela parceria e parabeniza os alunos pela conquista!

16 mar

Desafios da Mulher no Mercado de Trabalho

Durante o mês de março, inúmeras ações e movimentos, além de homenagens, têm como objetivo nos levar à reflexão sobre a importância do papel da mulher em diversos âmbitos da sociedade.

Dos cursos da FEI, os mais populares como as Engenharias, classificadas como referência no País, também são conhecidas por ter, em sua maioria, público masculino. No entanto, esse cenário vem mudando a cada ano e, cada vez mais, encontramos candidatas, alunas e ex-alunas atuando fortemente nos setores industriais, muitas vezes como gestoras e em cargos de destaque.

Para reforçar essa realidade, três líderes da Scania, multinacional sueca do setor automotivo, apresentaram uma palestra no campus São Bernardo do Campo da FEI comentando suas percepções e principais desafios de trabalhar na indústria.

3

Na ordem: Aline Rovath, Carla Tetamante e Renata Herrera, palestrantes convidadas.

O interessante deste encontro foi ter um público bem dividido, entre alunos e alunas, reforçando um dos principais discursos das palestrantes: a igualdade.

Aline Rovath, formada em Engenharia Mecânica pela FEI, que atua como líder no setor de Sales e Marketing, abriu o tema da palestra destacando: “É importante que cada vez mais estejamos presentes em diversas posições, não apenas na liderança, mas em diversas esferas, mostrando o nosso conhecimento. ”

A Engenheira de Produção Renata Herrera, líder do setor de montagem na empresa sueca, reforçou a importância de ser feliz nas escolhas profissionais e, principalmente, fazer o que gosta. Dessa forma, segundo Herrera, alcançar os objetivos se torna mais prazeroso, mesmo diante dos desafios, conectando-se também às ideias apresentadas por Carla Tetamante, economista e gestora no setor de compras, que por sua vez acredita que há espaço para todos, homens e mulheres, pois é preciso viver e buscar as próprias expectativas.

Veja no vídeo abaixo mais depoimentos deste encontro inspirador:

O Centro Universitário FEI parabeniza a todas as mulheres neste mês de março. Até o próximo post 😉

Curta nossa página no Facebook

Twitter